14 de Agosto de 2017 - 2ª-feira da 19ª Semana do Tempo Comum - Liturgia Católica Apostólica Romana

Ir para o conteúdo

Menu principal:

14 de Agosto de 2017 - 2ª-feira da 19ª Semana do Tempo Comum

LITURGIA DIÁRIA > 2017 - AGOSTO
PUBLICIDADE
2ª-feira da 19ª Semana do Tempo Comum - 14 de Agosto de 2017

S. Maximiliano Maria Kolbe PresbMt., memória

Cor: Vermelho

1ª Leitura - Dt 10,12-22

Abri, pois, o vosso coração. Amai os estrangeiros,
porque vós também fostes estrangeiros.

Leitura do Livro do Deuteronômio 10,12-22
Moisés falou ao povo, dizendo:
12 E agora, Israel, o que é que o Senhor teu Deus te pede? Apenas que o temas e andes em seus caminhos; que ames e sirvas ao Senhor teu Deus, com todo o teu coração e com toda a tua alma,
13 e que guardes os mandamentos e preceitos do Senhor, que hoje te prescrevo para que sejas feliz.
14 Vê: é ao Senhor teu Deus que pertencem os céus, o mais alto dos céus, a terra e tudo o que nela existe.
15 No entanto, foi a teus pais que o Senhor se afeiçoou e amou; e, depois deles, foi à sua descendência, isto é, a vós, que ele escolheu entre todos os povos, como hoje está provado.
16 Abri, pois, o vosso coração, e não endureçais mais vossa serviz,
17 porque o vosso Deus é o Deus dos deuses e o Senhor dos senhores, o Deus grande, poderoso e terrível, que não faz acepção de pessoas nem aceita suborno.
18 Ele faz justiça ao órfão e à viúva, ama o estrangeiro e lhe dá alimento e roupa.
19 Portanto, amai os estrangeiros, porque vós também fostes estrangeiros na terra do Egito.
20 Temerás o Senhor teu Deus e só a ele servirás; a ele te apegarás e jurarás por seu nome.
21 Ele é o teu louvor, ele é o teu Deus, que fez por ti essas coisas grandes e terríveis que viste com teus próprios olhos.
22 Ao descerem para o Egito, teus pais eram apenas setenta pessoas, e agora o Senhor teu Deus te fez tão numeroso como as estrelas do céu'.
Palavra do Senhor.


Salmo - Sl 147 (148),12-13. 14-15. 19-20 (R. 12a)

R. Glorifica o Senhor, Jerusalém!
Ou: Aleluia, Aleluia, Aleluia.

12 Glorifica o Senhor, Jerusalém!*
Ó Sião, canta louvores ao teu Deus!
13 Pois reforçou com segurança as tuas portas,*
e os teus filhos em teu seio abençoou. R.

14 a paz em teus limites garantiu*
e te dá como alimento a flor do trigo.
15 Ele envia suas ordens para a terra,*
e a palavra que ele diz corre veloz R.

19 Anuncia a Jacó sua palavra,*
seus preceitos suas leis a Israel.
20 Nenhum povo recebeu tanto carinho,*
a nenhum outro revelou os seus preceitos. R.


Evangelho - Mt 17,22-27

Eles o matarão, mas no terceiro dia ele ressuscitará.
Os filhos estão isentos dos impostos.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 17,22-27
Naquele tempo:
22 Quando Jesus e os seus discípulos estavam reunidos na Galiléia, ele lhes disse: 'O Filho do Homem vai ser entregue nas mãos dos homens.
23 Eles o matarão, mas no terceiro dia ele ressuscitará.' E os discípulos ficaram muito tristes.
24 Quando chegaram a Cafarnaum, os cobradores do imposto do Templo aproximaram-se de Pedro e perguntaram: 'O vosso mestre não paga o imposto do Templo?'
25 Pedro respondeu: 'Sim, paga.' Ao entrar em casa, Jesus adiantou-se, e perguntou: 'Simão, que te parece: Os reis da terra cobram impostos ou taxas de quem: dos filhos ou dos estranhos?'
26 Pedro respondeu: 'Dos estranhos!' Então Jesus disse: 'Logo os filhos são livres.
27 Mas, para não escandalizar essa gente, vai ao mar, lança o anzol, e abre a boca do primeiro peixe que tu pescares. Ali tu encontrarás uma moeda; pega então a moeda e vai entregá-la a eles, por mim e por ti.'
Palavra da Salvação.


Reflexão - Mt 17, 22-27

Uma coisa é termos direito sobre algo e outra coisa é a conveniência do uso desse direito. No nosso dia a dia, muitas vezes acontece que temos que renunciar a um direito em vista de um bem maior. O próprio Jesus nos mostra essa necessidade no evangelho de hoje, quando renuncia ao direito de não parar os impostos do templo para conseguir um bem maior que está no fato de evitar escândalos. Assim, também nós devemos deixar de lado determinados direitos, que podem até demonstrar mesquinhez,quando esses podem se tornar causa de escândalos ou conflitos e fazer com que percamos um bem maior como a paz e a tranqüilidade.


Fonte: CNBB
PUBLICIDADE
Privacy Policy
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal