Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus Capítulo 22 - Liturgia Católica Apostólica Romana

Ir para o conteúdo

Menu principal:

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus Capítulo 22

BÍBLIA > NOVO TESTAMENTO > São Mateus
PUBLICIDADE
CAPÍTULO 22
1 Jesus voltou a falar em parábolas aos sumos sacerdotes e aos anciãos do povo,
2 dizendo: “O Reino dos Céus é como um rei que preparou a festa de casamento do seu filho.
3 Mandou seus servos chamar os convidados para a festa, mas estes não quiseram vir.
4 Mandou então outros servos, com esta ordem: ‘Dizei aos convidados: já preparei o banquete, os bois e os animais cevados já foram abatidos e tudo está pronto. Vinde para a festa!’
5 Mas os convidados não deram a menor atenção: um foi para seu campo, outro para seus negócios,
6 outros agarraram  os servos, bateram neles e os mataram.
7 O rei ficou irritado e mandou suas tropas matar aqueles assassinos e incendiar a cidade deles.
8 Em seguida, disse aos servos: ‘A festa de casamento está pronta, mas os convidados não foram dignos dela.
9 Portanto, ide às encruzilhadas dos caminhos e convidai para a festa todos os que encontrardes’.
10 Os servos saíram pelos caminhos e reuniram todos os que encontraram, maus e bons. E a sala da festa ficou cheia de convidados.
11 Quando o rei entrou para ver os convidados, observou um homem que não estava em traje de festa
12e perguntou-lhe: ‘Meu caro, como entraste aqui sem o traje de festa?’ Mas o homem ficou sem responder.
13 Então o rei disse aos que serviam: ‘Amarrai os pés e as mãos desse homem e lançai-o fora, nas trevas! Ali haverá choro e ranger de dentes’.
14 Pois muitos são chamados, mas poucos são escolhidos”.
15 Os fariseus saíram e fizeram um plano para apanhar Jesus em alguma palavra.
16 Mandaram os seus discípulos, junto com alguns partidários de Herodes, para perguntar: “Mestre, sabemos que és verdadeiro e que ensinas o caminho de Deus segundo a verdade. Não te deixas influenciar por ninguém, pois não olhas a aparência das pessoas.
17 Dize-nos o que pensas: é permitido, ou não, pagar imposto a César?”
18 Jesus percebeu-lhes a maldade e disse: ‘Hipócritas! Por que me armais uma cilada?
19 Mostrai-me a moeda do imposto!” Apresentaram-lhe a moeda.
20 “De quem é esta figura e a inscrição?”, perguntou ele.
21 “De César”, responderam. Ele então lhes disse: “Devolvei, pois, a César o que é de César e a Deus, o que é de Deus”.
22 Ouvindo isto, eles ficaram assombrados e, deixando Jesus, foram embora.  
23 Naquele dia, aproximaram-se dele uns saduceus, os quais afirmam que não há ressurreição. Perguntaram-lhe:
24 “Mestre! Moisés disse: se alguém morrer sem deixar filhos, seu irmão deve se casar com a mulher dele, para dar descendência ao irmão.
25 Ora, havia entre nós sete irmãos. O primeiro era casado, morreu e, como não tivesse filhos, deixou a mulher para o irmão.
26 Do mesmo modo aconteceu com o segundo e o terceiro, até o sétimo.
27 No fim de todos, morreu a mulher.
28 Na ressurreição, a qual dos sete pertencerá a mulher, já que todos a tiveram por esposa?”
29 Jesus lhes respondeu: “Estais errados. Não compreendeis a Escritura, nem o poder de Deus.
30 Na ressurreição não haverá homens e mulheres casando-se, mas serão como anjos no céu.
31 E quanto à ressurreição dos mortos, não lestes o que Deus vos disse:
32 ‘Eu sou o Deus de Abraão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacó’? Ele é Deus não de mortos, mas de vivos”.
33 Ouvindo isso, as multidões se extasiavam com seu ensinamento.  
34 Os fariseus ouviram dizer que Jesus tinha feito calar os saduceus. Então se reuniram,
35 e um deles, um doutor da Lei, perguntou-lhe, para experimentá-lo:
36 “Mestre, qual é o maior mandamento da Lei?”
37 Ele respondeu: “‘Amarás o Senhor, teu Deus, com todo o teu coração, com toda a tua alma e com todo o teu entendimento!’
38 Esse é o maior e o primeiro mandamento.
39 Ora, o segundo lhe é semelhante: ‘Amarás teu próximo como a ti mesmo’.
40 Toda a Lei e os Profetas dependem desses dois mandamentos”.  
41 Estando os fariseus reunidos, Jesus lhes perguntou:
42 “Que pensais sobre o Cristo? De quem ele é filho?” – “De Davi”, responderam.
43 Ele replicou: “Como, então, movido pelo Espírito, Davi o chama de ‘senhor’, quando diz:
44 ‘Disse o Senhor ao meu senhor: Senta-te à minha direita até que eu ponha teus inimigos debaixo dos teus pés’?
45 Se Davi o chama ‘senhor’, como pode ele ser seu filho?”
46 Ninguém conseguia responder-lhe nada. E a partir daquele dia, ninguém mais teve coragem de lhe fazer perguntas.


PUBLICIDADE
Privacy Policy
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal