V. ADAPTAÇÕES AO MINISTRO - Liturgia Católica Apostólica Romana

- AD MAIOREM DEI GLORIAM -
Ir para o conteúdo
RITUAIS > ENFERMOS

ADAPTAÇÕES QUE COMPETEM 

AO MINISTRO 



40O ministro, tendo presentes as circunstâncias e outras necessidades ou desejos dos doentes e restantes fiéis, pode usar livremente de certas faculdades propostas no rito: 

a) Atenda em primeiro lugar à fadiga dos doentes e às variações do seu estado físico observadas em cada dia ou até em cada hora; por esta razão poderá, se for necessário, abreviar a celebração. 

b) Não havendo fiéis presentes, lembre-se o sacerdote que em si próprio e no doente já está presente a Igreja; por isso, quer antes quer depois da celebração do sacramento, procure mostrar ao doente o amor e o auxílio da comunidade, seja por si mesmo, seja por meio de algum cristão da comunidade local. 

c) Se o doente convalescer depois da Unção, exorte-o oportunamente a que dê as devidas graças ao Senhor pelo beneficio recebido, por exemplo, participando numa Missa de ação de graças, ou de outro modo conveniente. 



41Guarde, pois, na celebração do sacramento, a estrutura do rito, acomodada contudo às circunstâncias de lugares e pessoas. O ato penitencial, segundo as ocasiões, faça-se ao princípio da celebração ou depois da leitura da Sagrada Escritura. Em vez da ação de graças sobre o Óleo, pode fazer, se for conveniente, uma admonição. Deve ter-se isso em conta, principalmente quando o doente se encontra num hospital, e os outros doentes do mesmo local não tomam parte na celebração. 

  
PUBLICIDADE
- Totus Tuus -
Voltar para o conteúdo