27º Domingo Do Tempo Comum - Liturgia Diária da Igreja Católica Apostólica Romana

"Fiat Voluntas Tua"
Ir para o conteúdo
MISSAL > LITURGIA DO DIA
Liturgia de Hoje
27º Domingo Do Tempo Comum
4 de Outubro de 2020
Cor: Verde





1ª Leitura - Is 5,1-7

A vinha do Senhor dos exércitos é a casa de Israel.

Leitura do Livro do Profeta Isaías 5,1-7

1 Vou cantar para o meu amado o cântico da vinha de um amigo meu: Um amigo meu possuía uma vinha em fértil encosta.

2 Cercou-a, limpou-a de pedras, plantou videiras escolhidas, edificou uma torre no meio e construiu um lagar; esperava que ela produzisse uvas boas, mas produziu uvas selvagens.

3 Agora, habitantes de Jerusalém e cidadãos de Judá, julgai a minha situação e a de minha vinha.

4 O que poderia eu ter feito a mais por minha vinha e não fiz? Eu contava com uvas de verdade, mas por que produziu ela uvas selvagens?

5 Pois agora vou mostrar-vos o que farei com minha vinha: vou desmanchar a cerca, e ela será devastada; vou derrubar o muro, e ela será pisoteada.

6 Vou deixá-la inculta e selvagem: ela não terá poda nem lavra, espinhos e sarças tomarão conta dela; não deixarei as nuvens derramar a chuva sobre ela.

7 Pois bem, a vinha do Senhor dos exércitos é a casa de Israel, e o povo de Judá, sua dileta plantação; eu esperava deles frutos de justiça - e eis injustiça; esperava obras de bondade - e eis iniqüidade.

Palavra do Senhor.





Salmo - Sl 79,9.12.13-14.15-16.19-20 (R. Is 5,7a)


R. A vinha do Senhor é a casa de Israel.


9 Arrancastes do Egito esta videira,*
e expulsastes as nações para plantá-la;
12 até o mar se estenderam seus sarmentos,*
até o rio os seus rebentos se espalharam.
R.


13 Por que razão vós destruístes sua cerca,*
para que todos os passantes a vindimem,
14 o javali da mata virgem a devaste,*
e os animais do descampado nela pastem?
R.


15 Voltai-vos para nós, Deus do universo!
Olhai dos altos céus e observai.*
Visitai a vossa vinha e protegei-a!
16 Foi a vossa mão direita que a plantou;*
protegei-a, e ao rebento que firmastes!
R.


19 E nunca mais vos deixaremos, Senhor Deus!*
Dai-nos vida, e louvaremos vosso nome!
20 Convertei-nos, ó Senhor Deus do universo,
e sobre nós iluminai a vossa face!*
Se voltardes para nós, seremos salvos!
R.





2ª Leitura - Fl 4,6-9


Praticai o que aprendestes e o
Deus da paz estará convosco.


Leitura da Carta de São Paulo aos Filipenses 4,6-9

Irmãos:

6 Não vos inquieteis com coisa alguma, mas apresentai as vossas necessidades a Deus, em orações e súplicas, acompanhadas de ação de graças.

7 E a paz de Deus, que ultrapassa todo o entendimento, guardará os vossos corações e pensamento em Cristo Jesus.

8 Quanto ao mais, irmãos, ocupai-vos com tudo o que é verdadeiro, respeitável, justo, puro, amável, honroso, tudo o que é virtude ou de qualquer modo mereça louvor.

9 Praticai o que aprendestes e recebestes de mim, ou que de mim vistes e ouvistes. Assim o Deus da paz estará convosco.

Palavra do Senhor.





Evangelho - Mt 21,33-43


Arrendou a vinha a outros vinhateiros.


+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus 21,33-43

Naquele tempo, Jesus disse aos sumos sacerdotes
e aos anciãos do povo:


33 Escutai esta outra parábola: Certo proprietário plantou uma vinha, pôs uma cerca em volta, fez nela um lagar para esmagar as uvas e construiu uma torre de guarda. Depois arrendou-a a vinhateiros, e viajou para o estrangeiro.

34 Quando chegou o tempo da colheita, o proprietário mandou seus empregados aos vinhateiros para receber seus frutos.

35 Os vinhateiros, porém, agarraram os empregados, espancaram a um, mataram a outro, e ao terceiro apedrejaram.

36 O proprietário mandou de novo outros empregados, em maior número do que os primeiros. Mas eles os trataram da mesma forma.

37 Finalmente, o proprietário, enviou-lhes o seu filho, pensando: `Ao meu filho eles vão respeitar'.

38 Os vinhateiros, porém, ao verem o filho, disseram entre si: `Este é o herdeiro. Vinde, vamos matá-lo e tomar posse da sua herança!'

39 Então agarraram o filho, jogaram-no para fora da vinha e o mataram.

40 Pois bem, quando o dono da vinha voltar, o que fará com esses vinhateiros?'

41 Os sumos sacerdotes e os anciãos do povo responderam: 'Com certeza mandará matar de modo violento esses perversos e arrendará a vinha a outros vinhateiros,
que lhe entregarão os frutos no tempo certo.'

42 Então Jesus lhes disse: 'Vós nunca lestes nas Escrituras: `a pedra que os construtores rejeitaram tornou-se a pedra angular; isto foi feito pelo Senhor e é maravilhoso aos nossos olhos'?

43 Por isso eu vos digo: o Reino de Deus vos será tirado e será entregue a um povo que produzirá frutos.

Palavra da Salvação.


FONTE: YOUTUBE
FONTE: YOUTUBE
FONTE: YOUTUBE
FONTE: YOUTUBE
Reflexão - Pe. João Luís Fávero
“Deus dos Exércitos, nos restaura”.
Mt 21, 33-43

UM POVO QUE PRODUZ FRUTO

Jesus defrontou-se com a dureza de coração de muitos ouvintes. E identificou na atitude deles traços de um comportamento persistente ao longo da história do povo de Israel. São pessoas a quem Deus demonstra carinho, porém, são incapazes de corresponder ao amor recebido, sendo misericordiosos com o próximo.

O Tema da rejeição de Jesus, vem expresso, por meio da parábola da vinha e a reação dos vinhateiros. O proprietário da vinha é Deus, Senhor de toda a terra. Fez altos investimentos na sua vinha, isto é, junto ao povo de Israel e a suas lideranças, na expectativa de garantir uma produção abundante e de qualidade.

Os agricultores da vinha são os chefes do povo judeu. O produto é o modo de viver agradável a Deus. A colheita é o tempo de prestação de contas, o julgamento. Os servos rejeitados são os profetas. O filho é Jesus, que foi crucificado, quanta rejeição!

O tempo de Jesus devia ser a ocasião para as colheitas abundantes (Reino de Deus, acontecendo entre nós), mas Israel, a vinha do Senhor e seus vinhateiros não souberam acolher Jesus. Por isso o Reino agora, se estende a todos os povos que devem formar a Igreja da qual Jesus é a Pedra Fundamental.

O discípulo consciente reconhece a necessidade de produzir os frutos que Deus aprecia: a justiça, o amor ao próximo e a misericórdia e esforça-se para garantir um testemunho coerente. É inaceitável uma Igreja que não produza frutos! Nosso cristianismo não pode ser estéril. Deus espera de nós um cuidado maior com a sua vinha e uma colheita abundante.

Rezemos: Senhor, torna minha vida mais frutuosa, como uma resposta ao carinho que tens para comigo, capacitando-me para a prática da misericórdia e do perdão, da justiça e do amor.  

Hoje Celebramos o segundo dia da Novena de Nossa Aparecida: “Com Maria viver a fé, à luz da Palavra”. Diante das dificuldades da vida levantamos os olhos para o céu, estendendo as mãos e abrindo o coração, suplicando a ajuda do Senhor. Do céu vem nossa esperança. E Maria, revestida da Palavra, que ressoa a alegria de Deus e se encarna no meio da humanidade. Queremos aprender com ela, acolher em nosso ser, o gosto da Palavra, revestindo-se da ternura divina e da coragem de servir, dialogar e anunciar com a vida a Alegria do Evangelho.

 
Deus abençoe você e sua família.
Um Abraço,
Pe. João Luiz





“Lembrai sempre as maravilhas do Senhor.”
Mt 21, 33-43.45-46

A vinha é uma figura familiar aos chefes dos sacerdotes e anciãos, refere-se ao Povo de Israel. Em poucas palavras, Jesus resume a história da salvação e mostra que os dirigentes não governaram o povo conforme os planos de Deus. Não produziram as boas obras, eliminaram os profetas e mataram o Messias.

A pergunta de Jesus é crucial: Quando o dono da vinha vier, o que fará com esses agricultores?

Ao responder os chefes pronunciam a sentença sobre si próprios: morte para esses “malvados” e a entrega da vinha a “outros agricultores” que produzam frutos.

O Israel que rejeitou o Filho de Deus enviado, foi substituído pelo novo Israel, formado pelos discípulos do Reino e por quem se dispõe a produzir os frutos esperado por Deus.

A Vinha é dada por Deus em função da vida. A vinha não foi dada para o consumismo, mas para a vida; não para que uns poucos se apropriem dela como donos, mas para todos abrigar e alimentar; ela não é um campo para a violência e a guerra, mas para a convivência fraterna, a solidariedade e a partilha.

Somente a vivência dessa relação que o ser humano deve estabelecer com a vinha possibilitará novas relações sociais e ambientais, um novo tempo de paz e justiça. O ser humano é chamado a trabalhar com o criador no cuidado da vinha, para que ela seja fecunda e alimente a alegria de todos.

Rezemos: Ajuda-nos a estabelecer essa nova relação em nossa vida, aprendendo a ser mais humano, fraterno e solidário.

Deus abençoe você e sua família.
Um abraço,
Pe. João Luiz


NOVENA A NOSSA SENHORA APARECIDA - 2º DIA


Oração Inicial

Meu Deus, vinde em meu auxílio.

Senhor, apressai-vos em me socorrer.



Oração ao Divino Espírito Santo

Vinde, Espírito Santo! Enchei os corações dos Vossos fiéis e acendei neles o fogo do Vosso amor. Enviai o Vosso Espírito, e tudo será criado. E renovareis a face da Terra. Deus, que instruístes os corações dos Vossos fiéis com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas segundo o mesmo Espírito e gozemos sempre da Sua consolação. Por Cristo, Senhor Nosso.



Oração para todos os dias

Virgem puríssima, concebida sem pecado, e desde aquele primeiro instante toda bela e sem mancha, gloriosa Maria, cheia de graça, Mãe de meu Deus, Rainha dos anjos e dos homens: eu vos saúdo humildemente como Mãe do meu Salvador, que com aquela estima, respeito e submissão, com que vos tratava, me ensinou quais sejam as honras e a veneração que eu devo prestar-vos; dignai-vos, eu vô-lo rogo, de receber as que nesta Novena vos consagro. Vós sois o seguro asilo dos pecadores penitentes, e assim tenho razão para recorrer a vós; sois Mãe de misericórdia, e por este título não podeis deixar de enternecer-vos à vista das minhas misérias; sois depois de Jesus Cristo toda a minha esperança, e por esta razão não podereis deixar de reconhecer a terna confiança que tenho em vós; fazei-me digno de chamar-me vosso filho, para que possa confiadamente dizer-vos: mostrai que sois nossa Mãe!


Segundo Dia

Ó Maria, lírio imaculado de pureza, eu me congratulo convosco, porque desde o primeiro instante da vossa Conceição fostes cheia de graça e além disto vos foi conferido o perfeito uso da razão. Dou graças e adoro a Santíssima Trindade, que vos concedeu tão sublimes dons; e me confundo totalmente na vossa presença ao ver-me tão pobre de graça. Vós, que de graça celeste fostes tão copiosamente enriquecida, reparti-a com a minha alma e fazei-me participante dos tesouros que começastes a possuir em vossa imaculada Conceição.



Jaculatória (ao final todos os dias)

Senhora Aparecida, milagrosa Padroeira, sede nossa guia nesta mortal carreira! Ó Virgem Aparecida, sacrário do Redendor, daí à alma desfalecida vosso poder e valor. Ó Virgem Aparecida, fiel e seguro norte, alcançai-nos graças na vida, favorecei-nos na morte!

Pai Nosso,
Ave-Maria,
Glória.



CONSAGRAÇÃO A NOSSA SENHORA APARECIDA


Ó Maria Santíssima, pelos méritos de Nosso Senhor Jesus Cristo, em vossa querida imagem de Aparecida, espalhais inúmeros benefícios sobre todo o Brasil.

Eu, embora indigno de pertencer ao número de vossos filhos e filhas, mas cheio do desejo de participar dos benefícios de vossa misericórdia, prostrado a vossos pés, consagro-vos o meu entendimento, para que sempre pense no amor que mereceis; consagro-vos a minha língua para que sempre vos louve e propague a vossa devoção; consagro-vos o meu coração, para que, depois de Deus, vos ame sobre todas as coisas. Recebei-me, ó Rainha incomparável, vós que o Cristo crucificado deu-nos por Mãe, no ditoso número de vossos filhos e filhas; acolhei-me debaixo de vossa proteção; socorrei-me em todas as minhas necessidades, espirituais e temporais, sobretudo na hora de minha morte. Abençoai-me, ó celestial cooperadora, e com vossa poderosa intercessão, fortalecei-me em minha fraqueza, a fim de que, servindo-vos fielmente nesta vida,possa louvar-vos, amar-vos e dar-vos graças no céu, por toda eternidade.

Amém.




ORAÇÃO A NOSSA SENHORA APARECIDA PEDINDO PROTEÇÃO


Ó incomparável Senhora da Conceição Aparecida,
Mãe de Deus, Rainha dos Anjos,
Advogada dos pecadores,
refúgio e consolação dos aflitos e atribulados,

Virgem Santíssima,
cheia de poder e de bondade,
lançai sobre nós um olhar favorável,
para que sejamos socorridos por vós,
em todas as necessidades em que nos acharmos.

Lembrai-vos, ó clementíssima Mãe Aparecida,
que nunca se ouviu dizer
que algum daqueles que têm a vós recorrido,
invocado vosso santíssimo nome
e implorado a vossa singular protecção,
fosse por vós abandonado.

Animados com esta confiança,
a vós recorremos.

Tomamo-vos para sempre por nossa Mãe,
nossa protectora, consolação e guia,
esperança e luz na hora da morte.

Livrai-nos de tudo o que possa ofender-vos
e ao vosso Santíssimo Filho, Jesus.
Preservai-nos de todos os perigos
da alma e do corpo;
dirigi-nos em todos os assuntos espirituais e temporais.

Livrai-nos da tentação do demónio,
para que, trilhando o caminho da virtude,
possamos um dia ver-vos e amar-vos
na eterna glória, por todos os séculos dos séculos.

Amém.


- DEDICADO À VIRGEM MARIA -
Voltar para o conteúdo