19/02/20 - QUARTA-FEIRA - Liturgia Diária da Igreja Católica Apostólica Romana

"Fiat Voluntas Tua"
Ir para o conteúdo
MISSAL > LITURGIA DO DIA
Pesquisa rápida
Liturgia Diária


 

6ª SEMANA - TEMPO COMUM

COR: VERDE





 

1a Leitura - Tg 1,19-27

 

Sede praticantes da Palavrae não meros ouvintes.

 

Leitura da Carta de São Tiago 1, 19-27

19 Meus queridos irmãos, sabei que todo homem deve ser pronto para ouvir, mas moroso para falar e moroso para se irritar. 

20 Pois a cólera do homem não é capaz de realizar a justiça de Deus. 

21 Por esta razão, rejeitai toda impureza e todos os excessos do mal, mas recebei com humildade a Palavra que em vós foi implantada, e que é capaz de salvar as vossas almas. 

22 Todavia, sede praticantes da Palavra e não meros ouvintes, enganando-vos a vós mesmos. 

23 Com efeito, aquele que ouve a Palavra e não a põe em prática é semelhante a uma pessoa que observa o seu rosto no espelho: 

24 apenas se observou, vai-se embora e logo esquece como era a sua aparência. 

25 Aquele, porém, que se debruça sobre a Lei da liberdade, agora levada à perfeição, e nela persevera, não como um ouvinte distraído, mas praticando o que ela ordena, esse será feliz naquilo que faz. 

26 Se alguém julga ser religioso e não refreia a sua língua, engana-se a si mesmo: a sua religião é vã. 

27 Com efeito, a religião pura e sem mancha diante de Deus Pai, é esta: assistir os órfãos e as viúvas em suas tribulações e não se deixar contaminar pelo mundo.

Palavra do Senhor.





 

Salmo - Sl 14 (15), 2-3ab. 3cd-4ab. 5 (R. 1b)

 

R. Senhor, quem morará em vosso Monte Santo?

 

2 É aquele que caminha sem pecado / e pratica a justiça fielmente;  3a que pensa a verdade no seu íntimo 3b e não solta em calúnias sua língua.

R.

 

3c Que em nada prejudica o seu irmão,  3d nem cobre de insultos seu vizinho;  4a que não dá valor algum ao homem ímpio, 4b mas honra os que respeitam o Senhor.

R.

 

5 não empresta o seu dinheiro com usura, / nem se deixa subornar contra o inocente. / Jamais vacilará quem vive assim!

R.





 

Evangelho - Mc 8,22-26

 

O cego ficou curado, e enxergava todas as coisas com nitidez.

 

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos 8, 22-26

Naquele tempo: 

22 Jesus e seus discípulos chegaram a Betsaida. Algumas pessoas trouxeram-lhe um cego e pediram a Jesus que tocasse nele. 

23 Jesus pegou o cego pela mão, levou-o para fora do povoado, cuspiu nos olhos dele, colocou as mãos sobre ele, e perguntou: 'Estás vendo alguma coisa?'

24 O homem levantou os olhos e disse: 'Estou vendo os homens. Eles parecem árvores que andam.'

25 Então Jesus colocou de novo as mãos sobre os olhos dele e ele passou a enxergar claramente. Ficou curado, e enxergava todas as coisas com nitidez. 

26 Jesus mandou o homem ir para casa, e lhe disse: 'Não entres no povoado!'

Palavra da Salvação.





 
Reflexão - Padre João Luís Fávero - Campinas (SP)

“Senhor quem morará em vosso Monte Santo?
Mc 8, 22-26

O cego do Evangelho de hoje é imagem do discípulo de Jesus que precisa aprender a enxergar. Esse aprendizado é lento e é representado pela ação de Jesus em dois tempos para que o cego passe a ver com clareza.

Na imagem do cego, o evangelista Marcos, parece também representar toda a comunidade em seu lento aprendizado com o Mestre. O ponto de partida é o Batismo, seguido de uma catequese e a vida comunitária.

Os discípulos precisam dos toques de Jesus, da imposição das mãos, para completar sua formação. Alguns tipos de cegueira não física requerem empenho para curar. E ninguém é bom juiz em causa própria, ninguém faz o processo sozinho.

A Igreja coloca a Oração e a Palavra como mediação para se chegar à Verdade, juntamente com vivência com os irmãos nos ajudam a ver na perspectiva do Reino. Cada um de nós deve ajudar o irmão a ver melhor.

Ao final do processo de cura, Jesus recomenda que o cego curado não volte ao vilarejo. Pois voltar ao vilarejo significa retornar à cegueira de antes, isto é, ao ambiente que impedia a visão que Jesus revelou.

O discípulo não pode se deixar iludir, mas deve se comprometer com o projeto de Jesus, o Reino. A visão mais apurada evitará decepções e frustrações na caminhada.

Rezemos: Senhor, que eu possa ver perfeitamente, não quero ser um discípulo triste e acomodado. Quero ter a alegria do Evangelho e o ardor do Amor e do Serviço.

Deus abençoe você e sua família.

Pe. João Luiz
- DEDICADO À VIRGEM MARIA -
Voltar para o conteúdo