6ª-feira da 6ª Semana da Páscoa - Liturgia Diária da Igreja Católica Apostólica Romana

"Fiat Voluntas Tua"
Ir para o conteúdo
MISSAL > LITURGIA DO DIA
Liturgia Diária


Antífona de Entrada
Vós nos resgatastes, Senhor, pelo vosso sangue, de todas as raças, línguas, povos e nações e fizestes de nós um reino e sacerdotes para o nosso Deus, aleluia! (Ap 5,9s)


Oração do dia
Ó Deus, fazei que a pregação do Evangelho por toda a terra realize o que prometestes ao glorificar o vosso Verbo, para que possamos alcançar, vivendo plenamente como filhos e filhas, o que foi anunciado pela vossa palavra. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.


1ª Leitura – At 18,9-18

Nesta cidade há um povo numeroso que me pertence.

Leitura dos Atos dos Apóstolos 18,9-18
Estando Paulo em Corinto,
9 uma noite, o Senhor disse-lhe em visão:
‘Não tenhas medo; continua a falar e não te cales,
10 porque eu estou contigo.
Ninguém te porá a mão para fazer mal.
Nesta cidade há um povo numeroso que me pertence.’
11 Assim Paulo ficou um ano e meio entre eles,
ensinando-lhes a Palavra de Deus.
12 Na época em que Galião era proncônsul na Acaia,
os judeus insurgiram-se em massa contra Paulo
e levaram-no diante do tribunal,
13 dizendo: ‘Este homem induz o povo a adorar a Deus
de modo contrário à Lei.’
14 Paulo ia tomar a palavra,
quando Galião falou aos judeus, dizendo:
‘Judeus, se fosse por causa de um delito
ou de uma ação criminosa,
seria justo que eu atendesse a vossa queixa.
15 Mas, como é questão de palavras,
de nomes e da vossa Lei,
tratai disso vós mesmos.
Eu não quero ser juiz nessas coisas.’
16 E Galião mandou-os sair do tribunal.
17 Então todos agarraram Sóstenes, o chefe da sinagoga,
e espancaram-no diante do tribunal.
E Galião nem se incomodou com isso.
18 Paulo permaneceu ainda vários dias em Corinto.
Despedindo-se dos irmãos, embarcou para a Síria,
em companhia de Priscila e Áquila.
Em Cencréia, Paulo rapou a cabeça
pois tinha feito uma promessa.
Palavra do Senhor.


Salmo – Sl 46, 2-3. 4-5. 6-7 (R. 8a)

R. O Senhor é o grande Rei de toda a terra.
Ou: Aleluia, Aleluia, Aleluia
 
2 Povos todos do universo, batei palmas,*
gritai a Deus aclamações de alegria!
3 Porque sublime é o Senhor, o Deus Altíssimo,*
o soberano que domina toda a terra.
R.

4 Os povos sujeitou ao nosso jugo *
e colocou muitas nações aos nossos pés.
5 Foi ele que escolheu a nossa herança, *
a glória de Jacó, seu bem-amado.
R.

6 Por entre aclamações Deus se elevou,*
o Senhor subiu ao toque da trombeta.
7 Salmodiai ao nosso Deus ao som da harpa,*
salmodiai ao som da harpa ao nosso Rei!
R.



Evangelho – Jo 16,20-23a

Ninguém vos poderá tirar a vossa alegria.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 16,20-23a
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:
20 Em verdade, em verdade vos digo:
Vós chorareis e vos lamentareis,
mas o mundo se alegrará;
vós ficareis tristes,
mas a vossa tristeza se transformará em alegria.
21 A mulher, quando deve dar à luz,
fica angustiada porque chegou a sua hora;
mas, depois que a criança nasceu,
ela já não se lembra dos sofrimentos,
por causa da alegria de um homem ter vindo ao mundo.
22 Também vós agora sentis tristeza,
mas eu hei de ver-vos novamente
e o vosso coração se alegrará,
e ninguém vos poderá tirar a vossa alegria.
23a Naquele dia, não me perguntareis mais nada.
Palavra da Salvação.


Antífona da Comunhão
O Cristo Senhor foi entregue por nossos pecados e ressuscitou para nossa justificação, aleluia! (Rm 4,25)


Depois da Comunhão
Guardai, ó Deus, no vosso constante amor, aqueles que salvastes, para que, redimidos pela paixão do vosso Filho, nos alegremos por sua ressurreição. Por Cristo, nosso Senhor.



Pesquisa rápida
Reflexão - Padre João Luís Fávero - Campinas (SP)
“O Senhor é o grande rei de toda a terra.”
Jo 16, 20-23

Jesus retoma o assunto sobre a densa nuvem de tristeza e angustia que invadirá o coração dos discípulos. Eles terão a possibilidade de experimentar a partir da sua união com o Ressuscitado, a passagem da morte para a vida.

O evangelho nos lembra: “Vocês vão chorar e se lamentar, mas o mundo vai se alegrar. Vocês ficarão angustiados, mas a angustia de vocês se transformará em alegria”. É a tristeza que os discípulos sentirão com a paixão e morte de Jesus. Esse quadro se transformará com a Ressurreição, compreendem que a dor é fonte de vida. Já não precisam mais fazer perguntas: tudo ficou mais claro por acreditarem nas escrituras e nas palavras de Jesus.   

Na preparação da despedida, a comunidade sente a falta de Jesus e a tristeza é a tônica na vida dos discípulos. O Mestre não estará mais conosco! Só o Espirito Santo será capaz de transformar essa tristeza em alegria.

Por isso é necessário que Jesus volte para o Pai e o Espírito Santo venha! Se há tristeza na partida, há muito mais alegria na consolação que o Espírito vem trazer. O Senhor continua conosco: Ele está no meio de nós!

Pela força do Espírito Santo a mente dos discípulos vai se abrindo e a fé na Ressurreição possibilitará a superação dessa tristeza.

Rezemos: Nos alegremos; Ele está no meio de nós! E cantemos: “Envia teu Espírito, Senhor, e renova a face a da terra.”

Deus abençoe você e sua família.

Pe. João Luiz



Santa Rita de Cassia

Margherita Lotti, nasceu na Itália, (Rocaporena) em Cássia, no ano de 1381. Seu grande desejo era consagrar-se à vida religiosa. Mas, segundo os costumes de seu tempo, ela foi entregue em matrimônio para Paulo Ferdinando.

Tiveram dois filhos, e ela buscou educá-los na fé e no amor. Porém, eles foram influenciados pelo pai que, antes de se casar, se apresentava com uma boa índole, mas depois se mostrou um home m difícil e violento; entregue aos vícios, e seus filhos o acompanharam.

Rita sofria, orava, intercedia e sempre dava bom exemplo a eles. E passou por um grande sofrimento ao ter o marido assassinado e, depois, ao descobrir que os dois filhos pensavam em vingar a morte do pai. Com u m amor h eroico, ela suplicou a Deus que os levasse antes que cometessem esse grave pecado. Pouco tempo mais tarde, os dois rapazes morreram depois de preparar-se para o encontro com Deus.

Sem o marido e filhos, Santa Rita entregou-se à oração, penitência e obras de caridade e tentou ser admitida no Convento Agostiniano em Cássia, fato que foi recusado incialment e. No en tanto, ela não desistiu e manteve-se em oração, pedindo a intercessão de seus três santos patronos – São João Batista, Santo Agostinho e São Nicolas de Tolentino – e milagrosamente foi aceita no convento. Isso aconteceu por volta de 1441.

Seu refúgio era Jesus Cristo. A santa de hoje viveu os impossíveis de sua vida se refugiando no Senhor. Rita quis ser religiosa. Já era uma esposa santa, tornou-se uma viúva santa e depois u ma religiosa exemplar. Ela recebeu um estigma na testa, que a fez sofrer muito devido à humilhação que sentia, pois cheirava mal e incomodava os outros. Por isso teve que viver resguardada.
Morreu com 76 anos, após uma dura enfermidade que a fez padecer por 4 anos. Hoje ela intercede pelos impossíveis de nossa vida, pois é conhecida como a “Santa dos Impossíveis”.

Santa Rita de Cássia, rogai por nós e nos livre desta Pandemia.
Reflexão - Frei Rinaldo Stecanella, osm
Bom dia. Deus abençoe seu novo dia. Uma sexta-feira feliz e abençoada com toda sorte de bençãos físicas e espirituais. Hoje é dia de Santa Rita de Cássia, uma mulher com uma linda e emocionante história de fé, luta, resistência e amor a Deus e à família. Que lá do céu, ela interceda por todos nós!

Oração de Santa Rita de Cássia
Ó Poderosa e gloriosa Santa Rita, eis a vossos pés uma alma desamparada que necessitando de auxílio, a vós recorre com a doce esperança de ser atendida por vós que tem o título de Santa dos Casos Impossíveis e Desesperados.
Ó cara santa interessai-vos pela minha causa, intercedei junto a Deus para que me conceda a graça que tanto necessito (faça o pedido).
Não permitais que tenha de me afastar de vossos pés sem ser atendido.
Se houver em mim algum obstáculo que me impeça de alcançar a graça que imploro, auxiliai-me para que o afaste.
Envolvei o meu pedido em vossos preciosos méritos e apresentai-o a vosso celeste esposo, Jesus, em união com a vossa prece. Ó Santa Rita, eu ponho em vós toda a minha confiança. Por vosso intermédio, espero tranquilamente a graça que vos peço.

Santa Rita, Advogada das causas Impossíveis, rogai por nós.

Com carinho e bençãos
Frei Rinaldo, osm




Biografia de Santa Rita de Cássia

Santa Rita de Cássia era filha única. Nasceu em maio do ano de 1381, nas montanhas em Roccaporena,  perto de Cássia, região da Umbria, Itália. Era filha de Antônio Mancini e Amata Ferri, casal de muita oração e do qual todos gostavam. Não sabiam ler nem escrever, mas ensinaram à filha tudo sobre a fé em Jesus e Nossa Senhora. Eles contavam a ela também histórias de vida de muitos santos e santas, o que muito contribuiu para sua formação.

Vida de Santa Rita de Cássia
Santa Rita de Cássia queria ser religiosa, mas seus pais escolheram para ela um marido, como era costume na época. O marido escolhido foi Paolo Ferdinando. Não foi uma boa escolha, pois Paolo era um infiel no matrimônio e tinha o hábito de beber demais. Por causa dele, Santa Rita sofreu por 18 anos, período em que foi casada. O casal teve dois filhos. Durante o tempo de casada, Rita demonstrou  muita paciência e resignação por tudo que sofreu.

Mesmo sofrendo, ela nunca deixou de rezar pela conversão dele. Por fim, a mansidão e o amor de Rita transformaram aquele homem rude e bruto. Paolo se converteu e mudou sua vida conjugal de tal forma que as amigas de Rita e as mulheres da cidade vinham aconselhar-se com ela.

Paolo, embora verdadeiramente convertido, tinha deixado um rastro de violência e rixas entre alguns grupos da cidade. Assim, um dia ele saiu para trabalhar e não voltou para casa. Santa Rita de Cássia teve a certeza de que algo horrível tinha acontecido.

No dia seguinte ele foi encontrado morto. Tinha sido assassinado. Seus dois filhos, que já eram jovens, juraram vingar a morte do pai. Santa Rita, então, pediu a Deus que não deixasse eles cometerem esse pecado mortal. Logo os dois ficaram muito doentes, de forma incurável. Antes que eles morressem, porém, Santa Rita ajudou os dois a se converterem, ao amor de Deus e ao perdão. A graça foi tão grande que os dois conseguiram perdoar o assassino do pai, e morreram.

Parece estranho, mas a morte dos dois filhos de Santa Rita quebrou uma corrente de ódio e vingança que poderia durar anos, causando muito mais sofrimentos e mortes. Depois disso, Santa Rita de Cássia teve a certeza em seu coração de que os três estavam juntos no céu. Assim, tudo tinha valido a pena.

Deus coloca Santa Rita de Cássia  no convento
Santa Rita, estando sozinha na vida, quis entrar para o convento das irmãs Agostinianas, obedecendo ao chamado que sentia desde menina. As irmãs, porém, estavam em duvida sobre sua vocação, visto que tinha sido casada, o marido fora assassinado e os dois filhos morreram de peste. Por tudo isso, elas não queriam aceitar Rita no convento.

Então, numa noite, Santa Rita dormia, quando ouviu uma voz chamando: Rita. Rita. Rita.

Ela abriu a porta e estavam ali, São Francisco, São Nicolau e São João Batista. Eles pediram que ela os seguisse e depois de andarem pelas ruas, os santos desapareceram e Rita sentiu um suave empurrão. Ela caiu em êxtase e, quando voltou a si, estava dentro do mosteiro, estando este com as portas trancadas. Então as freiras não lhe puderam negar a entrada. Rita viveu ali por quarenta anos.

Milagres de Santa Rita de Cássia
Em dúvida se vocação de Rita era verdadeira, a superiora mandou-a regar um pedaço de madeira seca que estava no jardim do convento. Ela deveria fazer aquilo por um ano. Rita obedeceu com paciência e amor. Depois de um ano, para a surpresa de todos, mais um milagre aconteceu: o galho se transformou numa videira que dá uvas até hoje.

Sofrimento de Cristo no corpo de Santa Rita de Cássia
Orando aos pés da cruz Santa Rita de Cássia pediu a Jesus que pudesse sentir um pouco das dores que ele sentiu na sua crucificação. Então, um dos espinhos da coroa de Jesus cravou-se em sua cabeça e Santa Rita sentiu um pouco daquela dor terrível que Jesus passou.

O espinho fez em Santa Rita uma grande ferida, de tal forma que ela tinha que ficar isolada de suas irmãs. Assim, ela fazia mais orações e jejuns para Deus. Santa Rita de Cássia ficou com a ferida por 15 anos. A chaga só foi curada quando Irmã Rita foi a Roma, no ano santo. Quando voltou ao mosteiro, porém, a ferida se abriu novamente.

Morte de Santa Rita de Cássia
No dia 22 de maio de 1457, o sino do convento começou a tocar sozinho. Santa Rita estava com 76 anos. Sua ferida cicatrizou-se e seu corpo começou a exalar um perfume de rosas. Uma freira chamada Catarina Mancini, que tinha um braço paralítico, ao abraçar Santa Rita de Cássia em seu leito de morte, ficou curada.

No lugar da ferida apareceu uma mancha vermelha que exalava um perfume celestial que encantou a todos. Logo apareceu uma multidão para vê-la. Então, tiveram que levar seu corpo para a igreja e lá está até hoje, exalando suave perfume, que a todos impressiona.

Devoção a Santa Rita de Cássia
Santa Rita de Cássia foi beatifica no ano 1627, em Roma, pelo Papa Urbano Vlll. Sua canonização foi no ano de 1900, no dia 24 de maio, pelo Papa Leão Xlll e sua festa foi é comemorada no dia 22 de maio de todo ano.

No nordeste do Brasil, na cidade de Santa Cruz, Rio Grande do Norte, ela é sua padroeira, inclusive lá está a maior estátua católica do mundo, com 56 metros de altura. Santa Rita é considerada a Madrinha dos sertões. Em Minas Gerais existe a Cidade de Cássia que Santa Rita também é a padroeira, e seu aniversário é no dia 22 de maio também.



(fonte: internet)
FEVEREIRO
D
S
T
Q
Q
S
S






1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
- DEDICADO À VIRGEM MARIA -
Voltar para o conteúdo