SÃO JOÃO DA CRUZ, PRESB. E DOUTOR DA IGREJA - SANTORAL - Liturgia Diária da Igreja Católica Apostólica Romana

"Fiat Voluntas Tua"
Ir para o conteúdo
MISSAL > Liturgia do dia
Liturgia de Hoje
2ª-FEIRA DA 3ª SEMANA - ADVENTO




Uma estrela sai de Jacó.

Leitura do Livro dos Números 24, 2-7. 15-17a
Naqueles dias:
Balaão levantou os olhos e viu Israel acampado por tribos. O espírito de Deus veio sobre ele,
e Balaão pronunciou seu poema: 'Oráculo de Balaão, filho de Beor, oráculo do homem que tem os olhos abertos;
oráculo daquele que ouve as palavras de Deus, que vê o que o Poderoso lhe faz ver, que cai, e seus olhos se abrem.
Como são belas as tuas tendas, ó Jacó, e as tuas moradas, ó Israel!
Elas se estendem como vales, como jardins ao longo de um rio, como aloés que o Senhor plantou, como cedros junto das águas.
A água transborda de seus cântaros, e sua semente é ricamente regada. Seu rei é mais poderoso do que Agag, seu reino está em ascensão'.
E Balaão continuou pronunciando o seu poema: 'Oráculo de Balaão, filho de Beor, oráculo do homem que tem os olhos abertos,
oráculo daquele que ouve as palavras de Deus, e conhece os pensamentos do Altíssimo, que vê o que o Poderoso lhe faz ver, que cai, e seus olhos se abrem.
Eu o vejo, mas não agora; e o contemplo, mas não de perto. Uma estrela sai de Jacó, e um cetro se levanta de Israel'.
Palavra do Senhor.





R. Fazei-me conhecer a vossa estrada, ó Senhor!


Mostrai-me, ó Senhor, vossos caminhos,
e fazei-me conhecer a vossa estrada!
Vossa verdade me oriente e me conduza,
porque sois o Deus da minha salvação.
R.


Recordai, Senhor meu Deus, vossa ternura /
e a vossa compaixão que são eternas!
De mim lembrai-vos, porque sois misericórdia
e sois bondade sem limites, ó Senhor!
R.


O Senhor é piedade e retidão, /
e reconduz ao bom caminho os pecadores.
Ele dirige os humildes na justiça, /
e aos pobres ele ensina o seu caminho.
R.




Donde vinha o batismo de João?

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 21, 23-27
Naquele tempo:
Jesus voltou ao Templo. Enquanto ensinava, os sumos sacerdotes e os anciãos do povo aproximaram-se dele e perguntaram: 'Com que autoridade fazes estas coisas? Quem te deu tal autoridade?'
Jesus respondeu-lhes: 'Também eu vos farei uma pergunta. Se vós me responderdes, também eu vos direi com que autoridade faço estas coisas.
Donde vinha o batismo de João? Do céu ou dos homens?' Eles refletiam entre si: 'Se dissermos: 'Do céu', ele nos dirá: 'Por que não acreditastes nele?'
Se dissermos: 'Dos homens', temos medo do povo, pois todos têm João Batista na conta de profeta. '
Eles então responderam a Jesus: 'Não sabemos. ' Ao que Jesus também respondeu: 'Eu também não vos direi com que autoridade faço estas coisas.
Palavra da Salvação.







SÃO JOÃO DA CRUZ, PRESB. E DOUTOR DA IGREJA - SANTORAL




Falamos, sim, da misteriosa sabedoria de Deus.

Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios 2, 1-10a
Irmãos, quando fui à vossa cidade anunciar-vos o mistério de Deus, não recorri a uma linguagem elevada ou ao prestígio da sabedoria humana.
Pois, entre vós, não julguei saber coisa alguma, a não ser Jesus Cristo, e este, crucificado.
Aliás, eu estive junto de vós, com fraqueza e receio, e muito tremor.
Também a minha palavra e a minha pregação não tinham nada dos discursos persuasivos da sabedoria, mas eram uma demonstração do poder do Espírito,
para que a vossa fé se baseasse no poder de Deus e não na sabedoria dos homens.
Entre os perfeitos nós falamos de sabedoria, não da sabedoria deste mundo, nem da sabedoria dos poderosos deste mundo, que, afinal, estão votados à destruição.
Falamos, sim, da misteriosa sabedoria de Deus, sabedoria escondida, que, desde a eternidade, Deus destinou para nossa glória.
Nenhum dos poderosos deste mundo conheceu essa sabedoria. Pois, se a tivessem conhecido, não teriam crucificado o Senhor da glória.
Mas, como está escrito, 'o que Deus preparou para os que o amam é algo que os olhos jamais viram, nem os ouvidos ouviram, nem coração algum jamais pressentiu'.
A nós Deus revelou esse mistério através do Espírito.
Palavra do Senhor.





R. O justo tem nos lábios o que é sábio.


Confia no Senhor e faze o bem, /
e sobre a terra habitarás em segurança.
Coloca no Senhor tua alegria, /
e ele dará o que pedir teu coração.
R.


Deixa aos cuidados do Senhor o teu destino; /
confia nele, e com certeza ele agirá.
Fará brilhar tua inocência como a luz, /
e o teu direito, como o sol do meio-dia.
R.


O justo tem nos lábios o que é sábio, /
sua língua tem palavras de justiça;
traz a Aliança do seu Deus no coração, /
e seus passos não vacilam no caminho.
R.





Qualquer um de vós, se não renunciar a tudoo que tem, não pode ser meu discípulo!

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas 14, 25-33
Naquele tempo:
Grandes multidões acompanhavam Jesus. Voltando-se, ele lhes disse:
'Se alguém vem a mim, mas não se desapega de seu pai e sua mãe, sua mulher e seus filhos, seus irmãos e suas irmãs e até da sua própria vida, não pode ser meu discípulo.
Quem não carrega sua cruz e não caminha atrás de mim, não pode ser meu discípulo.
Com efeito: qual de vós, querendo construir uma torre, não se senta primeiro e calcula os gastos, para ver se tem o suficiente para terminar? Caso contrário,
ele vai lançar o alicerce e não será capaz de acabar. E todos os que virem isso começarão a caçoar, dizendo:
'Este homem começou a construir e não foi capaz de acabar!'
Ou ainda: Qual o rei que ao sair para guerrear com outro, não se senta primeiro e examina bem se com dez mil homens poderá enfrentar o outro que marcha contra ele com vinte mil?
Se ele vê que não pode, enquanto o outro rei ainda está longe, envia mensageiros para negociar as condições de paz.
Do mesmo modo, portanto, qualquer um de vós, se não renunciar a tudo o que tem, não pode ser meu discípulo!'
Palavra da Salvação.





FONTE: YOUTUBE
Reflexão - Pe. João Luís Fávero
Fazei-me conhecer a vossa estrada, ó Senhor!”
Mt 21, 23-27

As ações de Jesus. Aclamado como Messias foram consideradas verdadeiras provocações para as autoridades judaicas e as lideranças religiosas. Eles estão incomodados com a presença e pregação de Jesus.

Notam que aumenta o número dos seguidores de Jesus e ficam preocupados com esse crescimento e tentam freá-Lo, impondo-lhe silêncio e afastando-o do seu domínio. As autoridades ficam intrigadas com Jesus.

Pois, ninguém, até então havia se referido a Deus com tanta intimidade. Nem se mostrado tão livre em relação às antigas tradições religiosas de Israel. Ninguém com vivência religiosa tão elevada havia se misturado com pessoas de má fama, ficando à vontade no meio deles
.
Algo de estranho estava acontecendo, e planejaram derrubar Jesus com uma pergunta sobre a sua autoridade. Querem obter provas contra Ele, para poder acusa-lo.

Jesus responde perguntando também. Isso era um estilo de debate entre os rabinos. Jesus quer saber o que eles pensam de João Batista. Na verdade, a pergunta de Jesus força-os a tomar posição em relação a João Batista.

Colocar-se a favor de João era colocar-se a favor de Jesus. Colocar-se contra João é colocar-se contra o povo. O qual tem por João Batista grande estima e consideração.

O povo sabia muito bem que Jesus pregava com autoridade, que lhe vinha de sua vida e de suas atitudes. O que Jesus respondesse, as autoridades saberiam usar contra Jesus, por isso não responde à pergunta.

O coração das autoridades estava endurecido, tão cheios de orgulho, que não havia espaço para a verdade. Sem saída, ficaram mudos. Enquanto estavam calados, tiveram a oportunidade de refletir sobre a identidade e as ações de João e de Jesus.

Rezemos: Senhor, eu creio firmemente que és o Cristo de Deus, o Messias. Quero preparar o meu coração para que nele Ele possa entrar e permanecer.

Deus abençoe você e sua família.
Um Abraço,
Pe. João Luiz
Reflexão - Frei Rinaldo Stecanella, osm
Bom dia. Deus abençoe você nesta nova semana que já começou. Ontem celebramos o domingo da alegria, pois o Natal se aproxima. Que este dia seja muito especial.  Entregue suas preocupações ao Senhor e Ele o auxiliará. Viva o seu dia com intensidade, Deus estará do seu lado. Ele é a nossa força! Ótimo dia de segunda!
“Isto é uma ordem: sê firme e corajoso. Não te atemorizes, não tenhas medo, porque o Senhor está contigo em qualquer parte para onde fores.” (Josué 1, 9)

Com carinho e bençãos

Frei Rinaldo, osm


Evangelho do dia: (tive problemas com o vídeo...desculpem!)

Evangelho (Mt 21,23-27)

Naquele tempo, 23Jesus voltou ao Templo. Enquanto ensinava, os sumos sacerdotes e os anciãos do povo aproximaram-se dele e perguntaram: “Com que autoridade fazes estas coisas? Quem te deu tal autoridade?”

24Jesus respondeu-lhes: “Também eu vos farei uma pergunta. Se vós me responderdes, também eu vos direi com que autoridade faço estas coisas. 25Donde vinha o batismo de João? Do céu ou dos homens?”

Eles refletiam entre si: “Se dissermos: ‘Do céu’, ele nos dirá: ‘Por que não acreditastes nele?’ 26Se dissermos: ‘Dos homens’, temos medo do povo, pois todos têm João Batista na conta de profeta”. 27Eles então responderam a Jesus: “Não sabemos”. Ao que Jesus também respondeu: “Eu também não vos direi com que autoridade faço estas coisas”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.
MEDITAÇÃO - SEGUNDA FEIRA

JESUS MENINO TOMA SOBRE SI TODOS  OS PECADOS DOS HOMENS

Justificabit ipse iustus servus meus multos, et iniquitates eorum ipse portabit – O meu servo justo justificará muitos, e tomará sobre si as iniquidades deles (Is 53, 11)

Sumário. Jesus Cristo quis não somente tomar a aparência de pecador, senão ainda tomar sobre si todos os pecados dos homens e satisfazer por eles, como se fossem os seus próprios. Desde criança viu em particular todos os pecados, de cada um de nós, e aquela vista cruciou-lhe a alma muito mais, do que em seguida a crucificação e a morte cruciaram-lhe o corpo. Eis ai a bela maneira de que recompensamos o amor de nosso divino Salvador.

I. Considera que o Verbo divino, fazendo-se homem, não somente quis tomar a aparência de pecador, mas ainda tomar sobre si todos os pecados dos homens e satisfazer por eles, como se fossem os seus próprios: Iniquitates eorum portabit – <<Tomará sobre si as iniquidades deles>>; Acrescenta Cornelio a Lapide: ac si ipse ea perpetrasset – <<como se eles mesmo as tivesse cometido.>>  – Consideremos aqui como o Coração de Jesus Menino, já então carregado de todos os pecados do mundo, se devia sentir oprimido e angustiado, vendo que a justiça divina exigia dele plena satisfação. Ele conhecia bem a malícia de cada pecado, por quanto na luz da Divindade que sempre o acompanhava, conhecia, imensamente melhor do que todos os homens e todos os anjos, a bondade infinita de seu Pai, e o seu infinito direito a ser respeitado e amado. E via diante de si, como que em longas fileiras, uma multidão inumerável de pecados, a serem cometidos por aqueles mesmos homens, pelos quais deveria padecer e morrer.

Uma vez o Senhor deixou ver a Santa Catarina de Genova a fealdade de um só pecado venial. Foi tão grande o espanto e a dor da Santa, que caiu sem sentidos em terra. Ora, qual não deve ter sido a aflição de Jesus Menino, quando, no mesmo instante em que baixou à terra, viu posta diante de si a multidão imensa de todos os delitos humanos, pelos quais deveria satisfazer! – Então viu em particular todos os pecados de cada um de nós. Diz o Cardeal Hugo, que os algozes o fizeram padecer exteriormente, crucificando-o; mas nós interiormente, cometendo o pecado – focerunt eum dolere extrinsecus, crucifigendo; sed nos peccando, intrinsecus. Quer dizer que cada pecado nosso afligiu mais a alma de Nosso Senhor Jesus Cristo, do que a crucificação e a morte lhe afligiram o corpo. Eis ai a bela maneira de que cada um que tem lembrança de haver ofendido o Salvador com pecados mortais, lhe recompensou o divino amor.

II. Meu amado Jesus, já que Vos tenho ofendido, sou indigno de receber graças; mas pelos merecimentos das dores que padecestes e oferecestes a Deus, ao ver todos os meus pecados, e em satisfazer por eles a divina justiça, concedei-me um raio da luz na qual Vós então lhes conhecestes a malícia, e uma parte da abominação com que Vós então os detestastes. Será, pois, verdade, ó meu amável Salvador, que eu, desde que nascestes e em cada momento da nossa vida, tenha sido o algoz que Vos crucificaram? E essa dor têla-ei renovado e aumentado todas as vezes que tornei a ofender-Vos? – Ó Senhor, Vós já morrestes para me salvar; porém, para minha salvação não basta a vossa morte, se de minha parte não deteste, mais do que qualquer outro mal, as ofensas que Vos tenha feito, e não me arrependa delas com sincera dor. Vós mesmo deveis dar-me essa dor, e Vós a concedeis a quem a pede. Pelos merecimentos de todas as penas que padecestes em terra, eu Vos peço: dai-me dor de meus pecados, mas uma dor que seja proporcionada à minha maldade. Ajudai-me, ó Senhor, a fazer o ato de contrição que agora quero fazer.

Ó Deus eterno, supremo e infinito Bem, eu, verme miserável, tive animo de desrespeitar-Vos e de desprezar a vossa graça. Mais do que todos os outros males, detesto e odeio as injúrias que Vos tenho feito; delas me arrependo de todo o coração, não tanto por causa do inferno merecido, como por ter ofendido a vossa bondade infinita. Espero, pelos merecimentos de Jesus Cristo, obter o perdão; e com o perdão espero também obter a graça de Vos amar. – Amo-Vos, ó Deus, digno de um amor infinito, e sempre quero dizer-Vos: eu Vos amo, eu Vos amo, eu Vos amo. Como a vossa querida Santa Catarina de Genova, ao contemplar-Vos crucificado, também eu, prostrado agora a vossos pés, quero dizer-Vos: Meu Senhor, nenhum pecado mais, nenhum pecado mais. Não, Vós, ó Jesus, não mereceis ser ofendido: mereceis somente ser amado. Redentor meu, ajudai-me. – Maria, minha Mãe, valei-me; não vos peço outra coisa, senão que eu viva amando a Deus na vida que ainda me resta.

Meditações: Para todos os Dias e Festas do Ano: Tomo I: Desde o Primeiro Domingo do Advento até a Semana Santa Inclusive. Friburgo: Herder & Cia, 1921, p. 45-48. Santo Afonso Maria de Ligório



- DEDICADO À VIRGEM MARIA -
Voltar para o conteúdo