23 DE AGOSTO - SEXTA-FEIRA - Liturgia Diária da Igreja Católica Apostólica Romana

"extra Ecclesiam nulla salus"
Ir para o conteúdo
MISSAL > LITURGIA DO DIA
VATICAN NEWS
Pesquisa rápida
QUARESMA DE SAO MIGUEL
Liturgia Diária


20ª SEMANA DO TEMPO COMUM
COR LITÚRGICA: BRANCO




1a Leitura - Rt 1,1.3-6.14b-16.22

Noemi acompanhada de sua nora Rute, a moabita, regressou a Belém

Início do Livro de Rute 1, 1. 3-6. 14b-16. 22
1 No tempo em que os juízes governavam, houve uma fome no país e um homem de Belém de Judá foi morar nos campos de Moab com sua mulher e seus dois filhos.
3 Entretanto, morreu Elimelec, marido de Noemi, e esta ficou sozinha com seus dois filhos.
4 Eles casaram-se com mulheres moabitas, uma das quais se chamava Orfa, a outra, Rute. E ali permaneceram uns dez anos.
5 Depois morreram também os dois, Maalon e Quelion e a mulher ficou só, sem os dois filhos e sem o marido.
6 Então ela se dispôs a voltar do campo de Moab para a sua pátria com as duas noras, porque tinha ouvido dizer que o Senhor havia olhado para o seu povo, e lhe tinha dado alimentos.
14b Orfa beijou sua sogra e partiu. Rute, porém, ficou com Noemi.
15 Esta disse-lhe: 'Olha, tua cunhada voltou para o seu povo e para os seus deuses. Vai com ela'.
16 Mas Rute respondeu: 'Não insistas comigo para que te deixe e me afaste de ti. Porque para onde fores irei contigo, onde pousares, lá pousarei eu também. Teu povo será o meu povo, e o teu Deus será o meu Deus'.
22 Assim Noemi voltou dos campos de Moab, acompanhada de sua nora Rute, a moabita. Regressaram a Belém, quando começava a colheita da cevada.
Palavra do Senhor.


Salmo - Sl 145,5-6. 7. 8-9a. 9bc-10 (R. 2a)
 
R. Bendize, ó minha alma, ao Senhor!
R. Ou: Aleluia, Aleluia, Aleluia.


5 É feliz todo homem que busca / seu auxílio no Deus de Jacó, / e que põe no Senhor a esperança. 6 O Senhor fez o céu e a terra, / fez o mar e o que neles existe.
R.
 
7 O Senhor faz justiça aos que são oprimidos; / ele dá alimento aos famintos, / é o Senhor quem liberta os cativos.
R.
 
8 O Senhor abre os olhos aos cegos / o Senhor faz erguer-se o caído; / o Senhor ama aquele que é justo 9a É o Senhor quem protege o estrangeiro.
R.
 
9b Ele ampara a viúva e o órfão 9c mas confunde os caminhos dos maus. 10 O Senhor reinará para sempre! / Ó Sião, o teu Deus reinará / para sempre e por todos os séculos!
R.


Evangelho - Mt 22,34-40
 
Amarás o Senhor teu Deus, e aoteu próximo como a ti mesmo.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus 22, 34-40
 
Naquele tempo:
34 Os fariseus ouviram dizer que Jesus tinha feito calar os saduceus. Então eles se reuniram em grupo,
35 e um deles perguntou a Jesus, para experimentá-lo:
36 'Mestre, qual é o maior mandamento da Lei?'
37 Jesus respondeu: '`Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento!'
38 Esse é o maior e o primeiro mandamento.
39 O segundo é semelhante a esse: `Amarás ao teu próximo como a ti mesmo'.
40 Toda a Lei e os profetas dependem desses dois mandamentos.
Palavra da Salvação






SANTA ROSA DE LIMA, VIRGEM - SANTORAL


1a Leitura - 2Cor 10,17-11,2
 
Eu vos desposei a um único esposo, apresentando-vos a Cristo como virgem pura.

Leitura da Segunda Carta de São Paulo aos Coríntios 10, 17-11, 2
Irmãos:
17 Quem se gloria, glorie-se no Senhor.
18 Pois é aprovado só aquele que o Senhor recomenda e não aquele que se recomenda a si mesmo.
11,1 Oxalá pudésseis suportar um pouco de insensatez, da minha parte. Na verdade, vós me suportais.
2 Sinto por vós um amor ciumento semelhante ao amor que Deus vos tem. Fui eu que vos desposei a um único esposo, apresentando-vos a Cristo como virgem pura.
Palavra do Senhor.


Salmo - Sl 148,1-2.11-13a.13c-14 (R. Aleluia ou cf. 12a.13a)
 
R. Aleluia, Aleluia, Aleluia.
R. Ou: Vós jovens, vós moças e rapazes, louvai todos o nome do Senhor!


1 Louvai o Senhor Deus nos altos céus, / louvai-o no excelso firmamento! 2 Louvai-o, anjos seus, todos louvai-o, / louvai-o, legiões celestiais!
R.
11 Reis da terra, povos todos, bendizei-o, / e vós, príncipes e todos os juízes; 12 e vós, jovens, e vós, moças e rapazes, / anciãos e criancinhas, bendizei-o! 13a Louvem o nome do Senhor, louvem-no todos.
R.
 
13c A majestade e esplendor de sua glória / ultrapassam em grandeza o céu e a terra. 14 Ele exaltou seu povo eleito em poderio / ele é o motivo de louvor para os seus santos. / É um hino para os filhos de Israel, / este povo que ele ama e lhe pertence.
R.


Evangelho - Mt 13,44-46
 
Vende todos os seus bens e compra aquele campo.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 13, 44-46
Naquele tempo, disse Jesus à multidão:
44 'O Reino dos Céus é como um tesouro escondido no campo. Um homem o encontra e o mantém escondido. Cheio de alegria, ele vai, vende todos os seus bens e compra aquele campo.
45 O Reino dos Céus também é como um comprador que procura pérolas preciosas.
46 Quando encontra uma pérola de grande valor, ele vai, vende todos os seus bens e compra aquela pérola.
Palavra do Senhor.




Fonte: Youtube RS21
Reflexão - Padre João Luís Fávero - Campinas (SP)
“Vós jovens, moças e rapazes, louvai todos o nome do Senhor! ”.
Mt 13, 44-46

Festa de santa Rosa de Lima – Padroeira da América Latina

A vida é a arte de escolher e, se necessário, refazer escolhas. Todo ganho admite uma perda, toda perda pressupõe um ganho. Escolher um caminho é renunciar a todas as outras possibilidades.

Mateus vem lembrar duas escolhas: um tesouro e uma perola preciosa. As duas escolhas têm um preço alto a ser pago. Mas o resultado é compensador. Cheio de alegria, faz a escolha, e o resultado o faz feliz.

As escolhas que valem, são as que eu faço agora. Quais são as minhas escolhas? Santa Rosa escolheu viver em Cristo, a serviço da vida e dos irmãos mais simples.   

Isabel Flores é o nome da filha de imigrantes espanhóis que se estabeleceram em lima, Peru. Nasceu em 1586. Por sua beleza e delicadeza, desde pequena era chamada de “Rosa”. Todos se admiravam que ela crescia em beleza e graça.

Desde criança sentiu o forte chamado de Deus para uma vida consagrada totalmente a Ele. Ingressou na Ordem Terceira Dominicana. Dedicou-se intensamente ao cuidado dos índios e dos pobres.

Levou uma vida de muita penitencia e profunda piedade eucarística e mariana. Manteve constante serenidade em meios às provações dolorosa que acompanharam sua trajetória.

Foi favorecida com extraordinários dons místicos, morreu em Lima, aos 31 anos de idade. Canonizada em 1671, foi a primeira santa elevada às honras do altar no continente sul-americano e depois proclamada Padroeira da América Latina.

Rezemos: Senhor, me ajude a escolher aquilo que vale a pena em minha vida. Quero amar e servir, gritar o Evangelho com a minha vida.

Deus abençoe você e sua família.
Reflexão - Frei Rinaldo Stecanella, osm
Bom dia. Deus abençoe sua vida, sua casa, sua família, seu trabalho...seus afazeres ... nessa nova jornada de Sexta-feira que começa.  Vamos superar  as dificuldades, as tribulações, as tempestades...Vamos levantar a cabeça e seguir firmes em nossos propósitos para o dia de hoje. Uma coisa é certa: com Deus somos mais que vencedores! Ele nos pega pela mão e nos conduz por terras firmes. Conte com Ele e o invoque para caminhar com você.
Santo de hoje: São Felipe Benicio! Rogai por nós!

Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o coração e a mente de vocês em Cristo Jesus.
Filipenses 4, 6-7

Com carinho e bençãos
Frei Rinaldo, osm
ORAÇÃO
S. ROSA DE LIMA, VIRGEM, TERCIÁRIA DOMINICANA


“Você é linda como uma Rosa!”

Isabel nasceu em Lima, em 1586; era a décima de treze filhos da família Flores de Oliva, nobre espanhola, transferida para o Peru. A sua ama, Mariana, de origem indígena, deu-lhe o nome de Rosa, pela incrível beleza que a caracterizava. Depois, este nome foi confirmado na Crisma e quando, aos vinte e três anos, recebeu o hábito religioso da Ordem Terceira Dominicana. Seu modelo de vida foi Santa Catarina de Sena. Ao nome Rosa foi acrescentado também o “de Santa Maria”, como expressão do seu tenro amor, que sempre nutria pela Virgem, à qual recorria, a todo instante, para pedir proteção.


Pobre entre os pobres

Rosa conheceu a pobreza quando a sua família caiu na miséria, por falência nos negócios paternos; trabalhou, arduamente, como doméstica, na horta e como bordadeira, até altas horas da noite; quando fazia entrega nas casas dos seus fregueses, aproveitava para levar a Palavra de Cristo e o seu anseio pelo bem e pela justiça, que, na sociedade peruana da época, - espezinhada pela Espanha colonizadora, - parecia totalmente ofuscada.

Na casa paterna, criou uma espécie de asilo para os necessitados, onde dava assistência às crianças e aos idosos abandonados, sobretudo de origem indígena.

Desde pequena, Rosa desejava consagrar-se a Deus com a vida claustral, permanecendo “virgem no mundo”; como Terciária Dominicana, trancou-se em uma cela de poucos metros quadrados, construída no jardim da casa paterna, da qual saía apenas para a função religiosa; ali, transcorria grande parte dos dias, dedicando-se à oração e em íntima comunhão com o Senhor.


“Dedique a mim todo o seu amor”!

Certo dia, enquanto rezava diante de uma imagem da Virgem Maria, que segurava Jesus nos braços, ouviu a voz daquele Menino, que lhe dizia: “Rosa, dedique a mim todo o seu amor...”! E não hesitou: desde então, Jesus foi o seu amor exclusivo até à morte: um amor cultivado com a virgindade, a oração e a penitência. Ela repetia sempre: “Meu Deus, podeis aumentar meus sofrimentos, contanto que aumenteis o meu amor por vós”. Assim, o significado redentor da Paixão de Cristo, tornou-se claro para ela: o sofrimento, vivido com fé, redime e salva. O sofrimento do homem pode ser associado ao sofrimento salvador de Cristo.

Esta foi uma verdadeira reviravolta interior, que coincidiu com a leitura da vida de Santa Catarina, da qual aprendeu a amar o sangue de Cristo e a Igreja. Precisamente na sua cela no jardim, Rosa reviveu, na sua carne, a Paixão de Jesus, por duas intenções: a conversão dos espanhóis e a evangelização dos índios.


Devoção e Ano jubilar

A Santa Rosa foram atribuídos atos de mortificação e castigos corporais, de todo tipo, mas também tantas conversões e milagres. Um deles foi a não invasão dos piratas holandeses em Lima, em 1615.

Quando ainda era viva, Rosa foi examinada por uma Comissão mista de religiosos e cientistas, que julgou as suas experiências místicas como verdadeiros “dons da graça”; tanto é verdade que, quando ela morreu, pela enorme multidão que participou do seu enterro, já era considerada Santa.

Rosa faleceu só depois de renovar seus Votos religiosos, repetindo várias vezes: “Jesus, permanecei comigo!”. Transcorria o dia 23 de agosto de 1617.

Após a sua morte, quando seu corpo foi trasladado para a Capela do Rosário, Nossa Senhora sorriu-lhe pela última vez, daquela estátua, diante da qual a Santa havia rezado tantas vezes. Ao ver o ocorrido, a multidão presente gritou: “milagre”!


Em 1668, Rosa de Lima foi beatificada pelo Papa Clemente IX e canonizada três anos depois.

Santa Rosa de Lima foi a primeira mulher a ser canonizada no Novo Mundo. Ela é Padroeira do Peru, da América Latina, das Índias e das Filipinas. É invocada também como protetora dos floricultores e jardineiros, contra as erupções vulcânicas e ainda em casos de feridas ou de brigas familiares.

Os 400 anos da morte de Santa Rosa foram comemorados com um Ano jubilar, que teve como lema: “400 anos intercedendo por você”, referindo-se às milhares de orações que a Santa havia atendido durante quatro séculos.


FonteÇ Vatican News


SANTO DO DIA







FEVEREIRO
DOM
SEG
TER
QUA
QUI
SEX
SÁB





1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
181920212223
2425262728

- DEDICADO À VIRGEM MARIA -
Voltar para o conteúdo