Tempo do Advento - Diretório Nacional de Liturgia - Liturgia Católica Apostólica Romana

www.liturgiacatolica.com
Ir para o conteúdo

Tempo do Advento - Diretório Nacional de Liturgia

RECURSOS > PODE OU NÃO?
PUBLICIDADE
Tempo do Advento
Toma-se o I volume da Liturgia das Horas.
Nas completas, a partir de hoje, começa a antífona mariana Alma Redemptoris Mater.]

ADVENTO - TEMPO DE VISITA DE DEUS
Tempo para anunciar a salvação de Deus
"Como o sol nasce na aurora, de Maria, nascerá Aquele que a terra seca em jardim converterá."
         O Advento, tempo de expectativa, de esperança e de conversão, está no coração da Igreja missionária e solidária.
- expectativa-memória da primeira e humilde vinda do Senhor em nossa carne mortal;
- expectativa-súplica em vista da última e gloriosa vinda de Cristo, Senhor da história e Juiz universal;
- expectativa dos novos tempos anunciados pelo profeta Isaías e personificado em Maria.
         A Liturgia do Advento convida à conversão pela voz dos profetas, sobretudo de João Batista: Convertei-vos, pois o Reino do Céus está Próximo (Mt 3,2); convida à esperança jubilosa de que a salvação já realizada por Cristo e as realidades da graça já presentes no mundo cheguem a sua maturidade e plenitude, quando a promessa se transformará em posse, a fé em visão e nós seremos semelhantes a Ele e O veremos assim como Ele é (1 Jo 3,2).
Depois da celebração anual do mistério pascal, nada a Igreja tem de maior apreço do que a comemoração do Nascimento do Senhor e das suas primeiras manifestações: o que celebra no tempo do Natal (CB, N.234;CF NALC. N. 32)
   Esta comemoração é preparada pelo tempo do Advento, o qual se reveste de dupla característica: tempo de preparação para as solenidades do Natal, nas quais se recorda a primeira vinda do Filho de Deus ao meio dos homens; e simultaneamente, tempo em que, com esta recordação, os espíritos se dirigem para a expectativa da segunda vinda de Cristo no fim dos tempos. Nesta dulpa perspectiva, o tempo do advento apresenta-se como tempo de devota e jubilosa espera (CB, n. 235; cf.NACL, n.39)

Anotações
1. O órgão e os outros instrumentos musicais devem usar-se, e o altar orna-se com flores, com aquela moderação que convém ao caráter próprio deste tempo, de modo q não antecipar a plena alegria do Natal do Senhor. No Domingo Guadete (3º do Advento), pode-se usar a cor-de-rosa (CB, n. 236).
2. Na celebração do matrimônio, seja dentro ou fora da Missa, dá-se sempre a bênção nupcial; mas admoestem-se os esposos e a se absterem do pompa demasiada.
3. Até o dia 16, inclusive, não se permitem as Missas para diversas circunstâncias, votivas ou cotidianas pelos defuntos, a não ser que a utilidade pastoral o exija (IGMR, n. 333). Mas podem ser celebradas as Missas das memórias que ocorrem, ou dos Santos inscritos no Martirológio nos respectivos dias (IGMR, n. 316b).
4. No 1º Domingo do Advento, começam as leitura dominicais do novo Ano Litúrgico.
Tempo do Natal
O tempo do Natal se estende  desde as I Vésperas do Natal do Senhor até o Domingo após o dia 6 de janeiro (NALC, n. 33).
O Natal do Senhor tem a sua oitava organizada do seguinte modo:
a) no domingo dentro da oitava, ou, em falta dele, no dia 30 de dezembro, celebra-se a festa da Sagrada Família de Jesus, Maria e José;
b) no dia 26 de dezembro, celebra-se a festa de Santo Estêvão, Protomártir;
c) no dia 27 de dezembro, celebra-se a festa de São João, Apóstolo e Evangelista;
d) no dia 28 de dezembro, celebra-se a festa dos Santos Inocentes;
e) os dias 29, 30 e 31 são dias dentro da oitava;
f) no dia 1º de janeiro, oitavo dia do Natal, celebra-se a Solenidade de Santa Maria, Mãe de Deus, na qual se comemora também a imposição do Santíssimo nome de Jesus.(NALC, n. 33).
PUBLICIDADE
Voltar para o conteúdo