4ª-feira da 33ª Semana Do Tempo Comum - Liturgia Diária da Igreja Católica Apostólica Romana

"Fiat Voluntas Tua"
Ir para o conteúdo
MISSAL > LITURGIA DO DIA
Liturgia de Hoje
4ª-feira da 33ª Semana Do Tempo Comum
18 de Novembro de 2020 - Cor: Verde



1ª Leitura - Ap 4,1-11

Santo! Santo! Santo! Senhor Deus Todo-poderoso!
Aquele que é, que era e que vem!

Leitura do Livro do Apocalipse de São João 4,1-11
Eu, João,

1 vi uma porta aberta no céu,
e a voz que antes eu tinha ouvido falar-me como trombeta, disse:
'Sobe até aqui, para que eu te mostre as coisas
que devem acontecer depois destas.'

2 Imediatamente, o Espírito tomou conta de mim.
Havia no céu um trono e, no trono, alguém sentado.

3 Aquele que estava sentado
parecia uma pedra de jaspe e cornalina;
um arco-íris envolvia o trono com reflexos de esmeralda.

4 Ao redor do trono havia outros vinte e quatro tronos;
neles estavam sentados vinte e quatro anciãos,
todos eles vestidos de branco
e com coroas de ouro nas cabeças

5 Do trono saíam relâmpagos, vozes e trovões.
Diante do trono estavam acesas sete lâmpadas de fogo,
que são os sete espíritos de Deus.

6 Na frente do trono havia como que um mar de vidro cristalino.
No meio, em redor do trono,
estavam quatro Seres vivos,
cheios de olhos pela frente e por detrás.

7 O primeiro Ser vivo parecia um leão;
o segundo parecia um touro;
o terceiro tinha rosto de homem;
o quarto parecia uma águia em pleno vôo.

8 Cada um dos quatro Seres vivos tinha seis asas,
cobertas de olhos ao redor e por dentro.
Dia e noite, sem parar, eles proclamavam:
'Santo! Santo! Santo!
Senhor Deus Todo-poderoso!
Aquele que é, que era e que vem!'

9 Os seres vivos davam glória, honra e ação de graças
ao que estava no trono e que vive para sempre.

10 E cada vez que os Seres vivos faziam isto,
os vinte e quatro anciãos se prostravam
diante daquele que estava sentado no trono,
para adorar o que vive para sempre.
Colocavam suas coroas diante do trono de Deus,
e diziam:

11 'Senhor, nosso Deus,
tu és digno de receber a glória, a honra e o poder,
porque tu criaste todas as coisas.
Pela tua vontade é que elas existem e foram criadas.'

Palavra do Senhor.




Salmo - Sl 150,1-2. 3-4. 5-6 (R. Ap 4,8b)

R. Santo, Santo, Santo Senhor Deus onipotente!

1 Louvai o Senhor Deus no santuário, *
louvai-o no alto céu de seu poder!
2 Louvai-o por seus feitos grandiosos, *
louvai-o em sua grandeza majestosa!
R.

3 Louvai-o com o toque da trombeta, *
louvai-o com a harpa e com a cítara!
4 Louvai-o com a dança e o tambor, *
louvai-o com as cordas e as flautas!
R.

5 Louvai-o com os címbalos sonoros, *
louvai-o com os címbalos de júbilo!
6 Louve a Deus tudo o que vive e que respira, *
tudo cante os louvores do Senhor!
R.




Evangelho - Lc 19,11-28

Porque tu não depositaste meu dinheiro no banco?

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 19,11-28

Naquele tempo:

11 Jesus acrescentou uma parábola,
porque estava perto de Jerusalém
e eles pensavam que o Reino de Deus ia chegar logo.

12 Então Jesus disse:
'Um homem nobre partiu para um país distante,
a fim de ser coroado rei e depois voltar.

13 Chamou então dez dos seus empregados,
entregou cem moedas de prata a cada um,
e disse: 'Procurai negociar até que eu volte'.

14 Seus concidadãos, porém, o odiavam,
e enviaram uma embaixada atrás dele,
dizendo: 'Nós não queremos que esse homem reine sobre nós'.

15 Mas o homem foi coroado rei e voltou.
Mandou chamar os empregados,
aos quais havia dado o dinheiro,
a fim de saber quanto cada um havia lucrado.

16 O primeiro chegou e disse:
'Senhor, as cem moedas renderam dez vezes mais.'

17 O homem disse:
'Muito bem, servo bom.
Como foste fiel em coisas pequenas,
recebe o governo de dez cidades'.

18 O segundo chegou e disse:
'Senhor, as cem moedas renderam cinco vezes mais'.

19 O homem disse também a este:
'Recebe tu também o governo de cinco cidades'.

20 Chegou o outro empregado e disse:
'Senhor, aqui estão as tuas cem moedas
que guardei num lenço,

21 pois eu tinha medo de ti,
porque és um homem severo.
Recebes o que não deste e colhes o que não semeaste'.

22 O homem disse:
'Servo mau, eu te julgo pela tua própria boca.
Tu sabias que eu sou um homem severo,
que recebo o que não dei e colho o que não semeei.

23 Então, porque tu não depositaste meu dinheiro no banco?
Ao chegar, eu o retiraria com juros'.

24 Depois disse aos que estavam aí presentes:
'Tirai dele as cem moedas e dai-as àquele que tem mil'.

25 Os presentes disseram:
'Senhor, esse já tem mil moedas!'

26 Ele respondeu: 'Eu vos digo:
a todo aquele que já possui, será dado mais ainda;
mas àquele que nada tem, será tirado até mesmo o que tem.

27 E quanto a esses inimigos,
que não queriam que eu reinasse sobre eles,
trazei-os aqui e matai-os na minha frente'.'

28 Jesus caminhava à frente dos discípulos,
subindo para Jerusalém.

Palavra da Salvação.





FONTE: YOUTUBE
Reflexão - Pe. João Luís Fávero
“O Senhor manifestou a salvação a todos os povos”.
Mt 14, 22-23

Hoje celebramos a memória da consagração das Basílicas de São Pedro e São Paulo, em Roma. Foram edificadas para perpetuar a memória destes dois gigantes do cristianismo, seus nomes e principalmente sua obra de evangelização, estão intimamente ligados a história de Roma, onde, pelo martírio, deram testemunho de fidelidade a Cristo. As duas Igrejas nos recordam que Pedro e Paulo são considerados as colunas da Igreja de Cristo.

No século IV, o Imperador Constantino mandou construir uma Basílica dedicada ao glorioso Mártir São Pedro e uma construção de menor dimensões dedicada a São Paulo. As duas basílicas foram construídas sobre os túmulos dos dois Apóstolos.

A atual Basílica de São Pedro (Vaticano), foi construída no século XVI, no mesmo lugar da anterior que ameaça ruir. Outra mais esplendida surgiu e foi consagrada pelo papa Urbano VIII a consagrou em 18 de novembro de 1626. A Basílica atual de São Paulo (São Paulo fora dos Muros), construída no mesmo lugar da anterior, data de 10 de dezembro de 1854.

O Prefácio da Festa dos dois Apóstolos apresenta os traços principais de cada um deles: “Pedro o primeiro a proclamar a fé, fundou a Igreja primitiva sobre a herança de Israel. Paulo, mestre e doutor das nações anunciou-lhes o Evangelho da Salvação. Por diferentes meios, os dois congregaram a única família de Cristo e, unidos pela coroa do martírio, recebem hoje, por toda a terra, igual veneração”.

De Pedro recebemos a fé, de Paulo a missão. A fé acolhida no coração nos dispõe a viver e anunciar o Evangelho. Nos tornamos discípulos missionários, preparados para ser uma Igreja em Saída, que leva às periferias a Palavra que salva e liberta e apresenta daquilo que ela tem de melhor; Jesus Cristo, o Senhor.

Rezemos: Senhor, nos dê a coragem para anunciar e testemunhar o Evangelho com a vida. Levando a Alegria do Evangelho a todos.

Deus abençoe você e sua família.
Um Abraço,
Pe. João Luiz
Reflexão - Frei Rinaldo Stecanella, osm
Bom dia. Deus abençoe sua nova jornada de quarta que está começando. Deus o abençoe muito e tenha certeza que ELe vai abençoar o seu dia. Confia nEle e chame-o para estar ao seu lado o tempo todo.

Ofereça a Deus em sacrifício a sua gratidão,
cumpra os seus votos para com o Altíssimo,
Salmo 50,14
Deus abençoe

Com carinho e bençãos
Frei Rinaldo,osm
Novena a Nossa Senhora Das Graças - Dia 1


Ato de contrição

Senhor meu, Jesus Cristo, Deus e Homem verdadeiro, Criador e Redentor meu, por serdes Vós quem sois, sumamente bom e digno de ser amado sobre todas as coisas, e porque Vos amo e estimo, pesa-me, Senhor, por Vos ter ofendido e pesa-me também por ter perdido o Céu e merecido o inferno. Proponho, firmemente, com o auxílio de Vossa divina graça e pela poderosa intercessão de Vossa Mãe Santíssima, emendar-me e nunca mais Vos tornar a ofender. Espero alcançar o perdão de minhas culpas, por Vossa infinita misericórdia. Assim seja.


1º dia – Primeira aparição

Contemplemos a Virgem Imaculada em sua primeira aparição a Santa Catarina Labouré.
A piedosa noviça, guiada por seu Anjo da Guarda, é apresentada à Imaculada Senhora. Consideremos sua inefável alegria. Seremos também felizes como Santa Catarina se trabalharmos com ardor na nossa santificação. Gozaremos as delícias do Paraíso se nos privarmos dos gozos terrenos.


Oração:

Ó Imaculada Virgem Mãe de Deus e nossa Mãe, ao contemplar-vos de braços abertos derramando graças sobre os que vo-las pedem, cheios de confiança na vossa poderosa intercessão, inúmeras vezes manifestada pela Medalha Milagrosa, embora reconhecendo a nossa indignidade por causa de nossas inúmeras culpas, acercamo-nos de vossos pés para vos expor, durante essa oração, as nossas mais prementes necessidades (momento de silêncio e de pedir a graça desejada).

Concedei, pois, ó Virgem da Medalha Milagrosa, este favor que confiantes vos solicitamos, para maior glória de Deus, engrandecimento do vosso nome, e o bem de nossas almas. E para melhor servirmos ao Vosso Divino Filho, inspirai-nos profundo ódio ao pecado e dai-nos coragem de nos afirmar sempre verdadeiros cristãos. Amém.

Santíssima Virgem, eu reconheço e confesso vossa Santa e Imaculada Conceição, pura e sem mancha. Ó puríssima Virgem Maria, por vossa Conceição Imaculada e gloriosa prerrogativa de Mãe de Deus, alcançai-me de vosso amado Filho a humildade, caridade, obediência, castidade, santa pureza de coração, de corpo e espírito; alcançai-me a perseverança na prática do bem, uma santa vida, uma boa morte e a graça de (pede-se uma graça) que peço com toda a confiança. Amém.

Rezar três Ave-Marias.

Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós.





- DEDICADO À VIRGEM MARIA -
Voltar para o conteúdo