VII. Bênçãos da mulher antes ou depois do parto - Liturgia Católica Apostólica Romana

www.liturgiacatolica.com
www.liturgiacatolica.com
Ir para o conteúdo

VII. Bênçãos da mulher antes ou depois do parto

RITUAIS > Bênçãos > PRIMEIRA PARTE

V.  BÊNÇÃOS DA MULHER ANTES OU DEPOIS DO PARTO
 

PRELIMINARES
 
 

215. Abênção antes do parto pode ser dada a uma mulher, principalmente no meio da própria família, ou a várias ao mesmo tempo nas clínicas ou hospitais. Neste caso, as fórmulas serão ditas no plural.
 
 

216. A bênção depois do parto aqui proposta, que se refere ao caso da mulher que não pode participar na celebração do Baptismo do seu filho, é aplicável apenas a uma mulher no singular.
 
 

217. Estes ritos de bênção aqui propostos podem ser utilizados por um sacerdote, um diácono, ou também por um leigo, que podem adaptar a celebração às circunstâncias da mulher e do lugar, conservando sempre a sua estrutura e os seus elementos principais.
 
 

218. Em circunstâncias especiais, o sacerdote ou o diácono podem utilizar as fórmulas breves que adiante se apresentam nos nn. 235 e 257 (pp. 87 e 94)
 


A. BÊNÇÃO DA MULHER ANTES DO PARTO


RITOS INICIAIS

219. Reunida a família ou a comunidade dos fiéis, o ministro diz:
Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.
Todos se benzem e respondem:
Amen.

220. Em seguida, o ministro, se é sacerdote ou diácono, saúda a mulher e os presentes, dizendo:
Jesus Cristo, Filho de Deus,
que Se fez homem no seio da Virgem Santa Maria, esteja convosco.
ou outras palavras apropriadas, de preferência tomadas da Sagrada Escritura.
Todos respondem:
Bendito seja Deus, que nos reuniu no amor de Cristo.
ou de outro modo apropriado.         
  
221. Se o ministro é leigo, saúda a mulher e os presentes, dizendo:
Irmãos, bendigamos Jesus Cristo Nosso Senhor, que Se fez homem no seio da Virgem Santa Maria.
Todos respondem:
Bendito seja Deus para sempre.
ou
Amen.                           
  
222. Então o ministro prepara a mulher e os presentes para receberem a bênção, dizendo estas palavras ou outras semelhantes:

Deus é o Senhor de toda a vida, é Ele quem determina a existência de cada homem e, com a sua providência, dirige e conserva a vida de todos. Nós acreditamos que isto tem aplicação especialmente quando se trata de uma vida nascida do matrimónio cristão, já que essa vida será enriquecida a seu tempo, no sacramento do Baptismo, com o dom da própria vida divina.
 
É isto que se pretende exprimir na bênção da mãe antes do parto, para que a mulher aguarde com sentimentos de e esperança o tempo de dar à luz e, colaborando com o amor de Deus, ame desde já com afecto materno o fruto que traz no seio.


LEITURA DA PALAVRA DE DEUS

223. O leitor ou um dos presentes ou o próprio ministro lê um texto da Sa- grada Escritura.
Lc 1, 39-45: «O menino exultou no seio de sua mãe»
Escutai, irmãos, as palavras do santo Evangelho segundo São Lucas
Naqueles dias, Maria pôs-se a caminho e dirigiu-se apressadamente para a montanha, em direcção a uma cidade de Judá. Entrou em casa de Zacarias e saudou Isabel.
Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, o menino exultou-lhe no seio.
Isabel ficou cheia do Espírito Santo e exclamou em alta voz:
«Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre. Donde me é dado que venha ter comigo a Mãe do meu Senhor? Na verdade, logo que a voz da tua saudação chegou aos meus ouvidos, o menino exultou de alegria no meu seio. Bem-aventurada aquela que acreditou que havia de cumprir-se tudo quanto lhe foi dito da parte do Senhor».
Maria disse então: «A minha alma glorifica o Senhor e o meu espírito se alegra em Deus meu Salvador».

224. Ou
Lc 1, 26-38: «Conceberás e darás à luz um filho»
Lc 2, 1-14: «Maria deu à luz o seu Filho»

225. Conforme as circunstâncias, pode cantar-se ou dizer-se um salmo responsorial ou outro cântico apropriado.
Salmo 32(33), 12.18.20-22 (R. 5b)

R. A terra está cheia da bondade do Senhor.
 
Feliz a nação que tem o Senhor por seu Deus, o povo que Ele escolheu para sua herança.
Os olhos do Senhor estão voltados para os que O temem, para os que esperam na sua bondade. R.

A nossa alma espera o Senhor, Ele é o nosso amparo e protector. N’Ele se alegra o nosso coração,
em seu nome santo pomos a nossa confiança. R.
 
Venha sobre nós a vossa bondade, porque em Vós esperamos, Senhor. R.
 

226. O ministro, conforme as circunstâncias, faz uma breve alocução aos presentes, explicando a leitura bíblica, para que compreendam à luz da fé o significado da celebração.
 

PRECES

227. Segue-se a oração comum. Das invocações que aqui se propõem, o ministro pode escolher as que parecerem mais apropriadas ou acrescentar outras mais directamente relacionadas com as circunstâncias peculiares da mulher ou do momento.

Exaltemos e louvemos a Cristo Nosso Senhor, fruto bendito do ventre de Maria Santíssima, que pelo mistério da sua encarnação, derramou sobre o mundo a graça e a bondade de Deus Pai. Digamos com alegre confiança:
R. Bendito sejais, Senhor, pela vossa bondade e misericórdia.
 
Senhor Jesus Cristo,
que quisestes assumir a nossa condição humana, nascendo de uma mulher,
para que nós recebêssemos a adopção filial divina: R.

Senhor Jesus Cristo,
que não recusastes ser gerado num ventre materno, mas quisestes que se ouvisse a aclamação:
«Bem-aventurado o ventre que Vos trouxe e os peitos que Vos amamentaram»: R.
 
Senhor Jesus Cristo,
que dignificastes o sexo feminino, por meio da Virgem Santa Maria, bendita entre as mulheres: R.

Senhor Jesus Cristo, que, pregado na cruz,
nos destes como Mãe da Igreja
aquela que tínheis escolhido para vossa Mãe: R.

Senhor Jesus Cristo,
que, pelo ministério das mães, dais à Igreja novos filhos, multiplicando e engrandecendo a sua alegria: R.


ORAÇÃO DE BÊNÇÃO

228. Então o ministro se é sacerdote ou diácono, conforme as circunstâncias, estendendo as mãos sobre a mulher ou traçando o sinal da cruz sobre a sua fronte; se é leigo, de mãos juntas diz a oração de bênção:

Senhor Deus, criador do género humano, cujo Filho, pelo poder do Espírito Santo, Se dignou nascer da Virgem Maria,
para redimir e salvar os homens, libertando-os da dívida do antigo pecado,
escutai com bondade as preces desta vossa serva,
que humildemente Vos suplica pela saúde do filho que vai nascer, e concedei-lhe um parto feliz,
para que, entrando seu filho na comunidade dos fiéis, se dedique plenamente ao vosso serviço
e alcance a vida eterna. Por Nosso Senhor.
R. Amen.

 
229. Depois da oração de bênção, o ministro convida todos os presentes a invocar a protecção da Virgem Santa Maria, o que pode ser feito oportunamente pela recitação ou canto da antífona:
À vossa protecção nos acolhemos, Santa Mãe de Deus. Não desprezeis as nossas súplicas nas nossas necessidades, mas livrai-nos de todos os perigos,
ó Virgem gloriosa e bendita.
Em vez desta súplica, podem também dizer-se outras preces: p. ex., a antífona Alma Redemptoris Mater (Santa Mãe do Redentor); ou Ave Maria; ou Salve Regina (Salve, Rainha).

CONCLUSÃO

230. Então o ministro se é sacerdote ou diácono, voltado para a mulher conclui a celebração, dizendo, depois do convite Inclinai-vos para receber a bênção ou outro:

Deus, fonte e origem de toda a vida, te proteja com a sua bondade.
R. Amen.

Ele confirme a tua fé, fortaleça a tua esperança
e aumente cada vez mais a tua caridade.
R. Amen.
 
No momento do parto,
Ele atenda as tuas súplicas
e te conforte com a sua graça.
R. Amen.
 
Em seguida, abençoa todos os presentes, dizendo:

E a vós todos aqui presentes, abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai, Filho ffi e Espírito Santo.
R. Amen.
 
231. Se o ministro é leigo, implora a bênção do Senhor sobre a mulher e todos os presentes, benzendo-se e dizendo:
 
Deus, que pelo parto da Virgem Maria
anunciou e deu ao género humano a alegria da salvação eterna, nos guarde e nos abençoe.
R. Amen.
 
 
B. FORMA BREVE

232. O ministro diz:
V. O nosso auxílio vem do Senhor.
Todos respondem:
R. Que fez o céu e a terra.

233. Um dos presentes ou o próprio ministro um texto da Sagrada Escritura, p. ex.:

Is 44, 3
Derramarei água sobre a terra sequiosa e rios sobre o solo ressequido; derramarei o meu espírito sobre a tua posteridade e a minha bênção sobre a tua descendência.
 
Lc 1, 41-42a
Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, o menino exultou-lhe no seio. Isabel ficou cheia do Espírito Santo e exclamou em alta voz: «Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre».

234. Em seguida, o ministro se é sacerdote ou diácono, com as mãos estendidas sobre a mulher; se é leigo, de mãos juntas
Senhor Deus, criador do género humano, cujo Filho, pelo poder do Espírito Santo, Se dignou nascer da Virgem Maria,
para redimir e salvar os homens, libertando-os da dívida do antigo pecado,

diz a oração de bênção:

escutai com bondade as preces desta vossa serva,
que humildemente Vos suplica pela saúde do filho que vai nascer, e concedei-lhe um parto feliz,
para que, entrando seu filho na comunidade dos fiéis, se dedique plenamente ao vosso serviço
e alcance a vida eterna. Por Nosso Senhor.
R. Amen.
 
FÓRMULA BREVE

235. Conforme as circunstâncias, o sacerdote ou diácono pode utilizar a seguinte fórmula breve de bênção:
Deus, que alegrou o mundo
pelo parto da bem-aventurada Virgem Maria, encha de santa alegria o teu coração
e te conserve incólume juntamente com teu filho. Em nome do Pai e do Filho + e do Espírito Santo.
R. Amen.


 

C. BÊNÇÃO DA MULHER DEPOIS DO PARTO
 

236. A bênção da mulher depois do parto já está incluída no Ritual do Bap- tismo das Crianças12.
 
237. Se a parturiente não pôde participar na celebração do Baptismo do seu filho, é aconselhável utilizar a bênção prevista nesse Ritual, na qual se convida a parturiente e os presentes a dar graças a Deus pelo dom recebido.

RITOS INICIAIS

238. Reunida a família ou a comunidade dos fiéis, o ministro diz:
 
Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.
Todos se benzem e respondem:
Amen.
 
239. Em seguida o ministro, se é sacerdote ou diácono, saúda a mulher e os presentes, dizendo:
 
Cristo, Filho de Deus, que, para nossa salvação,
Se dignou nascer da Virgem Santa Maria, esteja convosco.
ou outras palavras apropriadas, de preferência tomadas da Sagrada Escritura. Todos respondem:
Bendito seja Deus, que nos reuniu no amor de Cristo.
ou de outro modo apropriado.                   
  
240. Se o ministro é leigo, saúda a mulher e os presentes, dizendo:
 
Irmãos, bendigamos a Jesus Cristo Nosso Senhor, que, para nossa salvação,
Se dignou nascer da Virgem Santa Maria.
Todos respondem:
Bendito seja Deus para sempre.
ou
Amen.
 
241. Então o ministro exorta a mulher e todos os presentes para receberem a bênção, dizendo estas palavras ou outras semelhantes:
 
A comunidade cristã já recebeu com grande alegria o filho que deste à luz. Na celebração do seu Baptismo rezámos também por ti, para que, consciente do dom recebido e da responsabilidade que assumiste na Igreja, proclames a grandeza do Senhor com a Virgem Santa Maria. Agora, com muita alegria desejamos tomar parte contigo na acção de graças, invocando sobre ti a bênção de Deus.
 
LEITURA DA PALAVRA DE DEUS
242. O leitor ou um dos presentes ou o próprio ministro um texto da Sagrada Escritura.
 
1 Sam 1, 20-28: «O Senhor ouviu a minha súplica»

Escutai, irmãos, as palavras do Primeiro Livro de Samuel

Naqueles dias, Ana concebeu e, passado o seu tempo, deu à luz um filho, a quem pôs o nome de Samuel, dizendo: «Eu o pedi ao Senhor».
 
Elcana, seu marido, foi ao santuário, com toda a sua família, para oferecer ao Senhor o sacrifício anual e cumprir o seu voto. Mas Ana não foi, dizendo ao marido: «Só irei quando o menino estiver desmamado; então o levarei para o apresentar ao Senhor e lá ficará para sempre».
 
Disse-lhe Elcana, seu marido: «Faz como te parecer melhor; fica até que o tenhas desmamado. E que o Senhor confirme a tua promessa». Ela ficou em casa e aleitou o seu filho, até que o desmamou.
 
Depois de o ter desmamado, tomou-o consigo e, levando um novilho  de três anos, três medidas de farinha e um odre de vinho, conduziu-o à casa do Senhor em Silos. O menino era ainda muito pequeno. Imolaram o touro e apresentaram o menino a Heli.
 
Ana disse-lhe: «Ouve, meu senhor. Por tua vida, eu sou aquela mulher que esteve aqui orando ao Senhor na tua presença. Eis o menino por quem orei: o Senhor ouviu a minha súplica. Portanto, também eu o ofereço para que seja consagrado ao Senhor todos os dias da sua vida». E adoraram o Senhor.
 
243. Ou
 
1 Sam 2, 1-10: Oração de Ana

Lc 1, 67-79: «Bendito seja o Senhor»

244. Conforme as circunstâncias, pode dizer-se ou cantar-se um salmo responsorial ou outro cântico apropriado.
 
Salmo 127(128), 1-5a (R. 3c)
  
R. Os teus filhos serão como rebentos de oliveira ao redor da tua mesa.
  
Feliz de ti, que temes o Senhor e andas nos seus caminhos.
Comerás do trabalho das tuas mãos, serás feliz e tudo te correrá bem. R.

Tua esposa será como videira fecunda, no íntimo do teu lar;
teus filhos como rebentos de oliveira, ao redor da tua mesa. R.

Assim será abençoado o homem que teme o Senhor. De Sião te abençoe o Senhor:
vejas a prosperidade de Jerusalém todos os dias da tua vida, e possas ver os filhos dos teus filhos. R.

244. Depois da leitura, o ministro explica brevemente o texto da Sagrada Escritura, para que a mãe e os presentes dêem graças a Deus pelo dom recebido e para que todos, na medida em que corresponde a cada um, assumam a grande responsabilidade da educação da criança.
 
ACÇÃO DE GRAÇAS
 
245. Segue-se a oração comum de acção de graças. Das invocações aqui propostas, o ministro pode escolher as que parecerem mais apropriadas ou acrescentar outras mais directamente relacionadas com as circunstâncias peculiares da mulher ou do momento.
 
Pela nova vida que floresceu nesta família, dêmos graças ao Senhor, dizendo:
 
R. Nós Vos damos graças, Senhor.
  
Pela felicidade que destes a esta mãe, concedendo-lhe um filho: R. Pela saúde corporal que destes à mãe e ao filho: R.
Pelo sacramento do Baptismo recebido,
pelo qual fizestes desta criança templo do Espírito Santo: R.

Pela serena alegria que derramastes no coração de todos com o nascimento desta criança: R.

Por todos os benefícios que incessantemente nos concedeis, Pai santo: R.
 
246. Em seguida todos cantam ou recitam o Magnificat (n. 1009, pag. 385). Podem também utilizar-se outros hinos que exprimam a acção de graças.
 
ORAÇÃO DE BÊNÇÃO

247. Em seguida o ministro de braços abertos, se é sacerdote ou diácono;
de mãos juntas, se é leigo diz a oração de bênção:
Deus, criador e protector da vida humana,
que Vos dignastes dar a esta vossa serva a alegria da maternidade, recebei benignamente os nossos louvores
e ouvi com bondade as nossas súplicas: Guardai de todo o mal a mãe e o filho,
acompanhai-os sempre nos caminhos desta vida, até que um dia sejam por Vós recebidos
na felicidade da morada celeste. Por Nosso Senhor.
R. Amen.

249. Ou
 
Deus, Pai santo,
de quem descem todas as bênçãos
e para quem sobe a nossa oração quando Vos bendizemos, concedei que esta mãe, confiada na vossa bênção,
se mostre sempre agradecida pelos vossos benefícios e tanto ela como seu filho
se alegrem com a vossa protecção em toda a sua vida. Por Nosso Senhor.
R. Amen.
 
CONCLUSÃO
 
250. Então o celebrante se é sacerdote ou diácono, voltado para a mulher conclui a celebração, dizendo:
 
O Senhor Deus omnipotente,
que te concedeu a alegria da maternidade, Se digne + abençoar-te,
para que, assim como agora Lhe agradeces o dom do teu filho, alcances também com ele a felicidade eterna.
Por Nosso Senhor.
R. Amen.
 
251. Depois do convite Inclinai-vos para receber a bênção ou outro, diz, de braços abertos:
 
O Senhor, fonte e origem de toda a vida, te proteja com a sua bondade.
R. Amen.
 
O Senhor confirme a tua fé, fortaleça a tua esperança
e aumente cada vez mais a tua caridade.
R. Amen.
 
O Senhor conserve o teu filho,
lhe dê a saúde do corpo e a sabedoria do espírito.
R. Amen.

Em seguida abençoa todos os presentes, dizendo:

E a vós todos aqui presentes, abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai, Filho + e Espírito Santo.
R. Amen.
 
252. Se o ministro é leigo, implora a bênção do Senhor para a mulher e todos os presentes, benzendo-se e dizendo:

A misericórdia de Deus Pai omnipotente, a paz de seu Filho Unigénito, Jesus Cristo, a graça e a consolação do Espírito Santo, protejam a vossa vida, para que, vivendo à luz da fé, alcanceis os bens prometidos.
E a todos nos abençoe Deus todo-poderoso, Pai, Filho e Espírito Santo.
R. Amen.                           
  
253. É conveniente terminar a celebração com um cântico apropriado.

D. FORMA BREVE
 
254. O ministro diz:
 
V. Bendito seja o nome do Senhor.
Todos respondem:
R. Agora e para sempre.
 
255. Um dos presentes ou o próprio ministro lê um texto da Sagrada Escri- tura, p.ex.:

1 Sam 1, 27
Eis o menino por quem orei. O Senhor ouviu a minha súplica.

Lc 1, 68-69
Bendito o Senhor Deus de Israel, que visitou e redimiu o seu povo e nos deu um Salvador poderoso na casa de David, seu servo.

1  Tess 5, 18
Dai graças em todas as circunstâncias, pois é esta a vontade de Deus em Cristo Jesus a vosso respeito.
 
256. Em seguida o ministro de braços abertos, se é sacerdote ou diácono;
De mãos juntas, se é leigo diz a oração de bênção:
 
Deus, Pai santo,
de quem descem todas as bênçãos
e para quem sobe a nossa oração quando Vos bendizemos, concedei que esta mãe, confiada na vossa bênção,
se mostre sempre agradecida pelos vossos benefícios e tanto ela como seu filho
se alegrem com a vossa protecção em toda a sua vida. Por Nosso Senhor.
R. Amen.
 
FÓRMULA BREVE
  
257. Conforme as circunstâncias, o sacerdote ou o diácono pode utilizar a seguinte fórmula breve de bênção:
 
O Senhor Deus omnipotente,
que alegrou o mundo com o nascimento temporal de seu Filho, te + abençoe
para que te alegres sempre no Senhor pelo nascimento do teu filho.
R. Amen.


12 Cf. Ritual Romano, Celebração do Baptismo das Crianças, n.105.


PUBLICIDADE
App Liturgia Católica
Voltar para o conteúdo