08 DE DEZEMBRO - DOMINGO - Liturgia Diária da Igreja Católica Apostólica Romana

"Fiat Voluntas Tua"
Ir para o conteúdo
MISSAL > LITURGIA DO DIA
Pesquisa rápida


Imaculada Conceição de Nossa Senhora - Solenidade
8 de Dezembro de 2019 - Cor: Branco





IMACULADA CONCEIÇÃO DE NOSSA SENHORA - SANTORAL
 
1a Leitura - Gn 3,9-15.20
 

Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e a dela.

Leitura do Livro do Gênesis 3, 9-15. 20
Depois que Adão comeu do fruto da árvore,
9 o Senhor Deus o chamou, dizendo: 'Onde estás?'
10 E ele respondeu: 'Ouvi tua voz no jardim, e fiquei com medo porque estava nu; e me escondi'.
11 Disse-lhe o Senhor Deus: 'E quem te disse que estavas nu? Então comeste da árvore, de cujo fruto te proibi comer?'
12 Adão disse: 'A mulher que tu me deste por companheira, foi ela que me deu do fruto da árvore, e eu comi'.
13 Disse o Senhor Deus à mulher: 'Por que fizeste isso?' E a mulher respondeu: 'A serpente enganou-me e eu comi'.
14 Então o Senhor Deus disse à serpente: 'Porque fizeste isso, serás maldita entre todos os animais domésticos e todos os animais selvagens! Rastejarás sobre o ventre e comerás pó todos os dias da tua vida!
15 Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e a dela. Esta te ferirá a cabeça e tu lhe ferirás o calcanhar'.
20 E Adão chamou à sua mulher 'Eva', porque ela é a mãe de todos os viventes.
Palavra do Senhor.




Salmo - Sl 97(98),1.2-3ab.3cd-4 (R. 1a)
 
R. Cantai ao Senhor Deus um canto novo, porque ele fez prodígios!
Cantai ao Senhor Deus um canto novo, / porque ele fez prodígios! / Sua mão e o seu braço forte e santo / alcançaram-lhe a vitória.
R. Cantai ao Senhor Deus um canto novo, porque ele fez prodígios!
 
O Senhor fez conhecer a salvação, / e às nações, sua justiça; arecordou o seu amor sempre fiel 3bpela casa de Israel.
R. Cantai ao Senhor Deus um canto novo, porque ele fez prodígios!
 
Os confins do universo contemplaram da salvação do nosso Deus. Aclamai o Senhor Deus, ó terra inteira, / alegrai-vos e exultai!
R. Cantai ao Senhor Deus um canto novo, porque ele fez prodígios!




2a Leitura - Ef 1,3-6.11-12

Em Cristo, ele nos escolheu, antes da fundação do mundo.
Leitura da Carta de São Paulo aos Efésios 1, 3-6. 11-12
3 Bendito seja Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo. Ele nos abençoou com toda a bênção do seu Espírito em virtude de nossa união com Cristo, no céu.
4 Em Cristo, ele nos escolheu, antes da fundação do mundo, para que sejamos santos e irrepreensíveis sob o seu olhar, no amor.
5 Ele nos predestinou para sermos seus filhos adotivos por intermédio de Jesus Cristo, conforme a decisão da sua vontade, 6para o louvor da sua glória e da graça com que ele nos cumulou no seu Bem-amado.
11 Nele também nós recebemos a nossa parte. Segundo o projeto daquele que conduz tudo conforme a decisão de sua vontade, nós fomos predestinados
12 a sermos, para o louvor de sua glória, os que de antemão colocaram a sua esperança em Cristo.
Palavra do Senhor.




Evangelho - Lc 1,26-38

Eis que conceberás e darás à luz um filho.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas 1, 26-38
Naquele tempo:
26 O anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galiléia, chamada Nazaré,
27 a uma virgem, prometida em casamento a um homem chamado José. Ele era descendente de Davi e o nome da virgem era Maria
28 O anjo entrou onde ela estava e disse: 'Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo!'
29 Maria ficou perturbada com estas palavras e começou a pensar qual seria o significado da saudação.
30 O anjo, então, disse-lhe: 'Não tenhas medo, Maria, porque encontraste graça diante de Deus.
31 Eis que conceberás e darás à luz um filho, a quem porás o nome de Jesus.
32 Ele será grande, será chamado Filho do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi.
33 Ele reinará para sempre sobre os descendentes de Jacó, e o seu reino não terá fim'.
34 Maria perguntou ao anjo: 'Como acontecerá isso, se eu não conheço homem algum?'
35 O anjo respondeu: 'O Espírito virá sobre ti, e o poder do Altissimo te cobrirá com sua sombra. Por isso, o menino que vai nascer será chamado Santo, Filho de Deus.
36 Também Isabel, tua parenta, concebeu um filho na velhice. Este já é o sexto mês daquela que era considerada estéril,
37 porque para Deus nada é impossível'.
38 Maria, então, disse: 'Eis aqui a serva do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra!' E o anjo retirou-se.
Palavra da Salvação.



2º DOMINGO - ADVENTO
 
1a Leitura - Is 11,1-10
 
Julgará os humildes com justiça.
Leitura do Livro do Profeta Isaías 11, 1-10
Naqueles dias:
1 Nascerá uma haste do tronco de Jessé e, a partir da raiz, surgirá o rebento de uma flor;
2 sobre ele repousará o espírito do Senhor: espírito de sabedoria e discernimento, espírito de conselho e fortaleza, espírito de ciência e temor de Deus;
3 no temor do Senhor encontra ele seu prazer. Ele não julgará pelas aparências que vê nem decidirá somente por ouvir dizer;
4 mas trará justiça para os humildes e uma ordem justa para os homens pacíficos; fustigará a terra com a força da sua palavra e destruirá o mau com o sopro dos lábios.
5 Cingirá a cintura com a correia da justiça e as costas com a faixa da fidelidade.
6 O lobo e o cordeiro viverão juntos e o leopardo deitar-se-á ao lado do cabrito; o bezerro e o leão comerão juntos e até mesmo uma criança poderá tangê-los.
7 A vaca e o urso pastarão lado a lado, enquanto suas crias descansam juntas; o leão comerá palha como o boi;
8 a criança de peito vai brincar em cima do buraco da cobra venenosa; e o menino desmamado não temerá pôr a mão na toca da serpente.
9 Não haverá danos nem mortes por todo o meu santo monte: a terra estará tão repleta do saber do Senhor quanto as águas que cobrem o mar.
10 Naquele dia, a raiz de Jessé se erguerá como um sinal entre os povos; hão de buscá-la as nações, e gloriosa será a sua morada.
Palavra do Senhor.




Salmo - Sl 71,1-2.7-8.12-13.17 (R.cf 7)
 

R. Nos seus dias a justiça florirá.

Dai ao Rei vossos poderes, Senhor Deus, / vossa justiça ao descendente da realeza! Com justiça ele governe o vosso povo, / com eqüidade ele julgue os vossos pobres.
R. Nos seus dias a justiça florirá.
 
Nos seus dias a justiça florirá / e grande paz, até que a lua perca o brilho! De mar a mar estenderá o seu domínio, / e desde o rio até os confins de toda a terra!
R. Nos seus dias a justiça florirá.
 
Libertará o indigente que suplica, / e o pobre ao qual ninguém quer ajudar. Terá pena do indigente e do infeliz, / e a vida dos humildes salvará.
R. Nos seus dias a justiça florirá.
 
Seja bendito o seu nome para sempre! / E que dure como o sol sua memória! / Todos os povos serão nele abençoados, / todas as gentes cantarão o seu louvor!
R. Nos seus dias a justiça florirá.




2a Leitura - Rm 15, 4-9

Cristo salva toda a humanidade.
Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos 15, 4-9
Irmãos:
4 Tudo o que outrora foi escrito, foi escrito para nossa instrução, para que, pela nossa constância e pelo conforto espiritual das Escrituras, tenhamos firme esperança.
5 O Deus que dá constância e conforto vos dê a graça da harmonia e concórdia, uns com os outros, como ensina Cristo Jesus.
6 Assim, tendo como que um só coração e a uma só voz, glorificareis o Deus e Pai do Senhor nosso, Jesus Cristo.
7 Por isso, acolhei-vos uns aos outros, como também Cristo vos acolheu, para a glória de Deus.
8 Pois eu digo: Cristo tornou-se servo dos que praticam a circuncisão, para honrar a veracidade de Deus, confirmando as promessas feitas aos pais.
9 Quanto aos pagãos, eles glorificam a Deus, em razão da sua misericórdia, como está escrito: 'Por isso, eu vos glorificarei entre os pagãos e cantarei louvores ao vosso nome'.
Palavra do Senhor.

Evangelho - Mt 3, 1-12

Convertei-vos, porque o Reinodos céus está próximo.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus 3, 1-12
1 Naqueles dias, apareceu João Batista, pregando no deserto da Judéia:
2 'Convertei-vos, porque o Reino dos Céus está próximo. '
3 João foi anunciado pelo profeta Isaías, que disse: 'Esta é a voz daquele que grita no deserto: preparai o caminho do Senhor, endireitai suas veredas!'
4 João usava uma roupa feita de pêlos de camelo e um cinturão de couro em torno dos rins; comia gafanhotos e mel do campo.
5 Os moradores de Jerusalém, de toda a Judéia e de todos os lugares em volta do rio Jordão vinham ao encontro de João.
6 Confessavam os seus pecados e João os batizava no rio Jordão.
7 Quando viu muitos fariseus e saduceus vindo para o batismo, João disse-lhes: 'Raça de cobras venenosas, quem vos ensinou a fugir da ira que vai chegar?
8 Produzi frutos que provem a vossa conversão.
9 Não penseis que basta dizer: 'Abraão é nosso pai', porque eu vos digo: até mesmo destas pedras Deus pode fazer nascer filhos de Abraão.
10 O machado já está na raiz das árvores, e toda árvore que não der bom fruto será cortada e jogada no fogo.
11 Eu vos batizo com água para a conversão, mas aquele que vem depois de mim é mais forte do que eu. Eu nem sou digno de carregar suas sandálias. Ele vos batizará com o Espírito Santo e com fogo.
12 Ele está com a pá na mão; ele vai limpar sua eira e recolher seu trigo no celeiro; mas a palha ele a queimará num fogo que não se apaga. '
Palavra da Salvação.


Fonte: Youtube RS21
Fonte: Youtube RS21
Fonte: Youtube RS21
Fonte: Youtube RS21
Fonte: Youtube RS21
Reflexão - Padre João Luís Fávero - Campinas (SP)
“Cantai ao Senhor Deus um canto novo, porque Ele fez prodígios! ”
Lc 1, 26-38


MARIA, ESCOLHIDA PARA SER A SERVA PREFERIDA!

A Festa da Imaculada Conceição leva-nos a pensar em Maria como a Discípula que corresponde aos anseios de Deus, movida pela graça. A fidelidade de Maria decorre de um especial dom divino, o dom de nascer mais integrada do que nós, com mais capacidade de ser livre e de acolher a proposta de Deus.

Maria cheia de graça ela é envolvida pelo amor divino. Manifesta disponibilidade para realizar o que foi pedido a ela: “Eis aqui a Serva do Senhor, faça-se em mim, conforme a tua Palavra”.

Essa comunhão de Maria com Deus, exclui qualquer traço de egoísmo e de pecado. Cheia de graça é totalmente despojada de si para cumprir o projeto de Deus. Ela foi preservada desde a sua concepção.

A condição de agraciada não eximiu que Maria fizesse o esforço de todo peregrino na fé; de crescer e de aprender como acontece com todo o ser humano. Ela não se deixou envolver pelas paixões desordenadas, ou pelo seu próprio querer.

Cheia de graça, porque o Senhor está com ela. O Menino que vai nascer é o resultado da ação de Deus com o sim de Maria. Ela é modelo do discipulado de Jesus, das pessoas que, sempre atentas a vontade de Deus, se dispõem a construir um mundo melhor, mais justo, humano e fraterno.

Em Maria encontramos duas atitudes fundamentais: a fé e o serviço. Ela acredita, é modelo de fé. A grandeza de seu testemunho de fé expressou-se na humildade do seu coração e no continuo esforço de discernir a vontade do Pai e em ser solicita no seu cumprimento, sendo servidora.  

Rezemos: Senhor, dá-me a graça de ser fiel como Maria, e discernir a vontade do Pai, e mostrar solicitude e disponibilidade para realiza-la... Ave-Maria...

Deus abençoe você e sua família.
Reflexão - Frei Rinaldo Stecanella, osm
Bom dia. Deus abençoe sua vida nessa fascinante jornada de domingo que já chegou. É o DIA DO SENHOR por excelência. Hoje celebramos O Senhor por excelência, porém, recordamos a solene festa da Imaculada Conceição.  Neste dia 8 de dezembro, a Igreja celebra a Imaculada Conceição da Santíssima Virgem Maria, o dogma de fé segundo o qual a Mãe do Jesus foi preservada do pecado desde o momento de sua concepção, ou seja, desde o instante em que começou sua vida humana. É importante saber que Maria foi preservada do pecado original para dar à Luz Aquele que deveria nascer sem qualquer contaminação do pecado, ou seja, Jesus. Então a festa é pelos méritos de Cristo! Cristo nasceu humanamente sem pecado para salvar a humanidade pecadora. Esse é o sentido profundo da festa. Bom, tudo isso e muito mais você vai poder celebrar em sua comunidade, em sua Paróquia. Um grande e Santo Domingo para você.

Com carinho e bençãos
Frei Rinaldo, osm
ORAÇÃO



Anunciação, uma experiência universal




“Não tenhas medo, Maria, porque encontraste graça diante de Deus” (Lc 1,30)


No tempo do Advento, Maria é sempre uma presença cheia de significados: a mãe que espera, a mulher que acolhe a Palavra, a jovem que arrisca, a amiga que ajuda, a mulher de fé que silencia e medita... Tudo isso encontramos nela. E nela, todos nos vemos; nela nos inspiramos. Porque também nós precisamos acolher, arriscar, servir e deixar que a boa notícia seja semente que se enraíza na terra de nossa interioridade.


O Advento também é tempo do “sim” e hoje fazemos memória daquela que foi protagonista do “sim” que mudou a história. Aquele que é a Vida e por quem foram feitas todas as coisas pede o consentimento da virgem de Nazaré para assumir a vida humana no seu seio virginal. Para que sejam cumpridas, para que o Salvador entre na nossa história, só falta o Sim de Maria.


Deus nunca força a liberdade humana, nem mesmo nos momentos em que está em jogo o futuro da humanidade; dinamiza-a, a partir de dentro, em todos aqueles(as) que se abrem à sua graça. O Deus que nos criou sem pedir o nosso consentimento, nunca nos impõe missão alguma sem o nosso assentimento. Ele suscita nossos desejos, atrai, convida, mas respeita sempre nossa liberdade. Nossas decisões serão tanto mais livres e fecundas, quanto mais unidos estivermos com Deus, quanto mais confiarmos na sua graça; mas elas devem ser assumidas por nós.


A redenção querida por Deus é universal, mas encarna-se no particular, no ponto de intersecção de um tempo e de um espaço únicos: na casa e no corpo de Maria de Nazaré, na Galileia. Esse ponto torna-se o centro da história, o ponto de apoio e de partida de um movimento pelo qual o Filho assume a condição humana para fazê-la retornar consigo, pelo poder do Espírito, ao Pai.


Maria é o primeiro e mais belo fruto do olhar de misericórdia da Trindade sobre a humanidade e de sua decisão de salvá-la. “Um anjo faz o anúncio, uma virgem o escuta, crê e concebe. Na alma, a fé, e no ventre, Cristo” (S. Agostinho). Essa graça é tão fundamental e tão significativa, que a expressão “cheia de graça” é usada no lugar do nome próprio. Maria é nomeada pelo modo como é vista por Deus. Ela é pessoalmente, de maneira singular e única, e de maneira permanente, a “agraciada”  de Deus.


Para revelar e realizar a Encarnação do seu Filho, Deus não escolheu o templo, nem uma família sacerdotal. Nazaré, lugarejo situado na Galileia dos gentios, uma terra considerada abandonada de Deus, da qual “não havia saído nenhum profeta” (Jo. 7,52), foi escolhida por Deus para a encarnação do seu Filho. Não menos estranho é o fato de Deus ter escolhido, como forma de entrada na nossa história, uma jovenzinha de Nazaré, aldeã com um nome comum, totalmente desconhecida e insignificante aos olhos dos grandes do mundo, como tantas Marias do nosso povo.


Para realizar a salvação dos homens, Deus escolhe o insignificante e desprezado pelos homens. Escolhe o caminho do “esvaziamento” e do “amor louco”. Verdadeiramente, os caminhos de Deus não são os nossos caminhos, e seus pensamentos não são os nossos pensamentos (Is. 55,8).


Devemos compreender que a Anunciação não se refere somente a Maria, a José e a Jesus, mas a cada um de nós e à humanidade inteira. O amor com o qual Deus nos ama é, ao mesmo tempo, um amor voltado à humanidade inteira e um amor que se dirige a cada um em particular, pois foi Deus que nos concedeu a cada um o dom de existir. Podemos dizer que cada um de nós é amado e buscado como se fosse o único no mundo. E este amor, no entanto, nos invade para nos atravessar e chegar até os outros. “Cheios de graça”, assim como Maria.


Não olhemos a Anunciação como se fosse um acontecimento exterior a nós. Estamos todos incluídos nela. Mais ainda, devemos compreender que este relato não fala apenas de algo que se passou há dois mil anos atrás, mas refere-se também ao que nos acontece hoje: Jesus vem ao mundo e a cada um de nós sem cessar, e vem de novo, sempre.


O mistério da Anunciação é como o nosso espelho: nele todos nos vemos; ou melhor, a Anunciação acontece com todos nós, a todo momento e em todos os lugares e etapas da vida. Anunciação somos todos que, como Maria, dialogamos com Deus desde o mistério mais profundo de nossa vida, em gesto de disponibilidade radical. A Anunciação a Maria é uma experiência universal: todos recebemos visitas dos mensageiros de Deus.


Estamos rodeados de mensageiros divinos: pessoas (presenças angelicais), fatos, experiências interiores... que através de vozes e sinais movem nossa vida em direção à missão. São anúncios surpreendentes, ines-perados... Deus é surpreendente, inesperável, revela-se na vida... É preciso uma atitude contemplativa da vida para perceber os sinais divinos de sua presença.


Em primeiro lugar, os mensageiros fazem elogios a cada um de nós: “Deus está encantado com você; você é agraciado(a), você é único(a) e original; você tem uma missão específica”. É preciso estar em sintonia para captar a presença dos mensageiros. Eles falam da vida e apontam para o futuro. Falam que Deus faz nascer a vida mesmo onde é impossível aos olhos dos homens. O problema é que estamos distraídos ou focados em muitas preocupações e não captamos a mensagem que nos chega.


É natural que brotem medos, perturbações, dúvidas... pois se trata de algo fora do normal, inédito... que nos espanta. Mas o mensageiro nos pacifica, sustenta nosso ânimo, alimenta a coragem, vence o medo... E o que ele nos pede? Deixar-nos conduzir pelo Espírito, como “Maria que respira ao ritmo do Espírito”. Quem se deixa conduzir pelo Espírito torna-se fecundo, está aberto à vida, gera a vida e luta em favor da vida.


Do encontro com os mensageiros de Deus brota um “sim” do mais profundo; sim, sem temor, sem dúvida; sim que nos expande em direção aos outros; sim que nos coloca em movimento; sim que desencadeia outros sins. Sim que muda a história pessoal e coletiva. Sim que destrava a vida, nos faz criativos, abertos ao novo. Sim que nos faz entrar em sintonia com o Sim de Deus, proferido desde todos os tempos.


Sim que é dado a Deus se amplia; sim que revela nossa identidade, nos humaniza. Sim que aponta para a vida. Deus é sempre fecundo; deixar Deus ser Deus em nossa vida: essa é a marca da Anunciação. O consentimento de Maria encerra o diálogo; o anjo retira-se em silêncio. Com certeza, estava alegre, por poder contar com o sim resoluto de Maria. Que o anjo não se afaste triste de nós, pela nossa resposta negativa.


Texto bíblico:  Lc 1,26-38


Na oração: Poucas vezes Maria fala nos evangelhos e, no entanto, suas palavras são rotundas, definitivas, inapeláveis: “faça-se”, “eles não tem mais vinho”, “fazei o que Ele vos disser”. E, sobretudo, o “Magnificat”, que é um hino de liberdade, de justiça e de louvor.


Também nós falamos: em família, no trabalho, entre amigos... Falamos de outras pessoas, da situação social e política... Falamos daquilo que nos preocupa ou dos nossos desejos e sonhos... Quem sabe, também falamos de Deus. Há muito poder nas palavras: poder para ferir e curar, para levantar e derrubar, para bem-dizer ou mal-dizer... Oxalá, aprendamos com Maria a proferir palavras carregadas de vida e de verdade.

- Você tem consciência do peso e do valor de suas palavras?

- Fazer memória dos “sins de vida”, pronunciados ao longo de sua existência, e que foram o prolongamento do “sim” de Maria.


Pe. Adroaldo Palaoro sj
Fonte: https://centroloyola.org.br/revista/outras-palavras/espiritualidade/1191-anunciacao-uma-experiencia-universal



FEVEREIRO
DOM
SEG
TER
QUA
QUI
SEX
SÁB





1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
181920212223
2425262728

- DEDICADO À VIRGEM MARIA -
Voltar para o conteúdo