Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus - Capítulo 5 - Liturgia Católica Apostólica Romana

www.liturgiacatolica.com
www.liturgiacatolica.com
Ir para o conteúdo

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus - Capítulo 5

BÍBLIA > NOVO TESTAMENTO > São Mateus
PUBLICIDADE
CAPÍTULO 5
1. Vendo aquelas multidões, Jesus subiu à montanha. Sentou-se e seus discípulos aproximaram-se dele.
2. Então abriu a boca e lhes ensinava, dizendo:
3. Bem-aventurados os que têm um coração de pobre, porque deles é o Reino dos céus!
4. Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados!
5. Bem-aventurados os mansos, porque possuirão a terra!
6. Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados!
7. Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia!
8. Bem-aventurados os puros de coração, porque verão Deus!
9. Bem-aventurados os pacíficos, porque serão chamados filhos de Deus!
10. Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino dos céus!
11. Bem-aventurados  sereis quando vos caluniarem, quando vos perseguirem e disserem  falsamente todo o mal contra vós por causa de mim.
12. Alegrai-vos  e exultai, porque será grande a vossa recompensa nos céus, pois assim  perseguiram os profetas que vieram antes de vós.
13. Vós  sois o sal da terra. Se o sal perde o sabor, com que lhe será  restituído o sabor? Para nada mais serve senão para ser lançado fora e  calcado pelos homens.
14. Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade situada sobre uma montanha
15. nem  se acende uma luz para colocá-la debaixo do alqueire, mas sim para  colocá-la sobre o candeeiro, a fim de que brilhe a todos os que estão em  casa.
16. Assim, brilhe vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem vosso Pai que está nos céus.
17. Não julgueis que vim abolir a lei ou os profetas. Não vim para os abolir, mas sim para levá-los à perfeição.
18. Pois em verdade vos digo: passará o céu e a terra, antes que desapareça um jota, um traço da lei.
19. Aquele  que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e ensinar assim  aos homens, será declarado o menor no Reino dos céus. Mas aquele que os  guardar e os ensinar será declarado grande no Reino dos céus.
20. Digo-vos, pois, se vossa justiça não for maior que a dos escribas e fariseus, não entrareis no Reino dos céus.
21. Ouvistes o que foi dito aos antigos: Não matarás, mas quem matar será castigado pelo juízo do tribunal.
22. Mas  eu vos digo: todo aquele que se irar contra seu irmão será castigado  pelos juízes. Aquele que disser a seu irmão: Raca, será castigado pelo  Grande Conselho. Aquele que lhe disser: Louco, será condenado ao fogo da  geena.
23. Se estás, portanto, para fazer a tua oferta diante do altar e te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti,
24. deixa lá a tua oferta diante do altar e vai primeiro reconciliar-te com teu irmão; só então vem fazer a tua oferta.
25. Entra  em acordo sem demora com o teu adversário, enquanto estás em caminho  com ele, para que não suceda que te entregue ao juiz, e o juiz te  entregue ao seu ministro e sejas posto em prisão.
26. Em verdade te digo: dali não sairás antes de teres pago o último centavo.
27. Ouvistes que foi dito aos antigos: Não cometerás adultério.
28. Eu, porém, vos digo: todo aquele que lançar um olhar de cobiça para uma mulher, já adulterou com ela em seu coração.
29. Se  teu olho direito é para ti causa de queda, arranca-o e lança-o longe de  ti, porque te é preferível perder-se um só dos teus membros, a que o  teu corpo todo seja lançado na geena.
30. E  se tua mão direita é para ti causa de queda, corta-a e lança-a longe de  ti, porque te é preferível perder-se um só dos teus membros, a que o  teu corpo inteiro seja atirado na geena.
31. Foi também dito: Todo aquele que rejeitar sua mulher, dê-lhe carta de divórcio.
32. Eu,  porém, vos digo: todo aquele que rejeita sua mulher, a faz tornar-se  adúltera, a não ser que se trate de matrimônio falso; e todo aquele que  desposa uma mulher rejeitada comete um adultério.
33. Ouvistes ainda o que foi dito aos antigos: Não jurarás falso, mas cumprirás para com o Senhor os teus juramentos.
34. Eu, porém, vos digo: não jureis de modo algum, nem pelo céu, porque é o trono de Deus;
35. nem pela terra, porque é o escabelo de seus pés; nem por Jerusalém, porque é a cidade do grande Rei.
36. Nem jurarás pela tua cabeça, porque não podes fazer um cabelo tornar-se branco ou negro.
37. Dizei somente: Sim, se é sim; não, se é não. Tudo o que passa além disto vem do Maligno.
38. Tendes ouvido o que foi dito: Olho por olho, dente por dente.
39. Eu, porém, vos digo: não resistais ao mau. Se alguém te ferir a face direita, oferece-lhe também a outra.
40. Se alguém te citar em justiça para tirar-te a túnica, cede-lhe também a capa.
41. Se alguém vem obrigar-te a andar mil passos com ele, anda dois mil.
42. Dá a quem te pede e não te desvies daquele que te quer pedir emprestado.
43. Tendes ouvido o que foi dito: Amarás o teu próximo e poderás odiar teu inimigo.
44. Eu, porém, vos digo: amai vossos inimigos, fazei bem aos que vos odeiam, orai pelos que vos [maltratam e] perseguem.
45. Deste  modo sereis os filhos de vosso Pai do céu, pois ele faz nascer o sol  tanto sobre os maus como sobre os bons, e faz chover sobre os justos e  sobre os injustos.
46. Se amais somente os que vos amam, que recompensa tereis? Não fazem assim os próprios publicanos?
47. Se saudais apenas vossos irmãos, que fazeis de extraordinário? Não fazem isto também os pagãos?
48. Portanto, sede perfeitos, assim como vosso Pai celeste é perfeito.


PUBLICIDADE
App Liturgia Católica
Voltar para o conteúdo