Herodíades - Liturgia Católica Apostólica Romana

www.liturgiacatolica.com
www.liturgiacatolica.com
Ir para o conteúdo

Herodíades

Conteúdo de Apoio

HERODÍADES


Herodíades  foi a segunda mulher de Herodes Antipa. Era filha de Aristóbulo, filho de *erodes, o Grande, com Mariamna I, e foi uma estranha mistura de brutalidade e orgulho, tendo herdado a primeira de seu avô e o segundo de sua avó real asmoniana.

Herodíades era irmã do rei Agripa I e foi casada primeiramente com seu tio, também chamado Herodes, filho de Mariamna II, filha do sumo sacerdote Simão, filho de Boeto.

Antipas conheceu Herodíades quando estava visitando seu meio­ irmão (Herodes). Apaixonou-se imediatamente por ela, e, após se divor­ ciar rapidamente de sua esposa, a filha do rei nabateu Aretas, casou-se com Herodíades. O desprezo à princesa nabatéia provocou uma guerra entre seu pai Aretas e seu ex-marido Antipas, que perdeu a batalha. A ambição de Herodíades provocou a ruína de Antipas. Aborrecida pela elevação de seu irmão Agripa I à realeza pelo imperador Calígula em 37 d.C., Herodíades instou o marido a pedir ao imperador o mesmo privi­légio. A jogada deu errado. Antipas foi deposto por  Calígula  em 39 d.C. e banido para Lyon, na Gália. Herodíades  foi autorizada  a  permanecer na Galiléia, mas, orgulhosa, dispensou esse favor imperial e se juntou a seu marido no exílio.

De acordo com o Novo Testamento, Herodíades foi responsável pela execução de João Batista. João, já feito prisioneiro por Antipas por cri­ticar seu casamento com Herodíades, foi decapitado a pedido de Salomé, cuja dança durante a festa de aniversário do rei tinha agradado tanto a Antipas que ele prometeu à jovem qualquer coisa que ela quisesse. Por sugestão de sua mãe vingativa, Salomé pediu a cabeça do Batista em uma bandeja de prata. Josefa ofereceu uma explicação diferente para a execu­ção de João: sua eloqüência o tinha tornado politicamente perigoso no clima revolucionário da época. O historiador situa o acontecimento na fortaleza elevada de Maqueronte, na Transjordânia, enquanto os Evan­gelhos não especificam onde teria acontecido o assassinato do Batista e dão a impressão de que teria ocorrido na Galiléia.
PUBLICIDADE
App Liturgia Católica
Voltar para o conteúdo