ENFERMOS - RITUAL ROMANO - CAPÍTULO V - Liturgia Católica Apostólica Romana

Ir para o conteúdo

ENFERMOS - RITUAL ROMANO - CAPÍTULO V

RITUAIS > ENFERMOS
 

CAPÍTULO V

CONFIRMAÇÃO EM PERIGO DE VIDA

 

136Sempre que as circunstâncias o permitam, observe-se o rito inteiro, conforme vem descrito no Pontifical da Confirmação. Urgindo a necessidade, o rito dispõe-se do seguinte modo:

O sacerdote impõe as mãos sobre o doente, dizendo:

Deus todo-poderoso,

Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo,

que, pela água e pelo Espírito Santo,

destes uma vida nova a este vosso servo

e o libertaste do pecado,

enviai sobre ele o Espírito Santo Paráclito;

dai-lhe, Senhor,

o espírito de sabedoria e de inteligência,

o espírito de conselho e de fortaleza,

o espírito de ciência e de piedade,

e enchei-o do espírito do vosso temor.

Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, 

que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

R. Amen.


Depois, humedece o polegar da mão direita no Crisma e traça o sinal da cruz na fronte do doente, dizendo: 

N., Recebe, por este sinal, 

o Espírito Santo, o dom de Deus. 


E o confirmado, se puder, responde: 

Amen. 


Os outros elementos da preparação e da conclusão expostos no Pontifical da Confirmação podem acrescentar-se, em cada caso, tendo em conta as circunstâncias. 


137
Em caso de extrema necessidade, basta que o sacerdote faça a Unção com a fórmula sacramental: 

N., Recebe, por este sinal, 

o Espírito Santo, o dom de Deus.

 
PUBLICIDADE
Voltar para o conteúdo