Solenidade da Santíssima Trindade - Liturgia Diária da Igreja Católica Apostólica Romana

"Fiat Voluntas Tua"
Ir para o conteúdo
MISSAL > LITURGIA DO DIA
Liturgia Diária


1a Leitura - Ex 34,4b-6.8-9

Senhor, Senhor, Deus misericordioso e clemente.


Leitura do Livro do Êxodo 34, 4b-6. 8-9
Naqueles dias:
4b Moisés levantou-se, quando ainda fazia noite, e subiu ao monte Sinai, como o Senhor lhe havia mandado, levando consigo as duas tábuas de pedra.
5 O Senhor desceu na nuvem e permaneceu com Moisés, e este invocou o nome do Senhor.
6 Enquanto o Senhor passava diante dele Moisés gritou: 'Senhor, Senhor! Deus misericordioso e clemente, paciente, rico em bondade e fiel'.
8 Imediatamente, Moisés curvou-se até o chão
9 e, prostrado por terra, disse: 'Senhor, se é verdade que gozo de teu favor, peço-te, caminha conosco; embora este seja um povo de cabeça dura, perdoa nossas culpas e nossos pecados e acolhe-nos como propriedade tua'.
Palavra do Senhor.





Salmo - Dn 3, 52.53.54-55.56 (R.52b)


R. A vós louvor, honra e glória eternamente!


52 Sede bendito, Senhor Deus de nossos pais. / Sede bendito, nome santo e glorioso.
R.

53 No templo santo onde refulge a vossa glória.
R.

54 E em vosso trono de poder vitorioso.
R.

55 Sede bendito, que sondais as profundezas / e superior aos querubins vos assentais.
R.

56 Sede bendito no celeste firmamento.
R.





2a Leitura - 2Cor 13,11-13

A graça de Jesus Cristo, o amor deDeus e a comunhão do Espírito Santo.

Leitura da Segunda Carta de São Paulo aos Coríntios 13, 11-13

11 Irmãos: Alegrai-vos, trabalhai no vosso aperfeiçoamento, encorajai-vos, cultivai a concórdia, vivei em paz, e o Deus do amor e da paz estará convosco.
12 Saudai-vos uns aos outros com o beijo santo. Todos os santos vos saúdam.
13 A graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a comunhão do Espírito Santo estejam com todos vós.
Palavra do Senhor.





Evangelho - Jo 3,16-18
 
Deus enviou seu Filho ao mundo, paraque o mundo seja salvo por ele.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João 3, 16-18
16 Deus amou tanto o mundo, que deu o seu Filho unigênito, para que não morra todo o que nele crer, mas tenha a vida eterna.
17 De fato, Deus não enviou o seu Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por ele.
18 Quem nele crê, não é condenado, mas quem não crê, já está condenado, porque não acreditou no nome do Filho unigênito.
Palavra da Salvação.




Pesquisa rápida
Reflexão - Padre João Luís Fávero - Campinas (SP)
“A vós louvor, honra e glória eternamente”.
Jo 3, 16-18

TRINDADE – COMUNHÃO DE AMOR, A SURPRESA DE DEUS.

Deus nos surpreende sempre. A partir de nossas limitações, as fragilidades e os pecados, desfiguramos a adorável imagem do Pai. Tantas vezes falamos em Deus, como um juiz severo e seus castigos divinos. Essa era a visão que percorre todo o Antigo Testamento, quando Deus é apresentado em sua majestade com a espada da ira na mão.

Jesus vem anunciar um Pai cheio de amor, sempre pronto a perdoar. Na ótica humana, merecemos castigo; já na ótica divina apresenta o perdão e a salvação, não a condenação.

No Evangelho de hoje, Jesus revela o motivo de sua vinda ao mundo: o amor de Deus pela humanidade! O Pai acolhe Jesus como Filho amado em quem Ele colocou a sua alegria. E acolhe também a humanidade que foi assumida por Jesus e que passou a fazer parte da realidade do Pai. O Espírito Santo que une o Pai e o Filho é doado a todos nós, como a força que incentiva a nossa caminhada nos passos de Jesus.  

A acolhida do amor de Deus é um desafio à liberdade humana, que pode escolher acolhê-lo ou rejeitá-lo. Só com pessoas capazes de amar é que se pode construir verdadeiras comunidades de discípulos e missionários.

Deus Pai, em seu Filho, oferece vida plena a toda a humanidade. As comunidades são convidadas a acolher esse dom precioso. Fundamentando sua existência na comunhão fraterna, solidaria e missionária, revelando ao mundo a misericórdia, a bondade e a fidelidade; animando cada um de nós a viver na concórdia e na paz.

A presença da Trindade vem lembrar o respeito que devemos ter com o nosso corpo e com os nossos irmãos, pois somos templos da Trindade Santa. Esta presença nos santifica e nos torna amados pelo Pai, cheios de dignidade.

Os discípulos são chamados a inspirar-se no modo de ser da Trindade. Traduzindo, esse modo de ser, nas relações que se estabelecem com os irmãos. A fé cristã está ligada ao modo de ser dos discípulos. Quanto mais reconhecem o Deus revelado por Jesus, tanto mais se esforçam por viver esse mesmo amor que une o Pai, o Filho e o Espírito Santo.

Rezemos: Senhor, a compreensão da identidade de Deus, a força do amor, leve-me a desejar viver na comunhão, fonte da missão e do serviço.

Deus abençoe você e sua família.

Pe. João Luiz


FOTO: MONSENHOR JOÃO LUÍS FÁVERO
FOTO: FREI RINALDO STECANELA
FEVEREIRO
D
S
T
Q
Q
S
S






1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
- DEDICADO À VIRGEM MARIA -
Voltar para o conteúdo