2019 - MAIO - 24 - SEXTA-FEIRA - Liturgia Diária da Igreja Católica Apostólica Romana

- SOMENTE EVANGELHO, SEM POLÍTICA -
Ir para o conteúdo
MISSAL > LITURGIA DO DIA
NOTICIÁRIO DO VATICANO
VATICAN NEWS - ESPAÑOL
Pesquisa rápida
Liturgia Diária


Decidimos, o Espírito Santo e nós, não vos impor
nenhum fardo, além das coisas indispensáveis.


Naqueles dias:
22 Pareceu bem aos apóstolos e aos anciãos, de acordo com toda a comunidade de Jerusalém, escolher alguns da comunidade para mandá-los a Antioquia, com Paulo e Barnabé. Escolheram Judas, chamado Bársabas, e Silas, que eram muito respeitados pelos irmãos.
23 Através deles enviaram a seguinte carta: 'Nós, os apóstolos e os anciãos, vossos irmãos, saudamos os irmãos vindos do paganismo e que estão em Antioquia e nas regiões da Síria e da Cilícia.
24 Ficamos sabendo que alguns dos nossos causaram perturbações com palavras que transtornaram vosso espírito. Eles não foram enviados por nós.
25 Então decidimos, de comum acordo, escolher alguns representantes e mandá-los até vós, junto com nossos queridos irmãos Barnabé e Paulo,
26 homens que arriscaram suas vidas pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo.
27 Por isso, estamos enviando Judas e Silas, que pessoalmente vos transmitirão a mesma mensagem.
28 Porque decidimos, o Espírito Santo e nós, não vos impor nenhum fardo, além destas coisas indispensáveis:
29 abster-se de carnes sacrificadas aos ídolos, do sangue, das carnes de animais sufocados e das uniões ilegítimas. Vós fareis bem se evitardes essas coisas. Saudações!'
30 Depois da despedida, Judas e Silas foram para Antioquia, reuniram a assembléia e entregaram a carta.
31 A sua leitura causou alegria, por causa do estímulo que trazia.
Palavra do Senhor.




Salmo - Sl 56, 8-9. 10-12 (R. 10a)

R. Vou louvar-vos, Senhor, entre os povos.
Ou: Aleluia, Aleluia, Aleluia


8 Meu coração está pronto, meu Deus, *
está pronto o meu coração!
9 Vou cantar e tocar para vós: *
desperta, minh'alma, desperta!
Despertem a harpa e a lira, *
eu irei acordar a aurora!
R.

10 Vou louvar-vos, Senhor, entre os povos, *
dar-vos graças, por entre as nações!
11 Vosso amor é mais alto que os céus, *
mais que as nuvens a vossa verdade!
12 Elevai-vos, ó Deus sobre os céus, *
vossa glória refulja na terra!
R.





Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:
12 Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros, assim como eu vos amei.
13 Ninguém tem amor maior do que aquele que dá sua vida pelos amigos.
14 Vós sois meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando.
15 Já não vos chamo servos, pois o servo não sabe o que faz o seu senhor. Eu chamo-vos amigos, porque vos dei a conhecer tudo o que ouvi de meu Pai.
16 Não fostes vós que me escolhestes, mas fui eu que vos escolhi e vos designei para irdes e para que produzais fruto e o vosso fruto permaneça. O que, então, pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo concederá.
17 Isto é o que vos ordeno: amai-vos uns aos outros.
Palavra da Salvação.







MISSA DO PAPA
Síntese da Homilia do Papa Francisco na Celebração da Santa Missa na Basílica de São Pedro,
durante a abertura da XXI Assembleia Geral da Caritas Internacional  



Papa: a presença de Deus mora na pequenez dos pobres que encontramos

“É sempre importante ouvir a voz de todos, especialmente dos pequenos e dos últimos. No mundo quem dispõe de mais meios fala mais, mas entre nós não pode ser assim, porque Deus ama revelar-se através dos pequenos e dos últimos. E a cada um pede que não olhe ninguém de cima para baixo”, disse o Papa na missa de abertura da XXI Assembleia Geral da Caritas Internacional

“Peçamos ao Senhor que nos livre do eficientismo, do mundanismo, da tentação sutil de render culto a nós mesmos e à nossa bravura. Peçamos a graça de acolher o caminho indicado pela Palavra de Deus: humildade, comunhão, renúncia.”

Foi a exortação do Papa Francisco na missa celebrada na tarde desta quinta-feira (23/05) no Altar da Cátedra na Basílica de São Pedro, na abertura da XXI Assembleia Geral da Caritas Internacional.

Tendo presente a liturgia do dia, o Santo Padre desenvolveu sua reflexão na homilia a partir do trecho dos Atos dos Apóstolos que traz a primeira grande reunião da história da Igreja, em que os apóstolos e os anciãos se reuniram para examinar questões surgidas após uma situação inesperada: os pagãos que se convertiam à fé. Devem adequar-se, como os outros, também a todas as normas da Lei antiga?

O Pontífice ressaltou tratar-se de uma decisão difícil de ser tomada e o Senhor não estava mais presente. Uma pergunta espontânea: por que Jesus não tinha deixado uma sugestão para dirimir a discussão? Por que Jesus não tinha dado regras sempre claras e rapidamente resolutivas?


Tentação do eficientismo

Francisco apontou aí a tentação do eficientismo, do pensar que a Igreja caminha bem se mantém tudo sob controle, se vive sem turbulências, com a agenda sempre em ordem. Mas o Senhor não faz desse modo, observou.

“O Senhor não manda uma resposta do céu, manda o Espírito Santo. E o Espírito não vem trazendo a agenda do dia, vem como fogo. Jesus não quer que a Igreja seja um modelo miniatura perfeito, que se compraz da própria organização e é capaz de defender seu bom nome. Jesus não viveu assim, mas em caminho, sem temer as agitações da vida. O Evangelho é o nosso programa de vida.”

Após lembrar que o Evangelho nos ensina que as questões não devem ser enfrentadas com uma receita pronta e que a fé não é uma tabela de marcha, mas o ‘Caminho’ a ser percorrido juntos, sempre juntos, com espírito de confiança”, Francisco reiterou que da narração dos Atos dos Apóstolos aprendemos três elementos essenciais para a Igreja em caminho: a humildade da escuta, o carisma do permanecer juntos, e a coragem da renúncia.


Coragem da renúncia

Atendo-se à coragem da renúncia, o Papa frisou que para os primeiros cristãos a questão em discussão tratava de tradições e preceitos importantes, que o povo eleito tinha muito a peito. Estava em jogo a identidade religiosa.

Todavia, observou, escolheram que o anúncio do Senhor antecede e vale mais do que tudo. Para o bem da missão, para anunciar a todos, de modo transparente e crível, que Deus é amor, também aquelas convicções e tradições humanas que são mais obstáculo que ajuda, podem e devem ser deixadas.

“A fé verdadeira purifica dos apegos. Para seguir o  Senhor é preciso caminhar rapidamente e para caminhar veloz é preciso aliviar o peso, mesmo se custa. Como Igreja, não somos chamados a comprometimentos empresariais, mas a ardores evangélicos.”


Deus não quer maquiagem, mas a conversão dos corações

E ao purificar-nos, ao reformar-nos, continuou, “devemos evitar a simulação, ou seja, o fingir mudar algo para que na realidade nada mude. Isso se dá, por exemplo, quando, para buscar estar passo a passo com os tempos, se faz de certo modo uma maquiagem na superfície das coisas, mas é somente maquiagem para parecer jovens. O Senhor não quer retoque cosméticos, quer a conversão do coração, que passa através da renúncia. Sair de si é a reforma fundamental.”

Os primeiros cristãos alcançaram a coragem da renúncia partindo da humildade da escuta. Exercitaram-se no desinteresse por si mesmos: “vemos que cada um deixa o outro falar e é disponível a mudar as próprias convicções. Sabe escutar somente que deixa que a voz do outro entre realmente nele”, disse ainda.


Ouvir especialmente a voz dos pequenos e dos últimos

Francisco ressaltou que quem quer percorrer os caminhos da caridade, a humildade e a escuta significam ouvido disponível aos pequenos.

“É sempre importante ouvir a voz de todos, especialmente dos pequenos e dos últimos. No mundo quem dispõe de mais meios fala mais, mas entre nós não pode ser assim, porque Deus ama revelar-se através dos pequenos e dos últimos. E a cada um pede que não olhe ninguém de cima para baixo.”

Por fim, a escuta da vida: A Igreja faz discernimento não diante do computador, mas diante da realidade das pessoas. “Pessoas, antes dos programas, com o olhar humilde de quem sabe buscar nos outros a presença de Deus, que não mora na grandeza do que fazemos, mas na pequenez dos pobres que encontramos.


Ser e sentir-se Igreja de Jesus, reunida em torno de Pedro

Da humildade da escuta à coragem da renúncia, tudo passa pelo carisma do estar juntos. De fato, “na discussão da primeira Igreja a unidade prevalece sempre sobre as diferenças. Para cada um, em primeiro lugar não estão as próprias preferências e estratégias, mas o ser e sentir-se Igreja de Jesus, reunida em torno de Pedro, na caridade que não cria uniformidade, mas comunhão”.

É preciso estar próximo de Jesus, Pão partilhado. “Ajuda-nos estar diante do tabernáculo e diante de tantos tabernáculos vivos que são os pobres. A Eucaristia e os pobres, tabernáculo fixo e tabernáculos móveis: ali se permanece no amor e se absorve a mentalidade da fração do Pão”, concluiu.

FONTE: VATICAN NEWS
Autor: Raimundo de Lima - Cidade do Vaticano







Fonte: Youtube RS21
Fonte: Youtube RS21
Fonte: Youtube RS21
Fonte: Youtube RS21
Fonte: Youtube RS21
Fonte: Youtube RS21
Fonte: Youtube RS21
Fonte: Youtube RS21

REFLEXÃO - PADRE JOÃO LUÍS FÁVERO - CAMPINAS


“Vou louvar-vos, Senhor, entre os povos.”
Jo 15, 12-17

Jesus deixa para nós um grande ensinamento, que é a expressão da essência da vida cristã: “Amem-se uns aos outros, assim, como eu amei vocês”.

Além da exigência de amar, Jesus mostra qual é o grau desse amor: “Como eu amei vocês”. O amor de Deus por nós se desdobra em nosso amor para com os nossos amigos, os companheiros de caminhada.

Os cristãos têm o privilégio da amizade de Jesus. Não importa que função ou ministério exercem na Igreja. Jesus os escolhe e os faz seus amigos e lhes comunica tudo o que ouviu do Pai. Santo Agostinho dizia: “Um amigo é a metade de minha alma”.

De que modo podemos corresponder a esse precioso dom da amizade de Jesus? Fazendo o que Jesus ordena, isto é: “amar como Ele nos amou”. Isto tem valor de testamento para nós. A amizade cria uma identificação profunda. O amor é a identidade do discípulo e critério de credibilidade: “Nisto conhecerão que são meus discípulos”.  

A certeza do amor de Jesus por nós desperta-nos a confiança Nele; então sabemos que nossos pedidos serão atendidos: “Qualquer coisa que vocês pedirem ao Pai em meu nome, Ele lhes dará”.  

Rezemos: Senhor, capacita-me para ser teu amigo. Ensina-me a servir e amar. Quero aprender a amar àqueles que não são tão amáveis.  

Deus abençoe você e sua família.

REFLEXÃO - FREI RINALDO STECANELLA, OSM


Bom dia. Deus abençoe você nesta fascinante jornada de Sexta-feira, deste mês que já começou e segue avançando. Experimente, durante todo este dia, o amor e a presença de Deus que está e estará sempre ao seu lado. Vá dizendo para você mesmo neste clima de oração: Deus é o meu escudo e proteção. Ele é a minha força e o meu amparo. Com Ele tudo posso! O meu dia será abençoado porque Deus é a minha benção... Não deixarei o medo, o desespero, a tristeza, a mágoa, o mal...invadirem a minha alma e o meu ânimo. Nada vai me separar desse amor de Deus. Reze assim...
Que seu dia seja, portanto, muito especial..
Vamos rezar?

Salmo 31


Feliz o homem que foi perdoado e cuja falta já foi encoberta! Feliz o homem a quem o Senhor não olha mais como sendo culpado, e em cuja alma não há falsidade!

Eu confessei, afinal, meu pecado, e minha falta vos fiz conhecer. Disse: “Eu irei confessar meu pecado!” E perdoastes, Senhor, minha falta.

Todo fiel pode, assim, invocar-vos, durante o tempo da angústia e aflição, porque, ainda que irrompam as águas, não poderão atingi-lo jamais.

Sois para mim proteção e refúgio; na minha angústia me haveis de salvar, e envolvereis a minha alma no gozo da salvação que me vem só de vós.



Com carinho e bençãos

Frei Rinaldo, osm







ORAÇÃO
Oração

Ó Maria, Virgem poderosa, Tu, grande e ilustre defensora da Igreja, Tu, Auxílio maravilhoso dos cristãos, Tu, terrível como exército ordenado em batalha, Tu, que só destruíste toda heresia em todo o mundo: nas nossas angústias, nas nossas lutas, nas nossas aflições, defende-nos do inimigo; e na hora da morte, acolhe a nossa alma no paraíso.

Assim seja.







Aconteceu um fato milagroso aqui em RioVerde, na igreja de S. Sebastião.

Houve Missa no sábado à tarde, ficou fechada até na segunda à tarde, qdo um grupo foi rezar o terço e havia uma hóstia no chão. Uma Ministra da Eucaristia recolheu a hóstia, mas ficou uma marca no chão, ela tentou limpar e o sanguíneo utilizado ficou manchado de sangue!

Isolaram o lugar, veio o Bispo verificar, o ladrilho será retirado e exposto à adoração.

Vou mandar fotos.

(Enviado por usuário do site)







FEVEREIRO
DOM
SEG
TER
QUA
QUI
SEX
SÁB





1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
181920212223
2425262728

- DEDICADO À VIRGEM MARIA -
Voltar para o conteúdo