06/02/20 - QUINTA-FEIRA - Liturgia Diária da Igreja Católica Apostólica Romana

"Fiat Voluntas Tua"
Ir para o conteúdo
MISSAL > LITURGIA DO DIA
Pesquisa rápida
Liturgia Diária
 

4ª SEMANA - TEMPO COMUM

COR: VERMELHO





 

1a Leitura - 1Rs 2,1-4.10-12

 

Vou seguir o caminho de todos os mortais. Sê corajoso, Salomão, e porta-te como um homem.

 

Leitura do Primeiro Livro dos Reis 2, 1-4. 10-12

1 Aproximando-se o fim da sua vida, Davi deu estas instruções a seu filho Salomão: 

2 'Vou seguir o caminho de todos os mortais. Sê corajoso e porta-te como um homem. 

3 Observa os preceitos do Senhor, teu Deus, andando em seus caminhos, observando seus estatutos, seus mandamentos, seus preceitos e seus ensinamentos, como estão escritos na lei de Moisés. E assim serás bem sucedido em tudo o que fizeres e em todos os teus projetos. 

4 Então o Senhor cumprirá a promessa que me fez, dizendo: 'Se teus filhos conservarem uma boa conduta, caminhando com lealdade diante de mim, com todo o seu coração e com toda a sua alma, jamais te faltará um sucessor no trono de Israel`'. 

10 E Davi adormeceu com seus pais e foi sepultado na cidade de Davi. 

11 O tempo que Davi reinou em Israel foi de quarenta anos: sete anos em Hebron e trinta e três em Jerusalém. 

12 Salomão sucedeu no trono a seu pai Davi e seu reino ficou solidamente estabelecido.

Palavra do Senhor.





 

Salmo - 1Cr 29,10. 11ab. 11d-12a. 12bcd (R. 12b)

 

R. Dominais todos os povos, ó Senhor.

 

10 Bendito sejais vós, ó Senhor Deus, / Senhor Deus de Israel, o nosso pai. / desde sempre e por toda a eternidade!

R.

 

11a A Vós pertencem a grandeza e o poder   11b toda a glória, esplendor e majestade,

R.

 

11d A vós, Senhor, também pertence a realeza, / pois sobre a terra, como rei, vos elevais!  12a Toda glória e riqueza vêm de vós!

R.

 

12b Sois o Senhor e dominais o universo,  12c em vossa mão se encontra a força e o poder,  12d em vossa mão tudo se afirma e tudo cresce!

R.





 

Evangelho - Mc 6,7-13

 

Começou a enviá-los.

 

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos 6, 7-13

Naquele tempo: 

7 Jesus chamou os doze, e começou a enviá-los dois a dois, dando-lhes poder sobre os espíritos impuros. 

8 Recomendou-lhes que não levassem nada para o caminho, a não ser um cajado; nem pão, nem sacola, nem dinheiro na cintura. 

9 Mandou que andassem de sandálias e que não levassem duas túnicas. 

10 E Jesus disse ainda: 'Quando entrardes numa casa, ficai ali até vossa partida. 

11 Se em algum lugar não vos receberem, nem quiserem vos escutar, quando sairdes, sacudi a poeira dos pés, como testemunho contra eles!'

12 Então os doze partiram e pregaram que todos se convertessem. 

13 Expulsavam muitos demônios e curavam numerosos doentes, ungindo-os com óleo.

Palavra da Salvação.






 

SANTOS PAULO MIKI, E COMPANHEIROS, MÁRTIRES - SANTORAL

 

1a Leitura - Gl 2,19-20

 

Eu vivo, mas não eu, é Cristo que vive em mim.

 

Leitura da Carta de São Paulo aos Gálatas 2, 19-20

Irmãos: 

19 Foi em virtude da Lei que eu morri para a Lei, a fim de viver para Deus. Com Cristo, eu fui pregado na cruz. 

20 Eu vivo, mas não eu, é Cristo que vive em mim. Esta minha vida presente, na carne, eu a vivo na fé, crendo no Filho de Deus, que me amou e por mim se entregou.

Palavra do Senhor.





 

Salmo - Sl 125(126),1-2ab.2cd-3.4-5.6 (R.5)

 

R.Os que lançam as sementes entre lágrimas, ceifarão com alegria.

 

1 Quando o Senhor reconduziu nossos cativos, / parecíamos sonhar;  2a encheu-se de sorriso nossa boca, /  2b nossos lábios, de canções.

R.

 

2c Entre os gentios se dizia: 'Maravilhas  2d fez com eles o Senhor!'  3 Sim, maravilhas fez conosco o Senhor, / exultemos de alegria!

R.

 

4 Mudai a nossa sorte, ó Senhor, / como torrentes no deserto.  5 Os que lançam as sementes entre lágrimas, / ceifarão com alegria.

R.

 

6 Chorando de tristeza sairão, / espalhando suas sementes; / cantando de alegria voltarão, / carregando os seus feixes!

R.





 

Evangelho - Mt 28,16-20

 

Toda a autoridade me foi dadano céu e sobre a terra.

 

Conclusão do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus 28, 16-20

Naquele tempo: 

16 Os onze discípulos foram para a Galiléia, ao monte que Jesus lhes tinha indicado. 

17 Quando viram Jesus, prostraram-se diante dele. Ainda assim alguns duvidaram. 

18 Então Jesus aproximou-se e falou: 'Toda a autoridade me foi dada no céu e sobre a terra. 

19 Portanto, ide e fazei discípulos meus todos os povos, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, 

20 e ensinando-os a observar tudo o que vos ordenei! Eis que eu estarei convosco todos os dias, até ao fim do mundo'.

Palavra da Salvação.





 
Reflexão - Padre João Luís Fávero - Campinas (SP)

“Dominais todos os povos, ó Senhor!”
Mc 6, 7-13

Jesus decide enviar em missão os discípulos e dá-lhes poder de expulsar os espíritos impuros. São enviados dois a dois, isso dá uma autoridade maior à palavra anunciada. O testemunho de duas pessoas tem uma confirmação jurídica.

Os discípulos partem com o poder do Espírito Santo, a fim de provocar radical mudança na sociedade.

A bagagem é sóbria, apenas o necessário para vestir e proteger os pés. O alimento deve provir da hospitalidade de quem os acolhe.

Os missionários não devem preocupar-se com a simplicidade dos meios, mas devem respeitar a liberdade dos que recebem a mensagem. Nada de ficar “batendo em ferro frio”, isto é, pregando a quem se recusa a ouvir a mensagem cristã.

Diante da recusa, “saiam e sacudam o pó dos pés”. É um gesto de acusação, como a dizer: andei por aqui e anunciei o projeto de Deus, revelado por Jesus; fiz a minha parte...

Os discípulos cumprem as orientações de Jesus e confirmam sua pregação com ações concretas e benfazejas “expulsam muitos demônios e ungiam muitos doentes com óleo, e os curavam”.
Somos também convocados e enviados em missão. E o que fazemos concretamente em vista de transformar a sociedade em que vivemos?

Rezemos: Senhor, dá-me a consciência de ser discípulo missionário, um coração desapegado e a coragem de testemunhar a alegria do evangelho e os seus benefícios a todos.

Deus abençoe você e sua família.

Pe. João Luiz
Reflexão - Frei Rinaldo Stecanella, osm
Bom dia. Deus abençoe sua preciosa vida nesta quinta-feira que já se iniciou! Que seja um dia repleto de boas notícias, muitas bençãos, paz, alegrias e vitórias.
Agradeça a Deus o dom da sua vida, levante a cabeça e siga em frente com coragem na certeza que Deus caminha do seu lado e ilumina os seus passos.

“Quando clamei, tu me respondeste; deste-me força e coragem.” (Salmos 138:3)

Com carinho e bençãos
Frei Rinaldo, osm
Destaque do dia


SANTA DOROTEIA, VIRGEM E MÁRTIR

Doroteia era uma jovem que, no final do século III, viveu em Cesareia, na Capadócia, uma região da Ásia Menor, onde florescia uma das primeiras comunidades cristãs. Ao abraçar a fé no Senhor, desde pequena distinguiu-se pelo longo tempo que passava em oração, pelo sacrifício do jejum e pelas obras de caridade com o próximo.


A perseguição de Saprício

Naquela época, a Cesareia estava sob o comando do pretor Saprício, perseguidor dos cristãos. Tendo sido informado da fama de Doroteia, mandou prendê-la, obrigando-a a oferecer sacrifícios aos deuses. Apesar das ameaças de ser lançada na fogueira, a jovem permaneceu firme na sua decisão de não abjurar à sua fé. Então, Saprício a confiou a outras duas jovens, Crista e Calista, que, antes dela, haviam renunciado a Jesus para salvar suas vidas. A ideia do perseguidor, porém, deu êxito contrário: Doroteia converteu as duas jovens ao cristianismo. Assim, ambas as donzelas sofreram o martírio antes dela.


O milagre da cesta de maçãs e rosas

Ao ser conduzida ao patíbulo, Doroteia manteve a promessa, que havia feito, muito tempo antes, ao juiz Teófilo que, durante a sentença de condenação à morte por decapitação, a desafiou dizendo: "Envie-me maçãs e rosas do paraíso". Então, pouco antes de ser assassinada, o juiz viu um anjo que, em pleno inverno, lhe entregou uma cesta com três rosas e três maçãs. Imediatamente, ele também acreditou.


O poder da conversão

Como havia acontecido com Crista e Calista, a grande fé de Doroteia, sustentada por um evento prodigioso, levou ao Senhor outra alma: a de Teófilo, que, por sua profissão de fé, também foi condenado à morte. De fato, a sua memória litúrgica está associada à de Santa Doroteia, no mesmo dia 6 de fevereiro.





SS. PAULO MIKI PRESBÍTERO E COMPANHEIROS, MÁRTIRES JAPONESES


São Paulo Miki tem muitas primazias: além de ser o primeiro mártir cristão japonês do Japão - e não um missionário estrangeiro - também teve a primazia de ter sido o primeiro religioso nativo do País do Sol Nascente, embora não tenha conseguido ser ordenado sacerdote, devido à falta de um Bispo.

Paulo nasceu em Kyoto, capital cultural do arquipélago, em 1556, provavelmente em uma família convertida por São Francisco Xavier, que, em 1550, transcorreu dois anos no país, para aonde levou, pela primeira vez, a Companhia de Jesus. Trinta anos depois, a comunidade cristã local já contava 200 mil fiéis.


Um dos primeiros cristãos do Japão

Aos cinco anos de idade, Paulo recebeu o Batismo e foi enviado para estudar no Colégio dos Jesuítas, dos quais nunca mais se separou. Por causa da sua língua e cultura, encontrou muitas dificuldades em estudar latim; em compensação, tornou-se um especialista em religiosidade local, que fez dele um excelente pregador, capaz de manter contato com as autoridades budistas.
Naqueles anos, o clima era turbulento, por isso Paulo voltou para a sua casa, após uma visita a Roma, onde foi recebido pelo Papa Gregório XIII, que também era repleto de amor por Jesus. Percorreu todos os cantos do seu país, levando a Palavra e suscitando muitas conversões.


A perseguição de Shogun

De repente, a situação no país mudou: um pouco, por causa do comportamento dos cristãos marinheiros espanhóis, que chegavam ao Japão; depois, pelas divergências entre as Ordens missionárias, que chegaram ao país, em 1596. Então, Shogun Hideyoshi, militar samurai, começou uma violenta perseguição contra os cristãos. Paulo foi preso e, no cárcere, encontrou 6 Franciscanos, 3 Jesuítas e 17 leigos convertidos, inclusive 2 meninos muito jovens.


Martírio como Jesus na cruz

Foram 27 os mártires que morreram crucificados no monte Tateyama de Nagasaki, em 5 de fevereiro 1597. Da sua cruz, Paulo perdoou seus algozes e pronunciou um sermão final apaixonado, exortando todos a seguir a Cristo para serem salvos. Como Cristo, pouco antes de expirar, Paulo invocou a Deus Pai, em cujas mãos entregou seu espírito.

Paulo Miki foi canonizado, três séculos mais tarde, pelo Papa Pio IX. Precisamente naqueles anos, seu martírio, narrado em um livro, inspirou a obra missionária de um seminarista vêneto, Daniel Comboni, futuro apóstolo da “África”.


FONTE: VATICAN NEWS

- DEDICADO À VIRGEM MARIA -
Voltar para o conteúdo