28/02/20 - SEXTA-FEIRA - Liturgia Diária da Igreja Católica Apostólica Romana

"Fiat Voluntas Tua"
Ir para o conteúdo
MISSAL > LITURGIA DO DIA
QUARESMA
Pesquisa rápida
Liturgia Diária


 

6ª-FEIRA DEPOIS DAS CINZAS - QUARESMA

COR: ROXO





 

1a Leitura - Is 58,1-9a

 

Acaso é este o jejum que aprecio?

 

Leitura do Livro do Profeta Isaías 58, 1-9a

Assim fala o Senhor Deus: 

1 Grita forte, sem cessar, levanta a voz como trombeta e denuncia os crimes do meu povo e os pecados da casa de Jacó. 

2 Buscam-me cada dia e desejam conhecer meus propósitos, como gente que pratica a justiça e não abandonou a lei de Deus. Exigem de mim julgamentos justos e querem estar na proximidade de Deus: 

3 'Por que não te regozijaste, quando jejuávamos, e o ignoraste, quando nos humilhávamos?' - É porque no dia do vosso jejum tratais de negócios e oprimis os vossos empregados. 

4 É porque ao mesmo tempo que jejuais, fazeis litígios e brigas e agressões impiedosas. Não façais jejum com esse espírito, se quereis que vosso pedido seja ouvido no céu. 

5 Acaso é esse jejum que aprecio, o dia em que uma pessoa se mortifica? Trata-se talvez de curvar a cabeça como junco, e de deitar-se em saco e sobre cinza? Acaso chamas a isso jejum, dia grato ao Senhor?

6 Acaso o jejum que prefiro não é outro: - quebrar as cadeias injustas, desligar as amarras do jugo, tornar livres os que estão detidos, enfim, romper todo tipo de sujeição?

7 Não é repartir o pão com o faminto, acolher em casa os pobres e peregrinos? Quando encontrares um nu, cobre-o, e não desprezes a tua carne. 

8 Então, brilhará tua luz como a aurora e tua saúde há de recuperar-se mais depressa; à frente caminhará tua justiça e a glória do Senhor te seguirá. 

9a Então invocarás o Senhor e ele te atenderá, pedirás socorro, e ele dirá: 'Eis-me aqui'.

Palavra do Senhor.





 

Salmo - Sl 50, 3-4. 5-6a. 18-19 (R. 19b)

 

R. Ó Senhor, não desprezeis um coração arrependido!

 

3 Tende piedade, ó meu Deus, misericórdia! / Na imensidão de vosso amor, purificai-me!  4 Lavai-me todo inteiro do pecado, / e apagai completamente a minha culpa!

R.

 

5 Eu reconheço toda a minha iniqüidade, / o meu pecado está sempre à minha frente.  6a Foi contra vós, só contra vós, que eu pequei, / e pratiquei o que é mau aos vossos olhos!

R.

 

18 Pois não são de vosso agrado os sacrifícios, / e, se oferto um holocausto, o rejeitais.  19 Meu sacrifício é minha alma penitente, / não desprezeis um coração arrependido!

R.





 

Evangelho - Mt 9,14-15

 

Dias virão em que o esposo lhes será tirado, e então jejuarão.

 

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 9, 14-15

Naquele tempo: 

14 Os discípulos de João aproximaram-se de Jesus e perguntaram: 'Por que razão nós e os fariseus praticamos jejuns, mas os teus discípulos não?'

15 Disse-lhes Jesus: 'Por acaso, os amigos do noivo podem estar de luto enquanto o noivo está com eles? Dias virão em que o noivo será tirado do meio deles. Então, sim, eles jejuarão.

Palavra da Salvação.





 
Reflexão - Padre João Luís Fávero - Campinas (SP)

“Ó Senhor, não desprezeis um coração arrependido.”
Mt 9, 14-15

A pedagogia de Jesus seguiu um caminho diferente, longe das influências dos mestres da época. A questão do jejum era um incomodo, tanto para os discípulos de João quanto para os escribas.

Certos círculos farisaicos jejuavam por formalidade. Daí a necessidade de serem vistos e reconhecidos como perfeitos cumpridores da Lei. Os discípulos de João faziam como penitencia obrigatória para a chegada do Messias. A penitência corporal era uma forma de mortificação do corpo, como caminho para a purificação dos pecados.

Jesus recusa-se impor esse jeito de jejuar discípulos. E quando falou que haveriam de fazê-lo, tinha em mente as exigências do Reino.

O jejum longe se ser uma exterioridade ou uma penitencia corporal, seria uma demonstração do domínio de si, até mesmo da fome, como exercício de libertação do egoísmo e de todos os impedimentos para o serviço generoso do Reino. Visava a capacidade de ser livre para servir e amar.

É preciso recuperar o sentido evangélico do jejum. Adquire sentido quando está unido a oração, a caridade e a partilha. Jesus resgata o profeta Isaías a apresenta o significado do jejum que agrada a Deus: “Romper as amarras da injustiça, desfazer as correntes da canga, pôr em liberdade os oprimidos... repartir o pão com quem passa fome, hospedar em casa os pobres sem abrigo, vestir aquele que se encontra nu e não se fechar diante daquele que é sua própria carne” (Is 58, 6-7).  

Rezemos: Senhor, ensina-me a transformar o jejum em exercício de domínio das paixões desordenadas que me afastam de Ti e dos irmãos.

Deus abençoe você e sua família.

Pe. João Luiz
Reflexão - Frei Rinaldo Stecanella, osm
Bom dia. Deus abençoe sua jornada de sexta-feira, 28 de Fevereiro. Meu Deus mais um mês está terminando! O tempo voa, não é mesmo? O importante é crescer na fé e no amor. Amor para com Deus e para com todas as criaturas, principalmente o nosso próximo que mora conosco, trabalha conosco, convive conosco....
Que este restinho de mês, em especial este dia seja pleno de gratidão a Deus pela vida e por chegarmos até aqui! Viva com intensidade esse dia, sempre nos passos do Senhor...

Salmos 37,23-24
Os passos de um homem bom são confirmados pelo Senhor, e deleita-se no seu caminho.
Ainda que caia, não ficará prostrado, pois o Senhor o sustém com a sua mão.


Com carinho e bençãos
Frei Rinaldo, osm
- DEDICADO À VIRGEM MARIA -
Voltar para o conteúdo