03/02/20 - SEGUNDA-FEIRA - Liturgia Diária da Igreja Católica Apostólica Romana

"Fiat Voluntas Tua"
Ir para o conteúdo
MISSAL > LITURGIA DO DIA
VATICAN NEWS
Pesquisa rápida
Liturgia Diária

4ª Semana do Tempo Comum

3 de Fevereiro de 2020 - Cor: Verde

 

1ª Leitura - 2Sm 15,13-14.30;16,5-13a

 

Fujamos de Absalão!

Deixai Semei amaldiçoar, conforme a permissão do Senhor.

 

Leitura do Segundo Livro de Samuel 15,13-14.30;16,5-13a

Naqueles dias:

13 Um mensageiro veio dizer a Davi: 'As simpatias de todo o Israel estão com Absalão'.

14 Davi disse aos servos que estavam com ele em Jerusalém: 'Depressa, fujamos, porque, de outro modo, não podemos escapar de Absalão! Apressai-vos em partir, para que não aconteça que ele, chegando, nos apanhe, traga sobre nós a ruína, e passe a cidade ao fio da espada'.

30 Davi caminhava chorando, enquanto subia o monte das Oliveiras, com a cabeça coberta e os pés descalços. E todo o povo que o acompanhava, subia também chorando, com a cabeça coberta. 

16,5 Quando o rei chegou a Baurim, saiu de lá um homem da parentela de Saul, chamado Semei, filho de Gera, que ia proferindo maldições enquanto andava. 

6 Atirava pedras contra Davi e contra todos os servos do rei, embora toda a tropa e todos os homens de elite seguissem agrupados à direita e à esquerda do rei Davi. 

7 Semei amaldiçoava-o, dizendo: 'Vai-te embora! Vai-te embora, homem sanguinário e criminoso! 

8 O Senhor fez cair sobre ti todo o sangue da casa de Saul, cujo trono usurpaste, e entregou o trono a teu filho Absalão. Tu estás entregue à tua própria maldade, porque és um homem sanguinário'. 

9 Então Abisai, filho de Sarvia, disse ao rei: 'Por que há de este cão morto continuar amaldiçoando o senhor, meu rei? Deixa-me passar para lhe cortar a cabeça'. 

10 Mas o rei respondeu: 'Não te intrometas, filho de Sarvia! Se ele amaldiçoa e se o Senhor o mandou maldizer a Davi, quem poderia dizer-lhe: 'Por que fazes isto?'. 

11 E Davi disse a Abisai e a todos os seus servos: 'Vede: Se meu filho, que saiu das minhas entranhas, atenta contra a minha vida, com mais razão esse filho de Benjamim. Deixai-o amaldiçoar, conforme a permissão do Senhor. 

12 Talvez o Senhor leve em conta a minha miséria, restituindo-me a ventura em lugar da maldição de hoje'. 

13a E Davi e seus homens seguiram adiante. 

Palavra do Senhor.




 

Salmo - Sl 3,2-3. 4-5. 6-7 (R. 7b)

 

R. Levantai-vos, ó Senhor, vinde salvar-me!

 

2 Quão numerosos, ó Senhor, os que me atacam; *
quanta gente se levanta contra mim!
3 Muitos dizem, comentando a meu respeito: *
'Ele não acha a salvação junto de Deus!'
R.

 

4 Mas sois vós o meu escudo protetor, *
a minha glória que levanta minha cabeça!
5 Quando eu chamei em alta voz pelo Senhor, *
do Monte santo ele me ouviu e respondeu.
R.

 

6 Eu me deito e adormeço bem tranqüilo; *
acordo em paz, pois o Senhor é meu sustento.
7 Não terei medo de milhares que me cerquem *
e furiosos se levantem contra mim.
R.




 

Evangelho - Mc 5,1-20

 

Espírito impuro, sai desse homem!

 

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos 5,1-20

Naquele tempo:

1 Jesus e seus discípulos chegaram à outra margem do mar, na região dos gerasenos.

2 Logo que saiu da barca, um homem possuído por um espírito impuro, saindo de um cemitério, foi ao seu encontro. 

3 Esse homem morava no meio dos túmulos e ninguém conseguia amarrá-lo, nem mesmo com correntes. 

4 Muitas vezes tinha sido amarrado com algemas e correntes, mas ele arrebentava as correntes e quebrava as algemas. E ninguém era capaz de dominá-lo.

 5 Dia e noite ele vagava entre os túmulos e pelos montes, gritando e ferindo-se com pedras. 

6 Vendo Jesus de longe, o endemoninhado correu, caiu de joelhos diante dele 

7 e gritou bem alto: 'Que tens a ver comigo, Jesus, Filho do Deus altíssimo? Eu te conjuro por Deus, não me atormentes!' 

8 Com efeito, Jesus lhe dizia: 'Espírito impuro, sai desse homem!' 

9 Então Jesus perguntou: 'Qual é o teu nome?' O homem respondeu: 'Meu nome é 'Legião', porque somos muitos.' 

10 E pedia com insistência para que Jesus não o expulsasse da região. 

11 Havia aí perto uma grande manada de porcos, pastando na montanha. 

12 O espírito impuro suplicou, então: 'Manda-nos para os porcos, para que entremos neles.'

13 Jesus permitiu. Os espíritos impuros saíram do homem e entraram nos porcos. E toda a manada - mais ou menos uns dois mil porcos - atirou-se monte abaixo para dentro do mar, onde se afogou. 

14 Os homens que guardavam os porcos saíram correndo e espalharam a notícia na cidade e nos campos. E as pessoas foram ver o que havia acontecido. 

15 Elas foram até Jesus e viram o endemoninhado sentado, vestido e no seu perfeito juízo, aquele mesmo que antes estava possuído pela Legião. E ficaram com medo. 

16 Os que tinham presenciado o fato explicaram-lhes o que havia acontecido com o endemoninhado e com os porcos. 

17 Então começaram a pedir que Jesus fosse embora da região deles. 

18 Enquanto Jesus entrava de novo na barca, o homem que tinha sido endemoninhado pediu-lhe que o deixasse ficar com ele. 

19 Jesus, porém, não permitiu. Entretanto, lhe disse: 'Vai para casa, para junto dos teus e anuncia-lhes tudo o que o Senhor, em sua misericórdia, fez por ti.' 

20 Então o homem foi embora e começou a pregar na Decápole tudo o que Jesus tinha feito por ele. E todos ficavam admirados.

Palavra da Salvação.




 
Reflexão - Padre João Luís Fávero - Campinas (SP)

“Levantai-vos, ó Senhor, vinde salvar-me!”
Mc 5, 1-20


Em detalhes o evangelista mostra a triste situação deste homem. Ele estava possuído por um espírito impuro, viva no cemitério, entre os túmulos, lugar de morte e da solidão.

Este homem atormentado, se feria com as pedras e recusava qualquer tipo de socorro. Prendiam-no como se prende um animal, mas ele escapava e fugia.

Seu encontro com Jesus é cheio de contrastes. Ele quer ser libertado, mas as forças interiores resistem a graça. Eram as forças do mal que o faziam escravo de si mesmo.

Jesus, movido pelo Espírito Santo que exerce seu poder sobre as forças do mal e da natureza, manda também nos espíritos impuros. Jesus o liberta e o prepara para viver uma vida sensata de prática da misericórdia.

E expulsão deste espirito impuro representa a vitória de Jesus sobre o mal e a maldade. Jesus veio para libertar o homem do pecado e de todas as consequências do pecado.

A narrativa do evangelho descreve a espetacular transformação na vida do homem que estava possuído. Quem era antissocial tornou-se anunciador das maravilhas operadas por Jesus. O desconhecido tornou-se evangelizador.

Rezemos: Senhor, tira de mim tudo o que me impede de ser livre. Quer ser um anunciador do Evangelho e das maravilhas de Deus entre os irmãos.


São Brás, protetor da garganta rogai por nós.

Por intercessão de São Brás, Bispo e Mártir, livra-te Deus de todos os males da garganta e de qualquer outra doença. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.
Reflexão - Frei Rinaldo Stecanella, osm
Bom dia. Deus abençoe sua vida nessa fascinante jornada de segunda que já chegou. Hoje, recordamos São Brás, invocado diante das doenças da garganta. Que seu dia seja muito especial repleto de muitas bençãos e graças. Ótima segunda e que São Brás interceda por todos nós, em especial aos que sofrem de algum problema de garganta!
Eu agradeço vosso amor, vossa verdade,/ porque fizestes muito mais que prometestes;/ no dia, em que vos invoquei vós me escutastes/ e aumentastes o vigor da minha vida! (Salmo 137)

Com carinho e bençãos
Frei Rinaldo, osm

Destaque do dia
Sobre São Brás

São Brás (c. 264 — c. 316) foi um mártir, bispo e santo católico que viveu entre o séculos III e IV na Armênia.
Ficou conhecido porque retirou, após uma breve oração, um espinho da garganta de uma criança. Por esse motivo, é padroeiro das doenças da garganta e, no dia de sua celebração a 3 de fevereiro, as mães costumam levar os filhos para benzerem a garganta.

Foi capturado pelos romanos e decapitado no ano 316, sendo enterrado na cidade de Sebaste.

Seu culto se expandiu, tanto no Oriente quanto no Ocidente, a partir do século VIII, invocando-se suas bênçãos para doentes e animais por associação aos milagres que lhe foram atribuídos. Seus emblemas são um rastelo (ancinho) ou duas velas cruzadas.

É também conhecido como o santo patrono dos trabalhadores da lã. Na igreja latina, sua festa ocorre em 3 de fevereiro, nas igrejas orientais, seu dia é comemorado em 11 de fevereiro.
- DEDICADO À VIRGEM MARIA -
Voltar para o conteúdo