18º Domingo Do Tempo Comum - Liturgia Diária da Igreja Católica Apostólica Romana

"Fiat Voluntas Tua"
Ir para o conteúdo
MISSAL > LITURGIA DO DIA
Liturgia Diária
1a Leitura - Is 55,1-3

Apressai-vos, e comei!

Leitura do Livro do Profeta Isaías 55, 1-3
Assim diz o Senhor:
1 Ó vós todos que estais com sede, vinde às águas; vós que não tendes dinheiro, apressai-vos, vinde e comei, vinde comprar sem dinheiro, tomar vinho e leite, sem nenhuma paga.
2 Por que gastar dinheiro com outra coisa que não o pão, desperdiçar o salário senão com satisfação completa? Ouvi-me com atenção, e alimentai-vos bem, para deleite e revigoramento do vosso corpo.
3 Inclinai vosso ouvido e vinde a mim, ouvi e tereis vida; farei convosco um pacto eterno, manterei fielmente as graças concedidas a Davi.
Palavra do Senhor.





Salmo - Sl 144,8-9.15-16.17-18 (R.cf.16)


R. Vós abrís a vossa mão e saciais os vossos filhos.


8 Misericórdia e piedade é o Senhor, / ele é amor, é paciência, é compaixão.
9 O Senhor é muito bom para com todos, / sua ternura abraça toda criatura.
R.

15 Todos os olhos, ó Senhor, em vós esperam / e vós lhes dais no tempo certo o alimento;
16 vós abris a vossa mão prodigamente / e saciais todo ser vivo com fartura.
R.

17 É justo o Senhor em seus caminhos, / é santo em toda obra que ele faz.
18 Ele está perto da pessoa que o invoca, / de todo aquele que o invoca lealmente.
R.





2a Leitura - Rm 8,35.37-39

Nenhuma criatura poderá nos separar doamor de Deus manifestado em Cristo.

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos 8, 35. 37-39
Irmãos:
35 Quem nos separará do amor de Cristo? Tribulação? Angústia? Perseguição? Fome? Nudez? Perigo? Espada?
37 Em tudo isso, somos mais que vencedores, graças àquele que nos amou!
38 Tenho a certeza que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os poderes celestiais, nem o presente nem o futuro, nem as forças cósmicas,
39 nem a altura, nem a profundeza, nem outra criatura qualquer, será capaz de nos separar do amor de Deus por nós, manifestado em Cristo Jesus, nosso Senhor.
Palavra do Senhor.





Evangelho - Mt 14,13-21

Todos comeram e ficaram satisfeitos.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus 14, 13-21
Naquele tempo:
13 Quando soube da morte de João Batista, Jesus partiu e foi de barco para um lugar deserto e afastado. Mas quando as multidões souberam disso, saíram das cidades e o seguiram a pé.
14 Ao sair do barco, Jesus viu uma grande multidão. Encheu-se de compaixão por eles e curou os que estavam doentes.
15 Ao entardecer, os discípulos aproximaram-se de Jesus e disseram: 'Este lugar é deserto e a hora já está adiantada. Despede as multidões, para que possam ir aos povoados comprar comida!'
16 Jesus porém lhes disse: 'Eles não precisam ir embora. Dai-lhes vós mesmos de comer!'
17 Os discípulos responderam: 'Só temos aqui cinco pães e dois peixes. '
18 Jesus disse: 'Trazei-os aqui. '
19 Jesus mandou que as multidões se sentassem na grama. Então pegou os cinco pães e os dois peixes, ergueu os olhos para o céu e pronunciou a bênção. Em seguida partiu os pães, e os deu aos discípulos. Os discípulos os distribuiram às multidões.
20 Todos comeram e ficaram satisfeitos, e dos pedaços que sobraram, recolheram ainda doze cestos cheios.
21 E os que haviam comido eram mais ou menos cinco mil homens, sem contar mulheres e crianças.
Palavra da Salvação.





SANTO EUSÉBIO DE VERCELLI, BISPO - SANTORAL





1a Leitura - At 4,32-35

Um só coração e uma só alma

Leitura dos Atos dos Apóstolos4, 32-35
32 A multidão dos fiéis era um só coração e uma só alma. Ninguém considerava como próprias as coisas que possuía, mas tudo entre eles era posto em comum.
33 Com grandes sinais de poder, os apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor Jesus. E os fiéis eram estimados por todos.
34 Entre eles ninguém passava necessidade, pois aqueles que possuíam terras ou casas, vendiam-nas, levavam o dinheiro,
35 e o colocavam aos pés dos apóstolos. Depois, era distribuído conforme a necessidade de cada um.
Palavra do Senhor.





Salmo - Sl 33(34),2-3.4-5.6-7.8-9.10-11 (R. 2a ou 9a)


R. Bendirei o Senhor Deus em todo o tempo!
R. Ou: Provai e vede quão suave é o Senhor!


2 Bendirei o Senhor Deus em todo o tempo, / seu louvor estará sempre em minha boca.
3 Minha alma se gloria no Senhor; / que ouçam os humildes e se alegrem!
R.

4 Comigo engrandecei ao Senhor Deus, / exaltemos todos juntos o seu nome!
5 Todas as vezes que o busquei, ele me ouviu, / e de todos os temores me livrou.
R.
 
6 Contemplai a sua face e alegrai-vos, / e vosso rosto não se cubra de vergonha!
7 Este infeliz gritou a Deus, e foi ouvido, / e o Senhor o libertou de toda angústia.
R.
 
8 O anjo do Senhor vem acampar / ao redor dos que o temem, e os salva.
9 Provai e vede quão suave é o Senhor! / Feliz o homem que tem nele o seu refúgio!
R.
 
10 Respeitai o Senhor Deus, seus santos todos, / porque nada faltará aos que o temem.
11 Os ricos empobrecem, passam fome, / mas aos que buscam o Senhor não falta nada.
R.





Evangelho - Jo 15,1-8

Quem permanecer em mim, e eunele, produz muito fruto

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João 15, 1-8
Naquele tempo, Jesus disse a seus discípulos:
1 'Eu sou a videira verdadeira e meu Pai é o agricultor.
2 Todo ramo que em mim não dá fruto ele o corta; e todo ramo que dá fruto, ele o limpa, para que dê mais fruto ainda.
3 Vós já estais limpos por causa da palavra que eu vos falei.
4 Permanecei em mim e eu permanecerei em vós. Como o ramo não pode dar fruto por si mesmo, se não permanecer na videira, assim também vós não podereis dar fruto, se não permanecerdes em mim.
5 Eu sou a videira e vós os ramos. Aquele que permaneceu em mim, e eu nele, esse produz muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.
6 Quem não permanecer em mim, será lançado fora como um ramo e secará. Tais ramos são recolhidos, lançados no fogo e queimados.
7 Se permanecerdes em mim e minhas palavras permanecerem em vós, pedí o que quiserdes e vós será dado.
8 Nisto meu Pai é glorificado: que deis muito fruto e vos torneis meus discípulos.
Palavra da Salvação.




Mapas Mentais
Reflexão - Padre João Luís Fávero - Campinas (SP)
“O Senhor abre a mão e sacia todo ser vivo”.
Mt 14, 13-21

INCIATIVA CONFIANTE E CRIATIVA.

No banquete da morte, onde estavam presentes os grandes deste mundo, Herodes fez uma promessa a uma menina mimada que instigada pela maldade da mãe, pediu a cabeça do profeta. Foi-lhe entregue numa bandeja. João tinha a missão de converter os corações para acolher Jesus.

Depois vem o banquete da vida, onde os pobres e simples se fazem presentes. Eles procuram Jesus onde quer que Ele vá, uma multidão de doentes e desorientados. Jesus se enche de compaixão; sofre a mesma dor do povo, e busca respostas para tal situação.

Com compaixão, muitos males e sofrimentos seriam resolvidos. Os discípulos preferem a lógica do mundo, pedem que Jesus mande embora a multidão. Cada um tentasse achar a solução, atitude egoísta e individualista.

Jesus propõe um outro caminho, parte da compaixão, a lógica da misericórdia e da partilha. Ele procura envolver todos na solução do problema. Foi apresentado “cinco pães e dois peixes”, o pouco de cada um.

Esse é o esforço da compaixão e da partilha, isso foi o suficiente para alimentar imensa quantidade de pessoas. Todos comeram e ficaram satisfeitos, e ainda houve sobras. Jesus determina que “recolham as sobras”, o que será vital para atender as necessidades dos outros.

Jesus convida a multidão ao banquete, repartindo os pães e peixes que cada um levava consigo. Nós sabemos e gostamos de oferecer o alimento de nossa mesa com a família, parentes e amigos. A mesa de Jesus tem o tamanho do coração dele, e deve ser do tamanho do nosso também. Ela se estende a todos, com comida farta, fruto da partilha e da solidariedade.

Não podemos desistir, com confiança e criatividade, podemos solucionar toda questão com compaixão, criatividade e solidariedade. O envolvimento deve ser amoroso, evitando todo egoísmo e indiferença. Evitando a tendência maléfica do “cada um para si”.

Devemos começar fazendo o que podemos e com o pouco que temos, depois Deus fará o restante, onde o milagre acontecerá. No gesto de Jesus, todos são responsáveis, unindo nossas forças na busca de soluções.

Isso vai garantir pão em todas as mesas (as condições de viver), condição básica que possibilita a vida digna para todos. A omissão e o comodismo estão fora de cogitação. Vamos nos aventurar na alegria do banquete de Jesus, servido a todos.  

Deus abençoe você e sua família.
Um Abraço,
Pe. João Luiz
Reflexão - Frei Rinaldo Stecanella, osm
Bom dia. Deus abençoe sua vida, sua casa, sua família, neste domingo, dia do Senhor!  Estamos vivendo a alegria de um novo mês que apenas está começando, mês vocacional, mês de celebrar a vida e a vocação, o chamado que Deus nos fez. Neste primeiro domingo vamos agradecer o dom do sacerdócio, esse serviço ministerial instituído por Cristo naquela Quinta-Feira Santa para garantir a sua presença sacramental entre nós. Parabéns a todos os meus irmãos sacerdotes que estão se esforçando, neste tempo de pandemia em usar de todas as ferramentas e criatividade para pastorear o seu rebanho levando o alimento espiritual nas casas e famílias.  

Rom 8,35.37-39

Irmãos: Quem poderá separar-nos do amor de Cristo? A tribulação, a angústia, a perseguição, a fome, a nudez, o perigo ou a espada? Mas em tudo isto somos vencedores, graças Àquele que nos amou. Na verdade, eu estou certo de que nem a morte nem a vida, nem os Anjos nem os Principados, nem o presente nem o futuro, nem as Potestades nem a altura nem a profundidade nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que se manifestou em Cristo Jesus, Nosso Senhor.


Com carinho e bençãos
Frei Rinaldo, osm
FEVEREIRO
D
S
T
Q
Q
S
S






1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
Mapas Mentais
- DEDICADO À VIRGEM MARIA -
Voltar para o conteúdo