2019 - JUNHO - 16 - DOMINGO - Liturgia Católica Apostólica Romana

- AD MAIOREM DEI GLORIAM -
Ir para o conteúdo
MISSAL > LITURGIA DO DIA
Pesquisa rápida
Liturgia Diária

Cor: Branco


Solenidade da Santíssima Trindade


1ª Leitura - Pr 8,22-31


Antes que a terra fosse feita a
Sabedoria já tinha sido concebida.


Leitura do Livro dos Provérbios 8,22-31
Assim fala a Sabedoria de Deus:
22 O Senhor me possuiu como primícia de seus caminhos, antes de suas obras mais antigas;
23 desde a eternidade fui constituída, desde o princípio, antes das origens da terra.
24 Fui gerada quando não existiam os abismos, quando não havia os mananciais das águas,
25 antes que fossem estabelecidas as montanhas, antes das colinas fui gerada.
26 Ele ainda não havia feito as terras e os campos, nem os primeiros vestígios de terra do mundo.
27 Quando preparava os céus, ali estava eu, quando traçava a abóbada sobre o abismo,
28 quando firmava as nuvens lá no alto e reprimia as fontes do abismo,
29 quando fixava ao mar os seus limites - de modo que as águas não ultrapassassem suas bordas - e lançava os fundamentos da terra,
30 eu estava ao seu lado como mestre-de-obras; eu era seu encanto, dia após dia, brincando, todo o tempo, em sua presença,
31 brincando na superfície da terra, e alegrando-me em estar com os filhos dos homens.
Palavra do Senhor.



Salmo - Sl 8,4-5.6-7.8-9 (R. 2a)


R. Ó Senhor nosso Deus, como é grande
vosso nome por todo o universo!



4 Contemplando estes céus que plasmastes*
e formastes com dedos de artista;
vendo a lua e estrelas brilhantes,*
5 perguntamos: 'Senhor, que é o homem,
para dele assim vos lembrardes*
e o tratardes com tanto carinho?'
R.

6 Pouco abaixo de Deus o fizestes,*
coroando-o de glória e esplendor;
7 vós lhe destes poder sobre tudo,*
vossas obras aos pés lhe pusestes.
R.

8 as ovelhas, os bois, os rebanhos,*
todo o gado e as feras da mata;
9 passarinhos e peixes dos mares,*
todo ser que se move nas águas.
R.



2ª Leitura - Rm 5,1-5


A Deus, por Cristo,
na caridade difundida pelo Espírito.


Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos 5,1-5
Irmãos:
1 Justificados pela fé, estamos em paz com Deus, pela mediação do Senhor nosso, Jesus Cristo.
2 Por ele tivemos acesso, pela fé, a esta graça, na qual estamos firmes e nos gloriamos, na esperança da glória de Deus.
3 E não só isso, pois nos gloriamos também de nossas tribulações, sabendo que a tribulação gera a constância,
4 a constância leva a uma virtude provada, a virtude provada desabrocha em esperança;
5 e a esperança não decepciona, porque o amor de Deus foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado.
Palavra do Senhor.



Evangelho - Jo 16,12-15

Tudo o que o Pai possui é meu. O Espírito Santo
receberá do que é meu e vo-lo anunciará.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João 16,12-15

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos:
12 Tenho ainda muitas coisas a dizer-vos, mas não sois capazes de as compreender agora.
13 Quando, porém, vier o Espírito da Verdade, ele vos conduzirá à plena verdade. Pois ele não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido; e até as coisas futuras vos anunciará.
14 Ele me glorificará, porque receberá do que é meu e vo-lo anunciará.
15 Tudo o que o Pai possui é meu. Por isso, disse que o que ele receberá e vos anunciará, é meu.
Palavra da Salvação.



Fonte: Youtube RS21
Reflexão - Padre João Luís Fávero - Campinas (SP)

“Ó Senhor nosso Deus, como é grande vosso nome por todo o universo!”
Jo 16, 12-15

Contemplar o mistério é algo que cria em nós perplexidade. No mistério não podemos invadir suas fronteiras. Mas o mistério se apresenta também como realidade admirável, tão grande e tão bonita que não conseguimos compreender totalmente.

Deus é maior do que nós! Não temos a obrigação de entender a Deus, devemos, isto sim, amá-Lo na simplicidade do filho que aceita e admira a sabedoria do Pai.

O Evangelho nos lembra que há muita coisa que não compreendemos. Não há como penetrar em todos os mistérios de Deus, mas o Espírito da Verdade, prometido por Jesus, haverá de clarear a mensagem e a vida do Mestre. Pois o Espírito Santo introduzirá o discípulo na compreensão do que Jesus disse e realizou.

Existe uma única revelação: sua fonte está no Pai, ela se realiza no Filho e se completa nos fiéis-discípulos por meio do Espírito Santo, que age em nós em sintonia com Pai e o Filho.

Deus é mistério de amor e a Santíssima Trindade, o Pai, o Filho e o Espírito Santo são a comunidade perfeita. Ele revela seus mistérios aos pequenos e humildes.

A Santíssima Trindade nos ensina que é possível viver a comunhão e a fraternidade nas famílias e nas comunidades cristãs, unidas ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo, que atuam em plena comunhão e se tornam modelos na vivência comunitária, assim caminhamos unidos, banindo de nosso meio, autoritarismos, egoísmos e exclusões.

A comunidade se esforça para viver integrada, o que resulta no perfeito ajustes de seus membros. Traz a marca do serviço, da bondade, da gratuidade e da generosidade, sem preocupação com recompensas futuras. O amor perpassa todas as relações, sem deixar nenhum espaço para o egoísmo. A comunidade contemplando o rosto de Deus, revelado por Jesus, reconhece o seu próprio rosto na fraternidade e na solidariedade, vivência concreta da caridade.

Rezemos: Senhor, queremos louvar pela comunhão da Trindade e que a nossa contemplação ajude a viver e construir uma comunidade unida no amor fraternal e seja comunicadora da Alegria do Evangelho.

Deus abençoe você e sua família.


A Trindade Misericordiosa

A liturgia nos convida, neste domingo, celebrar e viver o Mistério da Trindade. Aqui não se trata somente de uma verdade para crer, mas estamos diante do fundamento e do núcleo de nossa experiência cristã. Em vez do “Mistério da SS. Trindade” (talvez algo distante e estranho para nós), o importante é a experiência história do encontro com a atividade vivificadora “da Fonte” de vida (Pai), “da Rota” do Amor (Filho) e “da Respiração” da esperança, que pacifica, alenta e reconcilia (Espírito Santo).

Para facilitar a experiência da presença e ação da Trindade em nossas vidas, nossa proposta é contemplar a escultura da Irmã Caritas Müller (veja foto abaixo) que está numa casa de oração na Alemanha; toda obra de arte fala mais que muitas palavras. Todo artista capta detalhes do Mistério e nos oferece ricas possibilidades de acesso que a razão nem sempre consegue explicar.

Quem é o Pai-Criador, quem é o Filho Redentor, quem é o Espírito Santificador?

As definições apresentadas pelo “dogma da Trindade” não nos ajudam muito. No entanto, a identidade da Trindade se revela na sua ação salvífica. O Pai, no Filho e pelo Espírito Santo se preocupam com cada um dos seus filhos e filhas. Sua intenção é idêntica; atitudes e gestos o demonstram: uma mesma atenção, uma mesma paixão os move para o ser humano; um mesmo amor para com cada criatura humana brota das entranhas da Santíssima Trindade.

O interessante é que, ao observarmos a escultura, vemos que o ser humano está no centro. Trata-se da pessoa na sua total fragilidade e miséria, caída e sem forças...Essa pessoa está circuncidada pela misericórdia da Trindade. Em Deus o ser humano está no centro, para que o ser humano coloque Deus no centro da sua vida.

Mais uma vez, Deus escolhe para isso o caminho do Amor que se entrega, da inquebrantável misericórdia reconstrutora, da transbordante doação que dignifica cada ser humano.

Percebemos na escultura quatro círculos. O círculo expressa o caráter único de cada pessoa, tanto divina como humana. As Três Pessoas divinas e a pessoa humana encontram-se dentro de círculos. O círculo da pessoa humana está no centro da Trindade, e os círculos das Três Pessoas da Trindade encontram-se abertos em direção a este círculo central.  Pela sua Encarnação, Morte e Ressurreição, o Filho é o mediador que introduz o ser humano no coração da Trindade.

É importante notar que os círculos não são fechados, pois as pessoas podem entrar no círculo das outras na medida em que seu amor é atuante e expansivo. O círculo central recolhe uma pessoa humana, que pode ser qualquer um de nós. Não dá para saber se é homem ou mulher, pobre ou rica, jovem ou velha e assim por diante. Parece sim se tratar de uma pessoa ferida nos caminhos da vida.

O círculo, como símbolo de realização, significa que o ser humano, em sua fragilidade e em sua miséria, é chamado à plenitude de vida e de realização. Logo nos vem a lembrança do Bom Samaritano. As três pessoas divinas estão debruçadas, com reverência, sobre a pessoa machucada. É patente que o Deus uno e trino comunga no mesmo sentimento de amor e compaixão. Tudo converge para esta revelação: o ser humano desfigurado e acolhido pela iniciativa amorosa da Trindade. O ser humano desfigurado é transfigurado pelo Amor Trinitário.

A Trindade Misericordiosa envolve a criatura humana por todos os lados. Toda a atenção de Deus está centrada sobre o ser humano.

O Pai (à direita), está carinhosamente inclinado, com um dos joelhos em terra, esforçando-se com cuidado para levantar a pessoa ferida. O sentimento do Pai é de ternura e cuidado, seu rosto se aproxima e beija o rosto inerte da pessoa ferida. Ele revela seu amor misericordioso no calor do abraço, que acolhe e regenera o ser humano. Morre o mal que foi feito e celebra-se a festa da vida nova.

Assim fez o pai que, no regresso do filho pródigo, o abraça, o cobre de beijos e o cumula de seu perdão.

Levantar, rodear de ternura, abraçar, acolhê-lo em seu seio de ternura, tal é o gesto de Deus-Pai para com o ser humano. Gesto de libertação que o coloca de pé, devolvendo sua dignidade.

Jesus, o Filho de Deus (à esquerda), ajoelha e se inclina profundamente. Ele se rebaixa à mesma condição do ser humano. Ele segura e sustenta com suas mãos os pés da pessoa ferida, lava-os, cura as feridas com carinho e beija seus pés. Beijo, gesto de intimidade e de ternura, que convida a pessoa a deixar-se amar. O amor liberta, põe o homem e a mulher de pé.

Jesus nos revela o maior serviço do amor, ao mesmo tempo que realiza o mais humilde serviço. “Eu vim para servir e não para ser servido”. O Filho revela o Deus Amor-serviço, que se põe aos pés da humanidade decaída para restaurá-la, e revela o caminho do serviço como caminha para a vida. Em Jesus Deus se abaixa para estar mais perto da miséria do ser humano. Não o olha a partir de cima, abaixa-se. Não vem ao nosso encontro em nossas perfeições, mas em nossas misérias.

É o que Jesus nos revelou durante toda sua vida e de maneira especial no gesto do lava-pés. Ele põe o centro de sua ação nos seres mais pobres e mais fracos, aqueles que não contam para nada, os descartados, os que sofrem e os pecadores. O ser humano, cada um de nós pessoalmente, é tão importante aos olhos de Deus que Ele o coloca no centro de suas preocupações.

O Espírito Santo, figura que desce do alto e se aproxima do ferido, tanto pode ser a figura de uma pomba, de chamas ou de mãos que trazem vida. O bico da pomba, como o Pai e o Filho, beija a pessoa e lhe transmite o Sopro de vida. Deus quer ter o ser humano, um ser vivente, como interlocutor, um ser capaz de responder seu chamado à vida. Deseja um ser vivente, capaz de amar e de assemelhar-se a Ele.

A Pomba de fogo, voa sobre o ser humano caído e o aquece. A relação entre a Pomba de fogo e o ser humano do centro recorda Pentecostes. Cheios do Espírito Santo, os Apóstolos, antes marcados pelo medo, se transformam em testemunhas audazes de Jesus e do amor de Deus.

Pai, Filho e Espírito se preocupam pela pessoa, criada do barro da terra. A pessoa, no centro, é a figura mais escura de todas.  Cor da terra, de húmus, um ser criado por Deus, e que estaria sem vida, se esta não lhe fosse comunicada pelo Criador.

Ao experimentar esta acolhida restauradora, o ser humano é chamado a ser também presença da Trindade Amiga para seus irmãos, construindo a comunhão trinitária no mundo em que vive. Só corações solidários adoram um Deus Trinitário

Texto bíblico:  Mt 28,16-20

Coloque-se no lugar do ser humano, no centro da escultura, e faça a experiência de ser acolhido e  amado pelas divinas Pessoas trinitárias.

Coloque no coração da Trindade as pessoas que você sabe que precisam da graça desta experiência.

Pe. Adroaldo Palaoro sj
Diretor do Centro de Espiritualidade Inaciana -CEI

FONTE: centroloyola.org.br



Reflexão - Frei Rinaldo Stecanella, osm
Bom dia. Deus abençoe você com toda sua história de vida, sua casa, sua família, seus amigos...Chegamos a mais um domingo, mais um final de semana. Domingo é por excelência um dia especial, pois é sinônimo de descanso, de repouso, de lazer, de estar e curtir a família e os amigos. Isso é a regra geral. Porém, nós temos ALGO mais, não é mesmo? Somos CRISTÃOS e, como tal, o Domingo se torna para nós, o DIA DO SENHOR, pois nele, recordamos a RESSURREIÇÃO de JESUS. Portanto, durante 6 dias Deus esteve conosco nos abençoando, protegendo, iluminando, derramando bençãos e graças, acompanhando cada passo que foi dado na luta pela sobrevivência e pelo ganho do "pão de cada dia". Foi com o  Amor de Deus que conseguimos vencer mais uma semana com todos os seus contratempos, não é mesmo? Então, HOJE, é o NOSSO DIA, a NOSSA VEZ, de retribuir a esse Amor. Hoje é dia de agradecer, de louvar, de render nossa AÇÃO DE GRAÇAS para com Deus. E a forma mais CONCRETA de retribuir ao amor de Deus, por tudo o que Ele nos fez e nos deu durante a semana,  é Ir à Igreja, se possível, com toda a sua família. Por quê? Porque EUCARISTIA significa exatamente isso: AÇÃO DE GRAÇAS, GRATIDÃO. A forma mais linda de agradecer a Deus pelos dons que Ele nos dá é participar da Santa Eucaristia. É na Eucaristia que nos sentimos membros de uma grande família de fé, de povo de Deus. É na Eucaristia que entramos em COMUNHÃO com Jesus. É na Eucaristia que nos abastecemos espiritualmente e ficamos fortes para mais uma semana de luta que nos espera. E quem não gostaria de estar forte para o combate da vida, não é mesmo? Portanto, nada de desculpas ou justificativas, do tipo, "tô cansado", "vai chegar gente aqui em casa", "o tempo está pra chuva", etc, etc, etc...isso tudo é justificativa. Lembre-se: Você é FILHO e FILHA de Deus...então vá agradecer e receber a força de Deus para sua vida e família. Há um ditado que diz: Domingo sem Missa..é semana sem GRAÇA (ou sem a Graça!!!). Hoje é dia da SANTÍSSIMA TRINDADE...que a presença do PAI e do FILHO e do ESPÍRITO SANTO DE DEUS ilumine e santifique toda a sua vida.
QUAL O HORÁRIO QUE VOCÊ VAI À MISSA HOJE?
Salmo 148

Glorificação do Deus Criador

–Louvai o Senhor Deus nos altos céus, *
†louvai-o no excelso firmamento!
Louvai-o, anjos seus, todos louvai-o, *
louvai-o, legiões celestiais!

–Louvai-o, sol e lua, e bendizei-o, *
louvai-o, vós estrelas reluzentes!
–Louvai-o, céus dos céus, e bendizei-o, *
e vós, águas que estais por sobre os céus.

–Louvem todos e bendigam o seu nome, *
porque mandou e logo tudo foi criado.
–Instituiu todas as coisas para sempre, *
e deu a tudo uma lei que é imutável.

–Louvai o Senhor Deus por toda a terra, *
grandes peixes e abismos mais profundos;
fogo e granizo, e vós, neves e neblinas, *
furacões que executais as suas ordens.

–Montes todos e colinas, bendizei-o, *
cedros todos e vós, árvores frutíferas;
–feras do mato e vós, mansos animais, *
todos os répteis e os pássaros que voam.

–Reis da terra, povos todos, bendizei-o, *
e vós, príncipes e todos os juízes;
–e vós, jovens, e vós, moças e rapazes,*
anciãos e criancinhas, bendizei-o!

–Louvem o nome do Senhor, louvem-no todos, *
porque somente o seu nome é excelso!
–A majestade e esplendor de sua glória *
ultrapassam em grandeza o céu e a terra.

Ele exaltou seu povo eleito em poderio *
ele é o motivo de louvor para os seus santos.
–É um hino para os filhos de Israel, *
este povo que ele ama e lhe pertence.

–Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Com carinho e bençãos
Frei Rinaldo, osm




Reflexão para a Solenidade da Santíssima Trindade

Para conhecer a Deus, "deveremos abrir a Sagrada Escritura, principalmente o Novo Testamento, e ver o que Jesus, o Verbo Encarnado, nos diz." Padre César Augusto dos Santos - Cidade do Vaticano

Hoje, de um modo especial, celebramos Deus. Mas quem é Deus? Como explicá-lo? Como defini-lo? Como conhecê-lo?

Nenhuma pergunta sobre Deus pode ser respondida por nós humanos. Deus nos supera!

Temos noção de quem Ele é, mas não conseguimos defini-lo. É impossível! Ele é a eterna surpresa. Nosso Deus não é o Deus dos filósofos, mas é o Pai de Jesus Cristo, é o próprio Cristo, é o Espírito de Amor.

Para conhecê-lo deveremos abrir a Sagrada Escritura, principalmente o Novo Testamento, e ver o que Jesus, o Verbo Encarnado, nos diz.

O Evangelho de hoje, tirado de São João, nos fala que Deus é o Amigo do Homem, não apenas o seu Criador, mas o seu Redentor, aquele que o protege e que foi capaz de sofrer e morrer para que o Homem tivesse a plena felicidade.

Já São Paulo em sua Carta aos Coríntios nos orienta sobre a resposta a ser dada ao Deus Amigo. O homem deverá deixar-se transfigurar através  dos dons, das qualidades divinas, especialmente pelo amor, pelo perdão e pelo serviço.

Falar com Jesus é falar com Deus. Sua bondade foi tanta que Ele se revelou a nós na pessoa de Jesus.

Filipe, quem me vê, vê o Pai. Dirijamo-nos ao Deus de Amor, a esse Deus que, por amor, rasgou seu coração, e sintamos a plenitude de seu querer bem a nós. Se o mandamento se resume em amar a Deus sobre todas as coisas, e ao próximo, do mesmo modo como Ele nos amou, saibamos que antes de tudo o Senhor não só nos criou, mas, por amor a nós, se entregou até a morte.

O Espírito é escuta e disponibilidade.








Um martírio pouco repercutido na mídia, afirma jornalista católico sobre caso Rhuan



Segundo o ACI Digital (11/06/2019), o assassinato brutal do menino Rhuan Maycon, de 9 anos, por sua mãe e a mulher com quem viviam, em Samambaia (DF), foi classificado como uma verdadeiro “martírio” pelo jornalista católico Paulo Briguet, em artigo publicado no site ‘Folha de Londrina’.

O caso aconteceu na madrugada de 1º de junho, quando foi assassinado a facadas enquanto dormia e esquartejado por sua mãe, Rosana Auri da Silva Cândido, de 27 anos, com ajuda da companheira dela, Kacyla Pryscila Santiago Damasceno Pessoa, de 28 anos.

Ambas teriam ainda tentado queimar o corpo da criança em uma churrasqueira, mas desistiram por causa da fumaça. Então, colocaram em mala e mochilas e jogaram em um bueiro de samambaia. Mas, pessoas que passaram pelo local acionaram a polícia, que prendeu as mulheres.

Além disso, há cerca de um ano, as mulheres tinham cortado o órgão genital do menino. À polícia, afirmam que o menino queria ser uma garota e, por isso, o teriam mutilado.

O corpo do menino foi transladado para Rio Branco (AC), onde vive seu pai e familiares, os quais não tinham informações sobre o paradeiro da criança e a procuravam há anos.

Diante deste caso, o jornalista Paulo Briguet ressaltou que “qualquer outro assunto se torna menor e irrelevante diante do martírio dessa criança”.

Em artigo intitulado ‘O martírio do menino Rhuan’, observou que “os detalhes do caso pareceriam inverossímeis mesmo em um filme de terror: o desaparecimento do menino; a decisão de transformá-lo em menina; o pênis da criança cortado pelas mulheres (uma delas, a própria mãe do menino!); o ano inteiro em que ele viveu com a ferida; a morte e o esquartejamento; a imagem do casal assassino; a dor do avô”.

Por outro lado, o jornalista chamou a atenção para o fato de que tal acontecimento não ganhou grande destaque na mídia. Recordou que “muito se falou no casal Nardoni, muito se falou em Suzane von Richthoffen”, dois casos de assassinatos que mobilizaram o país, porém “estranhamente pouco se fala em Rosana e Kacyla, as assassinas de Rhuan”.

“Onde está a revolta dos formadores de opinião? Onde estão as entidades em defesa dos direitos humanos? Onde estão os nossos ativistas judiciais? Onde estão as análises de especialistas, os discursos indignados, as camisetas com o slogan RHUAN VIVE? Até o caso de Neymar merece mais atenção das nossas classes falantes. Que vergonha!”, completou.

Briguet, então, fez referência ao livro ‘Silêncio’, do escritor japonês Shusaku Endo, no qual diz ter lhe chamado a atenção trecho em que “um padre está preso na masmorra e escuta o que parece ser o ronco de um carcereiro. Na verdade, não era um ronco: eram os gemidos dos cristãos supliciados”.

“Você consegue ouvir este som em meio à balbúrdia de nosso país?”, questionou, então, para responder logo em seguida: “É a voz do menino Rhuan, que clama por nossa compaixão. Uma voz que os porta-vozes da ideologia de gênero não querem deixar ninguém ouvir”.

Por fim, declarou que está em votação no Supremo Tribunal Federal (STF) “a criminalização das críticas à ideologia de gênero”, por meio do julgamento da Ação Direta de Inconstitucionalidade por Omissão (ADO) 26 e do Mandado de Injunção (MI) 4.733, que pedem a criminalização da homofobia.

Nesse sentido, disse que “para os totalitários — sejam eles globalistas ou socialistas — é sempre assim: denunciar o crime torna-se crime”. “Prepare-se, portanto, para o dia em que relembrar o martírio de Rhuan será um crime contra a ‘igualdade de gênero’. Estaremos condenados ao silêncio”, concluiu.










FEVEREIRO
DOM
SEG
TER
QUA
QUI
SEX
SÁB





1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
181920212223
2425262728

- Totus Tuus -
Voltar para o conteúdo